quarta-feira, outubro 28, 2020

    Tag: cinema negro

    Ricardo Borges / Folhapress

    Cineasta Yasmin Thayná busca ação política fora dos partidos

    Em nova série da GloboNews, Yasmin Thayná viaja para conhecer novas práticas nas comunidades por Ricardo Kotscho no Folha de São Paulo Ricardo Borges / Folhapress   "O que você veio fazer aqui?", perguntavam à jovem cineasta Yasmin Thainá durante suas viagens por cinco estados brasileiros para produzir a série Política: Modo de Fazer, que estreia neste sábado (1º), na GloboNews. Em primeiro trabalho para a televisão, ela explicava às pessoas que queria descobrir as novas práticas políticas da sociedade civil fora do contexto dos partidos tradicionais. "Ah, você deve estar tendo muita dificuldade, né? Porque aqui não tem nada sendo feito, só roubalheira..." Pois Yasmin não desistiu. Ao contrário, encontrou dezenas de movimentos de participação popular, formados em sua maioria por grupos de jovens nas periferias de São Paulo, Recife, Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. Yasmin conhece bem este mundo desde pequena e é ...

    Leia mais
    Getty Images / Pascal Le Segretain

    Spike Lee fala ao ‘Estado’ de ‘Infiltrado na Klan’, filme libelo contra a segregação racial

    Longa será exibido na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo em outubro Do Mariane Morisawa, do Terra  Getty Images / Pascal Le Segretain LONDRES - Spike Lee reluta um pouco a falar sobre o presidente americano Donald Trump, a quem se recusa a chamar pelo nome - é o Agente Laranja. Mas é um assunto inevitável porque seu novo filme, Infiltrado na Klan, vencedor do Prêmio do Júri no Festival de Cannes 2018, fala disso diretamente, apesar de se passar nos anos 1970. O filme, que deve estrear no Brasil em 22 de novembro e será exibido na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo em outubro, é baseado na história real de Ron Stallworth (John David Washington, filho de Denzel), o primeiro policial negro na cidade de Colorado Springs, que se infiltrou na Ku Klux Klan (organização que defende a supremacia branca), com a ajuda ...

    Leia mais

    Encontro de cinema negro ocupa diferentes espaços no Rio

    A programação ocorre no Cinema Odeon, no Centro Cultural Justiça Federal, no MAR Museu de Arte do Rio e no Cine Arte UFF Do  Destak Jornal Divulgação O Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul – Brasil, África e Caribe, que começa nesta quarta-feira (29), selecionou 74 filmes nacionais, de cinco regiões do Brasil e 18 filmes internacionais para celebrarem a maior janela de exibição afrodiaspórica de cinema negro no país. A programação ocupará os espaços do Cinema Odeon, Centro Cultural Justiça Federal, Museu de Arte do Rio e Cine Arte UFF. O encontro é o organizado pelo Centro Afrocarioca de Cinema. O objetivo de seu fundador Zózimo Bulbul era fortificar a identidade negra e incentivar o intercâmbio cultural Brasil-África através de exibições, debates e de um processo formativo com palestras e seminários, promovendo relações entre realizadores negros brasileiros, africanos e da diáspora. O evento é uma alternativa para diminuir a lacuna ...

    Leia mais
    imagem: Centro Afro Carioca de Cinema Zózimo Bulbul

    ‘Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul’ exibe mais de 90 filmes

    Fortificar a identidade negra e incentivar o intercâmbio cultural Brasil-África: é esse o principal objetivo do “Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul – Brasil, África e Caribe”, que chega ao 11º ano de 29 de agosto a 9 de setembro, com atrações em quatro espaços culturais do Rio e convidados como Lázaro Ramos e Djamila Ribeiro. imagem: Centro Afro Carioca de Cinema Zózimo Bulbul Para esta edição, foram selecionados 76 filmes nacionais, de cinco regiões do Brasil, e 29 filmes internacionais, entre longas e curtas-metragens, sob a curadoria do diretor Joel Zito Araujo e de Janaína Oliveira. As exibições acontecem no Cine Odeon, no CCJF (Centro Cultural Justiça Federal), no MAR (Museu de Arte do Rio) e no Cine Arte UFF (Universidade Federal Fluminense), em Niterói. Crédito: Divulgação Na programação, 'Carta Sobre o Nosso Lugar Mulheres do Vila Nova' tem direção de Rayane Penha [caption ...

    Leia mais
    Diáspora Lab / Divulgação

    Diáspora Conecta convoca realizadores afrodescendentes do nordeste para cursos e laboratório de desenvolvimento de projetos cinematográficos

    Diáspora Conecta é uma plataforma que articula ações de inovação e criatividade, promovendo atividades de experimentação, capacitação e reflexão em torno da produção artística afrodiaspórica. O projeto, que tem apoio financeiro do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia, e conta com a parceria do Sebrae, da Aliança Francesa Salvador, da A Firma e do Cine Theatro Cachoeirano, da Prefeitura Municipal de Cachoeira, visa propiciar um espaço de encontro entre realizadores, produtores, agentes do mercado e o público em geral. no Aldeia Nagô Diáspora Lab / Divulgação Até o dia 31 de agosto estão abertas as inscrições para o Diáspora Lab, que vai selecionar seis projetos de longa-metragem em fase de desenvolvimento de realizadores negros/as da região Nordeste do Brasil, sendo 03 (três) de ficção e 03 (três) de documentário. A proposta do laboratório é que os ...

    Leia mais

    BlacKkKlansman: filme de Spike lee conta a historia de um negro na Ku Klux Klan

    Em uma fria manhã de novembro de 1978, o jovem policial americano Ron Stallworth deteve seu olhar em um classificado no jornal. "Ku Klux Klan. Para sua informação", dizia o anúncio, seguido de um endereço para envio de cartas. Por Patricia Sulbarán Lovera Do BBC Filme de Spike Lee conta história de investigação da polícia americana que informou o FBI sobre movimentação da Ku Klux Klan nos anos 1970 (FOCUS FEATURES) Ele respondeu o anúncio, imaginando que isso poderia levá-lo a uma investigação que daria um impulso em sua carreira de detetive. Mas havia um detalhe: Stallworth, de 25 anos, era um homem negro querendo se infiltrar no grupo mais conhecido de supremacistas brancos dos Estados Unidos, famoso por suas perseguições racistas. Mas o que parecia impossível aconteceu e, décadas depois, a história do policial se transformou no filme BlacKkKlansman (Infiltrado na Klan, em português), dirigido pelo cineasta Spike Lee, que estreou na última ...

    Leia mais
    O famoso letreiro Hollywood, em Los Angeles. Foto: Kevork Djansezian/ Reuters

    Apenas 4 mulheres negras dirigiram filmes de Hollywood nos últimos dez anos

    Apesar de avanços, a diversidade racial e de gênero no cinema norte-americano cresceu pouco e atrizes ainda são ridicularizadas Por CAIO NASCIMENTO, do Estadão O famoso letreiro Hollywood, em Los Angeles. Foto: Kevork Djansezian/ Reuters As discussões recentes sobre racismo em Hollywood levaram vitórias ao mundo do audiovisual. Depois de um Oscar 2016 polêmico, sem indicações de atores negros pelo segundo ano consecutivo, a edição de 2017 foi a primeira em que três mulheres negras foram indicadas a uma mesma categoria. Viola Davis, Naomie Harris e Octavia Spencer concorreram ao prêmio de melhor atriz coadjuvante. Apesar dos avanços, o cinema norte-americano continua branco e masculino. Um estudo da Universidade do Sul da Califórnia (USC) alertou que em dez anos, em meio aos 1.100 principais filmes hollywoodianos, apenas quatro diretoras negras estiveram à frente das produções. Além disso, 70% dos personagens das cem melhores obras de 2017 são brancos. A autora da tese O sensível ...

    Leia mais

    Novo filme de Spike Lee traz música inédita de Prince

    "Mary Don't You Weep" foi gravada pelo falecido cantor em 1983 e estava esquecida em seu arquivo pessoal Do NOTÍCIAS AO MINUTO Foto: © REUTERS/Chris Pizzello O novo filme de Spike Lee, 'Infiltrado na Klan', conta com uma trilha sonora de peso: a música inédita do falecido cantor Prince, "Mary Don't You Weep". Gravada em 1983, a canção estava esquecida no arquivo pessoal do cantor e só foi divulgada após sua morte, segundo o site Adoro Cinema. O diretor conta como a música veio parar em suas mãos em entrevista à Revista Rolling Stone. "Sabia que precisava de uma canção para os créditos finais. Fiquei muito próximo de Troy Carter, um dos executivos do Spotify. Então, o convidei para uma exibição privada. E depois, ele disse, 'Spike, tenho a música'. E era "Mary Don’t You Weep", gravada em fita K7 em meados dos anos 1980. Prince queria que eu usasse essa música, ...

    Leia mais
    REPRODUÇÃO/TVT

    Para produtores e diretores negros, fazer cinema no Brasil ainda é ‘uma guerra’

    Exemplo do problema é personificado em Viviane Ferreira, segunda cineasta negra, à frente da direção solo de um longa de ficção no Brasil. "A gente não tem referência", disse, no programa "Entre Vistas", da TVT Da Rede Brasil Atual  Viviane Ferreira afirma que negros têm mais dificuldades em acessar recursos para fazer cinema (REPRODUÇÃO/TVT) Um debate profundo sobre a realidade da produção audiovisual feita por negros no Brasil. Assim foi a participação da cineasta Viviane Ferreira no programa Entre Vistas, da TVT, na última terça-feira (7), apresentado pelo jornalista Juca Kfouri. Diretora dos documentários Dê sua ideia, debata, Festa da Mãe Negra e Marcha Noturna e Peregrinação, Viviane trouxe à tona mais uma faceta do racismo existente na sociedade brasileira: a dificuldade de pessoas negras fazerem cinema. Seu próprio caso é exemplo desta realidade. Ela é apenas a segunda cineasta negra, à frente da direção solo de um longa de ficção no Brasil. Ainda ...

    Leia mais
    Bruce Mars on Nappy

    Jéssicas: Cineasta procura histórias de mulheres, uma delas pode ser a sua

    Como a  iniciativa é muito importante e interessante, o blog compartilha. Você conhece alguém ou passou pela experiência? Entra em contato. Por Arísia Barros no Cada Minuto A cineasta Ana Muylaert, diretora do filme Que horas ela volta? busca histórias reais de meninas que acessaram o ensino superior através dos programas de acesso que transformaram as universidades brasileiras na última década para a realização do documentário JÉSSICAS. Aconteceu com você? Conhece alguma amiga que conseguiu romper o ciclo histórico de poucas oportunidades de estudo e ingressou no ensino superior pelo PROUNI, COTAS ou FIES ? Valem histórias de profissionais já formadas que estão no mercado nacional ou já ganharam o mundo e priorizo mulheres fora do eixo RJ-SP  OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: Por já ter encontrado muitas profissionais de humanas, priorizamos também histórias de profissionais de Ciências Exatas e Biológicas (medicina, tecnologia, engenharias, pessoal do mundo digital, da aeronáutica, computação... etc). Envie ...

    Leia mais
    Reprodução/Facebook

    Jeferson De, Spike Lee e o novo Cinema Negro

    Essa semana começa duas mostras interessantes em São Paulo, uma delas é “Spike Lee e o Novo Cinema Negro”, que estreia amanhã (24) no Centro Cultural São Paulo, onde serão apresentados nove filmes do ator. A outra reúne uma maior quantidade de filmes e uma pluralidade de gêneros, embora mantenha seu foco, o 13° Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo, que tem seu início marcado para o dia 25 (quarta). Por  Tadeu Elias Conrado, do A Lanterna Mágica Reprodução/Facebook O que esses dois eventos têm em comum? A mostra do diretor Spike Lee já mostra em seu título, já o Festival Latino-Americano traz como homenageado o realizador Jeferson De, que começou suas manifestações em prol do cinema negro muito antes de entrar em pauta o sistema de cotas raciais (iniciada em 2003) com a criação do Dogma Feijoada, no ano 2000. O manifesto estabelecia que: 1) o ...

    Leia mais
    20 de julho de 2018 - Filme "Kbela" (BRA), de Yasmin Tainá. - CADERNO 3 - 21c30601 - ALILE DARA

    Um cinema carente de cor

    Ações coletivas de pesquisadores e artistas debatem a desigual presença do negro na cinemtografia do Brasil por Antonio Laudenir no Diário no Nordeste 20 de julho de 2018 - Filme "Kbela" (BRA), de Yasmin Tainá.- CADERNO 3 - 21c30601 - ALILE DARA Preciso, Zózimo Bulbul (1937-2013) alertou sobre a vital necessidade do povo negro contar as próprias narrativas. Com trajetória marcada pela construção de uma cinematografia afro brasileira, para o ator e diretor era urgente a necessidade de contar essas vivências através do campo audiovisual. Entretanto, além de estarem configuradas através dos filmes, precisam ser contadas por quem as viveu e sentiu na pele. Compreendendo e inseridos totalmente neste espírito, o grupo Negritude Infinita de Fortaleza vem promovendo ações pontuais no sentido de evidenciar a arte cinematográfica empreendida por realizadores e realizadoras negras. O mais recente esforço nesse sentido começou na última sexta-feira (13), com a ...

    Leia mais

    Estudantes criam vaquinha para realizar Mostra de Cinema Negro em Curitiba

    Protagonizados por mulheres e homens negros, evento propõe uma nova construção de olhares e narrativas Do Brasil de Fato  "Espelho do outro" é um filme pensado e dirigido por Kariny Martins, estudante de cinema e uma das organizadoras do evento / Kariny Martins Nos dias 27, 28 e 29 de julho acontece na Cinemateca de Curitiba a “Mostra de Cinema Negro Brasileiro”. Organizado por estudantes de cinema e audiovisual negros da Faculdade de Artes do Paraná, a mostra reúne filmes dirigidos e protagonizados por mulheres e homens negrxs, propondo uma nova construção de olhares e narrativas. Filmes contemporâneos como Peripatético, da Jéssica Queiróz, Nada, de Gabriel Martins, e Travessia, da Safira Moreira, estão na programação. “A ideia surgiu quando percebemos que, nos quatro anos de graduação, nenhum dos nossos professores mencionou cineastas negros brasileiros ou cineastas do continente africano. Nós, enquanto realizadores e pesquisadores, já conhecíamos alguns realizadores negros e achamos ...

    Leia mais

    Diretor de Corra! fará série de ficção científica para o YouTube Premium

    Weird City será uma antologia com seis capítulos situados em um futuro não tão distante Do  ROLLING STONE Foto: Anthony Behar/Sipa USA/AP Jordan Peele, diretor do aclamado Corra! (2017), está trabalhando em uma série de ficção científica cômica para o YouTube Premium, vertente paga do famoso site de vídeos. Intitulada Weird City, a produção também conta com Charlie Saners (Key & Peele) como coautor. A princípio, o programa será uma antologia de seis histórias (uma por episódio), se passando na metrópole futurista de Weird. A cidade, segundo o diretor, existe em um “mundo próximo ao nosso, mas um pouco mais estranho”. A coletânia abordará temas filosóficos através do humor ácido e certeiro que marcou o sucesso do longa de estreia de Peele, vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Original. Weird City está em desenvolvimento há alguns anos, e inicialmente seria transmitida através do canal Hulu. Ainda não há data de estreia exata, mas os episódios devem ...

    Leia mais

    Oficina de Roteiro de Documentário Afro centrado

    A oficina de roteiros negros pretende debater roteiros a partir da exibição de curtas metragens de realizadores e realizadoras negras brasileiras, com o intuito de perceber novos olhares e tendências estéticas do cinema negro contemporâneo e criação de novas narrativas para o cinema negro. Serão 5 encontros que acontecerão aos sábados, nas datas: 11/08, 18/08, 25/08, 01/09 e 08/09, no horário de 09:30 às 12:30. Do Facebook   Reprodução/ Facebook A oficina será ministrada por Rosa Miranda, primeira mulher negra formada em licenciatura em Cinema e Audiovisual no Mundo. Como arte-educadora atua desde 2012 tendo ampla experiência com o público infanto juvenil. Como cineasta realizou mais de 17 produções cinematográficas além de produzir diversos eventos culturais ligados a promoção da sétima arte negra como: palestras, debates, mesas, cursos de formação, oficinas de cinema negro em diversos estados do Brasil. Ministrou aulas sobre história do cinema negro brasileiro, como professora convidada ...

    Leia mais

    Você pode ajudar o cinema brasileiro feito por mulheres negras

    A equipe pretende ir à Moçambique no início de Agosto e, para ajudar, estão com uma campanha de financiamento coletivo Por Rani de Mendonça Do Brasil de Fato A diretora Débora Britto e parte da equipe, com as baianas Safira Moreira, diretora de fotografia e Gabriela Palha, responsável pelo áudio. / Reprodução/ Brasil de Fato O audiovisual brasileiro tem uma história de vida bem recente, comparado aos outros países, sobretudo da Europa. E, isso influencia diretamente na forma de fazer e de contar histórias através do áudio e do vídeo, juntos. No Brasil, segundo os dados do Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual, em 2017, foram apenas 3.425 filmes registrados com o Certificado de Produto Brasileiro, que é um documento que dá garantia de que o filme é um produto nacional. É como uma certidão de nascimento que prova a titularidade da obra audiovisual brasileira. E ...

    Leia mais

    Diretor de ‘Corra!’ pode produzir sequência para o filme

    Produtor do longa-metragem ganhador do Oscar falou sobre os planos em entrevista Do Noticias ao Minuto  © DR O produtor Jason Blum, responsável pelo longa-metragem 'Corra!' (2017) afirmou em reportagem que o filme pode ganhar uma segunda parte. Em entrevista à revista Variety, Blum disse que gostaria de colocar o plano em ação, mas que isso depende do aval do diretor, Jordan Peele. “Se ele quiser fazer um outro filme, eu faço em um segundo. Mas isso precisa vir de Jordan Peele. Acredito que ele está flertando com a ideia”, afirmou. A trama conta a história de Chris Washington (Daniel Kaluuya), um homem negro que vai conhecer a família da namorada branca pela primeira vez, até que situações estranhas começam a acontecer na casa. O filme recebeu o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado neste ano.

    Leia mais

    Cinema negro: filmes feitos por negros e com temática negra

    Dois cineastas estão nessa categoria e merecem destaque Por Simone Lemos Do Jornal USP Foto: Reprodução/acritica O americano Spike Lee foi indicado ao Oscar, em 1989, pelo filme Faça a Coisa Certa, e o brasileiro Joel Zito Araújo ganhou diversos prêmios com A Negação do Brasil e Raça e outras obras. Segundo o professor Ricardo Alexino Ferreira, da coluna Diversidades, o Cinema Negro é um gênero que se refere a filmes que abordam o cotidiano negro: as suas afirmações e contradições. Ele cita os diretores símbolos desse gênero, Spike Lee e Joel Zito Araújo, porque considera que os dois têm muita coisa em comum, além da formação acadêmica aprimorada. Spike Lee é mestre e professor da Universidade de Nova York e Joel Zito é doutor em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP. As obras dos dois servem de reflexão social. O filme Pantera Negra, de Ryan Coogler, não está ...

    Leia mais

    Resistência negra no cinema brasileiro: Um diálogo com a diretora Camila de Moraes

    Fotografia: Alf Ribeiro O interesse pelo cinema surgiu quando a jornalista Camila de Moraes, 31 anos, ainda estudava jornalismo na cidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, onde nasceu e viveu a maior parte da vida. Mulher negra, a jovem gaúcha acredita, no entanto, que a sétima arte é um segmento predominantemente elitista e, consequentemente, dominado por brancos. À base de muito suor, e na contramão da tendência, Camila estreou no cinema nacional em maio de 2017, com o longa-metragem O Caso do Homem Errado. O documentário de pouco mais de uma hora foi escrito, dirigido e produzido pela jornalista e sua companheira, Mariani Ferreira.  A produção, que está em cartaz no cinema do Museu Geológico da Bahia, ganhou o prêmio de melhor filme no 9º Festival Internacional Cinema Latino-Americano de São Paulo. Por Henrique Oliveira e Tailane Muniz*, do Revista Rever  O filme conta a história do operário Júlio ...

    Leia mais

    Diretora de ‘Uma Dobra no Tempo’: ‘Meninas podem salvar o mundo’

    Ava DuVernay, primeira mulher negra a dirigir uma produção de mais de US$ 100 milhões, fala sobre racismo e inclusão Por Mariane Morisawa Do Veja Cena do filme 'Uma Dobra no Tempo' (Divulgação/Veja) Com Selma – Uma Luta pela Igualdade (2014), Ava DuVernay foi a primeira mulher negra a concorrer ao Globo de Ouro de direção. Agora, com Uma Dobra no Tempo, ela é a primeira mulher negra a comandar uma produção de mais de 100 milhões de dólares (cerca de 333 milhões de reais). “Temos de chegar a um ponto em que somos tantos que deixamos de ser uma pauta”, disse a americana de 45 anos ao site de VEJA, referindo-se à escassez de mulheres e pessoas não-brancas em geral na posição de diretor. A fábula infanto-juvenil Uma Dobra no Tempo, que é baseada no livro de Madeleine L’Engle e estreia no Brasil nesta quinta-feira (29), tem um elenco inclusivo: ...

    Leia mais
    Página 6 de 16 1 5 6 7 16

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist