Tag: cotas raciais

    blank

    “A elite intelectual teve de dividir seus privilégios”

    Unicamp adota cotas étnicos-raciais e abre caminho para a queda da resistência paulista ao sistema. “Foi um momento ímpar, mas veio com atraso”, diz professora Por Monique Oliveira Do Brasileiros Foram seis horas de debate no órgão deliberativo máximo da Unicamp, o Consu (Conselho Universitário), e mais de uma década de luta de movimentos sociais. Em decisão histórica nesta terça-feira (30), a Universidade Estadual de Campinas aprovou o sistema de cotas étnico-raciais na graduação e deu um passo importante para ser o ensino superior paulista um reflexo da composição demográfica brasileira. Prevista para o vestibular de 2019, a proposta estabelece a reserva de vagas para negros, pardos e indígenas em todos os cursos e turnos em modelo ainda a ser definido pela universidade. A aprovação foi comemorada – mas ficam as marcas de uma disputa complexa, permeada por resistências. Enquanto a primeira universidade a adotar o sistema, a UERJ (Universidade Estadual do Rio de ...

    Leia mais
    blank

    Unicamp aprova cotas raciais para os cursos de graduação a partir do vestibular 2019

    Pauta começou a ser negociada na greve de estudantes que aconteceu entre maio e agosto de 2016 Por Michele da Costa Do Brasil de Fato O Conselho Universitário (Consu) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) aprovou, por unanimidade, o princípio de cotas raciais nos cursos de graduação no fim da tarde desta terça (30). Isso significa que a instituição reconhece a necessidade de alteração da política de ingresso nos cursos de graduação para inclusão de cotas para pretos, pardos e indígenas, e que criará um Grupo de Trabalho (GT) para elaborar uma proposta que inclui a implementação progressiva de cotas raciais e o vestibular indígena, a ser colocada em prática a partir de 2018 (para ingresso em 2019). Segundo o coordenador do Diretório Central de Estudantes (DCE), Guilherme Montenegro, uma proposta de implantação da política de cotas raciais deverá ser apresentada até 21 de novembro. "Essa aprovação não é o fim da discussão sobre cotas, mas ...

    Leia mais
    blank

    Dossiê Conversa de Historiadoras Negras – Cotas na Unicamp Já!

    Na próxima terça-feira, dia 30 de maio de 2017, o Conselho Universitário da Unicamp decidirá a respeito da adoção das cotas raciais no sistema de ingresso dos seus cursos de graduação. A mobilização está intensa e animada. Já nesta segunda-feira, 29, será realizado um Festival/Ato pelas Cotas, que contará com a participação de ativistas, artistas e demais membros da comunidade acadêmica. Do Conversa de Historiadoras O Blog Conversa de Historiadoras se soma à essa onda contra o racismo e, portanto, em defesa da democracia, apresentando hoje um papo coletivo preto, o Dossiê Conversa de Historiadoras Negras − Cotas na Unicamp Já!, escrito por quatro mulheres que estiveram e/ou estão na Unicamp como discentes e docentes: Ana Flávia Magalhães Pinto, Giovana Xavier, Lucilene Reginaldo e Taina Aparecida Silva Santos.   “Enxugando gelo”: as cotas em debate na Universidade Estadual de Campinas Lucilene Reginaldo, Professora do Departamento de História – Unicamp Na próxima semana, ...

    Leia mais
    blank

    Primeiro barítono negro se forma no curso de canto lírico, da UFJF

    Elmir Santos cola grau, nesta quarta- feira (17), e apresenta recital com repertório voltado para a cultura negra Por FRANCO MALHEIRO, do O Tempo O barítono Elmir Santos, 33 é primeiro homem negro a se formar em canto lírico, na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Trajando smoking e com um turbante africano na cabeça, como símbolo de resistência. É dessa forma que o barítono Elmir Santos, 33 - primeiro homem negro a se formar em canto lírico, na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) -  apresenta seu recital de conclusão de curso, nesta quarta-feira (17), às 19h30, no auditório Geraldo Pereira, na UFJF, em Juiz de Fora, Zona da Mata do Estado. O primeiro contato de Santos com a música lírica foi quando ele tinha 10 anos. Na época, ele participou de um concurso realizado pela Prefeitura de Juiz de Fora, que selecionava cantores nas escola municipais da ...

    Leia mais

    País tem “dever de reparação histórica”, diz Barroso sobre lei de cotas para negros

    Cinco ministros já consideraram constitucional a lei de reserva de vagas. Basta que mais um tenha o mesmo entendimento para cessarem os questionamentos Por Alessandra Azevedo Do Concursos O Supremo Tribunal Federal (STF) começou a julgar ontem se a lei (nº 12.990/2014) que institui cotas para negros em concursos públicos é ou não constitucional. A Corte tende a entender que a reserva de 20% das vagas deve valer para todos os certames, tanto da administração direta quanto de empresas públicas e autarquias, não apenas para ingresso em universidades. Foi nesse sentido o voto dos cinco ministros que foram ouvidos ontem, antes que a sessão fosse encerrada, por volta das 18h. Além do relator, Luís Roberto Barroso, os ministros Edson Fachin, Rosa Weber, Luiz Fux e Alexandre de Moraes consideram que a lei não ofende a Constituição. Pelo contrário, os magistrados acreditam que, diante da realidade racista que o Brasil ainda vive, ...

    Leia mais
    blank

    Universidade de Pelotas adota cotas para mestrado e doutorado

    Todos os 44 cursos de pós-graduação da UFPel vão reservar 25% das vagas para ações afirmativas. Medida já é adotada por outras universidades Por Cleuci de Oliveira e Ferraz Ian Do Metro Poles A Universidade Federal de Pelotas (UFPel) aprovou, nesta quarta-feira (26/4), a destinação de 25% das vagas dos cursos de pós-graduação (mestrado, doutorado e especializações) a indígenas, deficientes físicos e afrodescendentes. O sistema de cotas será implementado imediatamente e passa a valer nos próximos processos seletivos. A medida foi aprovada por unanimidade pelo conselho universitário da UFPel. A universidade conta com 44 cursos de pós-graduação e o de educação física será o primeiro a testar alunos nesse novo sistema, em junho. A distribuição das vagas, em todos os cursos, será de 20% para cotas raciais e 5% a deficientes físicos. “O objetivo é garantir uma maior diversidade. As cotas chegaram na pós-graduação como consequência do trabalho feito na graduação. A universidade era elitista e ...

    Leia mais
    blank

    Unicamp pune estudante negro por ativismo a favor de cotas raciais

    Unicamp persegue e impõe suspensão de dois semestres a estudante negro, ativista do movimento de luta por cotas raciais na universidade. Por Douglas Belchior Do Negro Belchior Em nota, o Diretório Central dos Estudantes da Unicamp detalha a perseguição racista que o estudante Guilherme Montenegro tem sofrido por parte da reitoria desta universidade. Montenegro tem sido alvo de insultos e até ameaças sem que, no entanto, a reitoria se manifeste sobre isso. Ou seja, a universidade pune um estudante negro por seu ativismo por cotas raciais e democratização da instituição e por outro, é conivente com práticas racistas em seu ambiente. Segue abaixo o relato de Guilherme Por Guilherme Montenegro Ao entrar na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) qualquer aluno se depara com a caracterização de uma universidade de ponta, grande polo científico e tecnológico brasileiro, mas ainda assim é impossível não notar a expressão da desigualdade. Ser um estudante negro em uma universidade majoritariamente branca me ...

    Leia mais
    blank

    Nós viemos para bagunçar os lugares da mesa

    Por Taina Aparecida Silva Santos* – Uma reflexão sobre a luta por cotas nas universidades estaduais paulistas, em particular na Unicamp Do Negro Belchior Falar sobre o atual panorama da luta por cotas nas universidades estaduais paulistas, em particular na Unicamp, me remete a pensar numa epígrafe contida no texto Racismo e sexismo na cultura brasileira, de Lélia Gonzáles. Ela diz o seguinte: “Foi então que uns brancos muito legais convidaram a gente prá uma festa deles, dizendo que era pra gente também. Negócio de livro sobre a gente, a gente foi muito bem recebido e tratado com toda a consideração. Chamaram até para sentar na mesa onde eles estavam sentados, fazendo discurso bonito, dizendo que a gente era oprimido, discriminado, explorado. Eram todos gente fina, educada e viajada por esse mundo de Deus. Sabiam das coisas. E a gente foi sentar lá na mesa. Só que tava cheia de gente ...

    Leia mais
    blank

    Cotas raciais aprovadas no Instituto de Economia da UNICAMP

    Sobre o processo de COTAS no Instituto de Economia (IE) da Unicamp: Por Aquiles Coelho Silva Do Negro Belchior O processo de Cotas no IE começa a ganhar força ainda no primeiro semestre de 2016. O cenário de recente aprovação de Cotas no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) e o debate avançado que estava ocorrendo na Faculdade de Educação (FE) foram inspirações para que pessoas conseguissem levar adiante a discussão em seus institutos, foi o caso do IE, do Instituto de Geociências, do Instituto de Artes dentre outros. No IE, bem como nos outros espaços, foram promovidas atividades (tanto por parte do centro acadêmico, quanto da Frente Pró Cotas) com o fim de inteirar as pessoas sobre o debate de Cotas em âmbito nacional e internacional, bem como repensar as relações raciais no e a História do negro no Brasil. Estas atividades tinham como público alvo os estudantes, ainda ...

    Leia mais
    blank

    Barrar Fraudadores das Cotas

    Em Salvador, os movimentos negros se mobilizam para continuar pressionando o Tribunal de Justiça, que vem postergando decisão sobre mandado de segurança em benefício de fraudadores de edital de concurso de procuradores, com cotas de 30% para pretos e pardos. Por Edson Lopes Cardoso Do Brado Negro Se todos podem ser negros, a legislação carece de sentido. E o resultado não previsto na legislação é que ela acabe beneficiando pessoas de fenótipo branco. Um tipo de miscigenado, que já havia feito a passagem da linha de cor, pois o seu fenótipo assim o permitia, quer a vaga destinada aos negros, é simples assim. A vigilância dos movimentos negros tem conduzido a resistência a essa grave distorção. “Descubra suas origens genéticas com nossos exames exclusivos de ancestralidade por DNA”, esse é o anúncio de empresas a que tem recorrido os candidatos que assumem a identidade negra com o objetivo exclusivo de beneficiar-se ...

    Leia mais
    blank

    Adiado julgamento de cotas raciais em concurso público de Salvador

    Candidatos que foram eliminados do concurso de procurador do município questionam fato na justiça Por Carol Aquino Do Ibahia Foi adiado mais uma vez o julgamento de três mandados de segurança que questionam a eliminação do concurso de Procurador Geral do Município de Salvador de candidatos que não tiveram sua condição de afrodescendentes confirmada pela comissão de verificação do certame. Alan da Fonseca Sá Barreto de Freitas, Catarina Coelho Velloso e Maíra Mutti Araújo questionam a decisão da Comissão e entraram na Justiça depois que foram considerados reprovados na avaliação. A sessão que julgaria os processos nesta quinta-feira (23) foi adiada para o próximo dia 27 porque o desembargador Jatahy Fonseca pediu vistas do processo. O Edital nº 01 de 18 de agosto de 2015 reservava 30% das vagas para candidatos afrodescendentes, que se autodeclarassem pretos ou pardos. As normas previam que a autodeclaração poderia ser submetida a posterior verificação. Duas ...

    Leia mais
    blank

    Para ser médico, um branco vira negro

    A implementação da política de ações afirmativa de cotas raciais no Brasil foi extremamente exaustiva. A falta de capacidade da sociedade brasileira em reconhecer que o processo de escravização dos negros gerou consequências sócio-econômicas que obstam metade da população brasileira de acessar os direitos mais básicos de cidadania, foi responsável pela reprodução falaciosa de uma série de discursos enviesados e desonestos, calcados em uma lógica meritocrática hipócrita que inclusive circundou nas academias brasileiras através de pesquisadores reconhecidos das ciências humanas. Por Winnie Bueno, do Justificando  Foto: RAWPIXEL.COM A primeira instituição federal de ensino superior a adotar cotas raciais nos seus processos seletivos foi a Universidade de Brasília. A época não havia uma norma nacional que regulasse a adoção de políticas públicas de inclusão nas universidades, as instituições possuíam total autonomia para gerir as formas de ingresso. A UNB  optou, visando coibir futuras fraudes, por estabelecer uma comissão que apurasse a pertença ...

    Leia mais
    Brasília(DF), 13/01/2017 - A vida depois de - Mariana Fernandes - Foto: Michael Melo/Metrópoles

    Como as cotas raciais transformaram a vida de Mariana Fernandes

    Ela foi a primeira da família a conquistar um título de pós-graduação e credita seu sucesso às políticas de inclusão Por MARIANA AREIAS, do Metrópoles  MICHAEL MELO/METRÓPOLES O orgulho das origens está em cada detalhe do visual de Mariana Fernandes, 26 anos, mestre em história pela Universidade de Brasília (UnB). O cabelo crespo e os adereços afro são uma declaração de resistência, em uma sociedade que discrimina pela cor da pele. Mariana conheceu o preconceito quando começou o ensino médio em um colégio particular de Brasília. Antes, frequentava escolas públicas. Na nova realidade, em uma sala de aula lotada, acostumou-se a olhar para os lados e não se reconhecer no que via. Era a única negra da turma. Ter cabelo enrolado, pele escura, morar na periferia e participar de uma religião de matriz africana não era comum naquele espaço. Isso ocorre porque brancos e negros não têm as mesmas ...

    Leia mais
    blank

    Sistema de cotas na pós-graduação é aprovado na UFBA | Universidade Federal da Bahia

    Serão reservadas, no mínimo, 30% das vagas ofertadas Todos os processos seletivos para os cursos de pós-graduação stricto sensu da Universidade Federal da Bahia (doutorado e mestrados acadêmicos e profissionais) irão adotar o sistema de cotas: serão reservadas, no mínimo, 30% das vagas ofertadas para candidatos negros (pretos e pardos) e uma vaga a mais em relação ao total ofertado nos cursos para candidatos enquadrados em cada uma das categorias de quilombolas, indígenas, pessoas com deficiência e trans (transgêneros, transexuais e travestis). Fonte: UFBA O sistema de reserva de vagas foi aprovado na forma de resolução na manhã da quarta-feira, 11 de janeiro, no Conselho Acadêmico de Ensino (CAE), órgão que delibera sobre vagas para ingresso tanto na graduação quanto na pós, e já começará a valer para as seleções do segundo semestre de 2017. A ação afirmativa, segundo o reitor João Carlos Salles, tem o objetivo de aumentar a participação de grupos sub-representados ...

    Leia mais
    Bento Viana

    Candidatos negros podem concorrer a bolsas de estudo no valor de R$ 30 mil

    Foi publicado, no Diário Oficial da União desta quarta-feira (04/01), o edital referente à Bolsa-Prêmio de Vocação para a Diplomacia, destinada a afro-brasileiros. No total, serão concedidas 20 bolsas de estudo a candidatos pretos e pardos a fim de que possam custear os estudos preparatórios para a carreira diplomática. Os interessados em receber o valor de R$ 30 mil terão de realizar provas objetivas, passar por entrevistas e apresentar um plano de estudos. Acesse o documento aqui. Fonte: SEPPIR As bolsas integram o Programa de Ação Afirmativa (PAA), criado pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE), por meio do Instituto Rio Branco (IRBr). O objetivo é ampliar as condições de ingresso de brasileiros negros na carreira de diplomata e, com isso, proporcionar a diversidade étnica do Serviço Exterior Brasileiro. São parceiros desta iniciativa, a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), do Ministério da Justiça e Cidadania (MJC); ...

    Leia mais
    blank

    Alunos brancos são expulsos de universidade federal após fraudarem sistema de cotas

    Reitoria da UFPel (RS) decidiu cancelar as matrículas das 24 pessoas do curso de medicina por fraude em sistema de cotas. Denúncia foi publicada pela Ponte Jornalismo em 9 de dezembro deste ano Fonte: Ponte por Giorgia Cavicchioli Estudantes brancos que fraudaram o sistema de cotas para negros e indígenas para entrar no curso de medicina da UFPel (Universidade Federal de Pelotas), do Rio Grande do Sul, foram expulsos da instituição. A decisão foi confirmada nesta sexta-feira (30/12). A reitoria decidiu cancelar as matrículas e desligar, ao todo, 24 pessoas. Nota publicada no site da própria universidade diz que a resolução foi “em função do não reconhecimento da condição de cotistas”. Os estudantes que fraudaram o sistema, que tiveram seus recursos negados, já foram comunicados do desligamento. A faculdade de medicina também já foi notificada das expulsões. Para preencher as vagas, a reitoria da Universidade decidiu que abrirá um edital no ...

    Leia mais
    blank

    Associação vai exigir ações afirmativas para negros/as no audiovisual

    Homens negros representam menos de 2% das lideranças profissionais em grandes produções audiovisuais; as mulheres negras estão completamente ausentes Por Marina Pita, do Carta Capital  “A melhor resposta que poderíamos dar a essa conjuntura de avanço do conservadorismo nos níveis municipal, federal e internacional era essa”, afirmou a advogada e cineasta Viviane Ferreira, ao analisar a criação da Associação dos/as Profissionais do Audiovisual Negro (Apan). A organização será formalizada publicamente nesta sexta-feira 2, durante a realização da série Diálogos Ausentes e 1º Seminário Audiovisual Negro. A partir de então, a Apan passará também a compor o Conselho Consultivo da SPCine – empresa de cinema e audiovisual de São Paulo ligada à Secretaria Municipal de Cultura –, criando mais uma frente de reivindicação e demanda para políticas de incentivo ao audiovisual negro. Em uma das mesas de debate do Encontro SPCine, realizado entre 16 e 18 de novembro, em São Paulo, a ...

    Leia mais
    Foto: Gabriel Brito/Correio da Cidadania

    Douglas Belchior: Racismo à brasileira

    Foto: Gabriel Brito/Correio da Cidadania No Idec O Dia da Consciência Negra está oficialmente no calendário brasileiro, mas não é feriado nacional. Apenas um quinto dos municípios do País celebram o 20 de novembro. Embora sutil, esse fato já sugere a dificuldade que o Brasil tem de lidar com a questão racial e de reconhecer as consequências de quase 400 anos de escravidão, avalia Nesta entrevista, realizada na sede da Uneafro – rede de educação popular do qual é membro e fundador –, em São Paulo (SP), Belchior fala sobre como o racismo estrutura as desigualdades no Brasil, cotas raciais, representatividade na mídia, na política e no mercado de consumo. O Dia da Consciência Negra foi incluído no calendário nacional em 2003 e oficializado em 2011. Porém, até o ano passado, pouco mais de mil municípios comemoravam a data. A que se deve essa baixa adesão? ...

    Leia mais
    blank

    A odisseia de um jovem negro na Universidade

    Nos últimos meses tem sido uma constante falar da perda de direitos que a sociedade brasileira tem enfrentado e que se agudizará daqui pra frente. Já está claro pra quem entendeu as primeiras medidas do Governo Federal que a grande prejudicada com estas medidas será a população mais pobre, uma população majoritariamente negra. Em algumas áreas, a perda será pouca porque não houve uma melhora significativa nos últimos anos. Por LUCIANO CERQUEIRA, do Brasil 247  Quando olhamos para questão do direito à vida, por exemplo, vemos que mesmo quando as finanças estavam melhores houve uma piora significativa, pois o número de jovens negros assassinados só fez aumentar. Na área de saúde, a redução do orçamento proposta pela PEC 241, ou PEC 55, trará o fim de alguns programas que atendem à população mais pobre (como a Farmácia Popular, por exemplo), e aqui já podemos notar que as perdas serão grandes. Mas ...

    Leia mais
    Felipe Larozza/VICE

    Djamila: nenhum passo para trás nas ações afirmativas

    Para a pensadora Djamila Ribeiro, é preciso resistir ao desmantelamento de políticas públicas, além de ser imprescindível priorizar a questão racial nas discussões sobre desigualdades Por Maitê Freitas Do Rede Brasil Atual Felipe Larozza/VICE Foi o pai de Djamila Ribeiro que a batizou com o nome africano, cujo significado é "beleza". Filha de um estivador comunista, sua base educacional, em Santos, litoral paulista, incluiu xadrez e uma boa dose de formação política. Para a mestre em Filosofia Política, feminista e atual secretária municipal adjunta de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, é momento de resistir ao retrocesso e consequente desmantelamento de políticas públicas. "Mas é imprescindível que a esquerda brasileira entenda de uma vez por todas que não dá para se fazer um debate sério sem pensar a questão racial como principal", acrescenta. "Queremos ser as pessoas que pensam essas políticas, como protagonistas." Formada na segunda ...

    Leia mais
    Página 4 de 40 1 3 4 5 40

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist