Tag: George Floyd

Mauro Pimentel/Expresso

Inquérito da ONU por Floyd denuncia racismo sistêmico na polícia no Brasil

O Brasil é arrastado para o centro do debate sobre a violência policial. Num informe apresentado nesta segunda-feira pela ONU e realizado a partir da morte de George Floyd, nos EUA, a violência da polícia brasileira é citada como um dos casos no qual existe racismo sistêmico nas forças de ordem diante das ações e morte de afrodescendentes. A ONU fez um apelo para que governos não deixem os responsáveis pelos crimes sem punição e alertou que a atual situação, no Brasil e no mundo, é insustentável. Nas semanas que seguiram ao caso do assassinato do americano, em 2020, uma resolução foi aprovada no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, dando um mandato para que a entidade realizasse uma investigação sobre a violência policial e racismo. Ainda que o trabalho se concentre principalmente nos EUA, a opção da ONU foi a de ampliar as investigações e avaliar o comportamento ...

Leia mais
George Floyd foi assassinado em 25 de maio por um policial branco, Derek Chauvin, em Mineápolis
Imagem: SHANNON STAPLETON/REUTERS

Ex-policial Derek Chauvin é condenado a 22 anos e meio de prisão pela morte de George Floyd

O ex-policial Derek Chauvin foi sentenciado a 270 meses (22,5 anos) de prisão nesta sexta-feira (25) pela morte de George Floyd, homem negro asfixiado durante uma abordagem policial em maio de 2020, em Mineápolis, nos Estados Unidos. Em sua decisão, o juiz Peter Cahill afirmou que a sentença não foi tomada com base na emoção e na opinião pública e que ele tem a obrigação de aplicar a lei baseada em fatos. Pouco antes da leitura da pena, Chauvin falou pela primeira vez e ofereceu seus pêsames à família de Floyd. Durante todo o julgamento, o ex-policial se recusou a depor em frente ao tribunal. “Quero dar minhas condolências à família Floyd”, disse Chauvin. Segundo a legislação do estado de Minnesota, Chauvin deverá ficar preso por pelo menos 14 anos até poder entrar com o pedido de liberdade condicional – ainda assim, ele seguirá proibido de portar armas de fogo. Em abril, um júri o declarou culpado pela morte ...

Leia mais
Perifa Connection/Divulgação

Um ano depois do assassinato de Floyd, negros ainda sofrem com violência policial

Há um ano, em Minneapolis (EUA), George Floyd, homem negro, pai, segurança e conhecido por seu jeito afetuoso e por gostar de basquete e de futebol, foi assassinado pelo policial militar branco Derek Chauvin. O crime foi cometido sem nenhum pudor diante da câmera do celular da adolescente negra Darnella Frazier. Caso a garota de 17 anos não tivesse publicado o vídeo em uma rede social, possivelmente o crime não teria tido a grande repercussão em nível global, causando revolta e indignação, da população mais humilde a empresários, artistas, organizações sociais e sociedade civil. Em tempos de pandemia, a frase “eu não consigo respirar”, dita pela vítima, virou reivindicação em várias partes do mundo pelo combate ao racismo estrutural. Derek Chauvin foi condenado e espera sua sentença final que pode chegar a 40 anos de reclusão. Nos Estados Unidos, aumentou-se a vigilância ao trabalho de profissionais de segurança pública e ...

Leia mais
Pessoas levantam os punhos enquanto marcham durante um evento em memória de George Floyd em Minneapolis, Minnesota, em 23 de maio de 2021 Foto: Kerem Yucel / AFP

George Floyd, um ano depois: qual o efeito das cenas de violência racista nas vidas das pessoas negras? Uma psicanalista explica

Há exatamente um ano, o americano George Floyd foi assassinado brutalmente por Derek Chauvin, policial branco que, por mais de nove minutos, manteve o joelho sob o pescoço da vítima, mesmo após ouvir inúmeras vezes a frase “eu não consigo respirar”. Toda a ação foi filmada e rapidamente os protestos começaram nos EUA. Em poucos dias, ultrapassaram fronteiras e, em algumas semanas, já era evidente que acabava de começar a maior mobilização contra o racismo desde a morte de Martin Luther King. Mas, para o caso ganhar notoriedade, foi exposta exaustivamente uma dor recorrente entre a população negra: a de terem no imaginário social apenas imagens de seus corpos sendo violentados sem nenhum pudor. Para a doutora em psicologia social e psicóloga do Instituto AMMA Psique e Negritude, Clélia Prestes, a repetição constante das cenas de violência pode causar traumas psicológicos e sociais à pessoa negra. De acordo com ela, ...

Leia mais
Maria Carolina Trevisan (Foto: André Neves Sampaio)

Um ano da morte de Floyd: antirracismo precisa avançar também no Brasil

Desde que George Floyd foi morto, sufocado pelo joelho do policial branco Derek Chauvin, há um ano, nos Estados Unidos, o movimento antirracista não só se consolidou como também se ampliou. De imediato, tomou as ruas e se tornou uma grande mobilização social em diversos estados americanos, mesmo durante a grave pandemia de coronavírus que acometia o país. Os protestos foram uma das forças mais importantes para a troca de liderança na presidência dos Estados Unidos. O então presidente Donald Trump, que negava a existência do racismo e sua influência como motor da violência policial, foi derrubado. Em maio de 2021, outro fato histórico: o ex-policial Derek Chauvin foi considerado culpado pelo júri, por unanimidade, em três categorias de homicídio. Pela primeira vez, o estado de Minnesota responsabilizou um policial pela morte de uma pessoa negra. O reconhecimento da culpa do ex-agente abriu também a possibilidade de revisão de outros ...

Leia mais
Philonise Floyd, irmão de George Floyd, fala em audiência da Comissão Judiciária da Câmara dos Deputadosn (Foto: Foto: Greg Nash -10.jun.2020/ Pool/ AFP/ Getty Images)

Biden receberá família de George Floyd na Casa Branca nesta terça-feira (25)

O presidente dos EUA, Joe Biden, receberá a família de George Floyd na Casa Branca nesta terça-feira (25) para marcar o primeiro aniversário de sua morte nas mãos da polícia, confirmou um funcionário da Casa Branca à CNN. A visita à Casa Branca ocorre quando os legisladores provavelmente perderão o prazo inicial de 25 de maio estabelecido pelo presidente para aprovar um projeto de reforma policial bipartidário. A secretária de imprensa Jen Psaki disse na última sexta-feira (21) que a Casa Branca tem "confiança nas negociações", mas não ofereceu um prazo concreto para quando Biden quer um projeto de lei em sua mesa, dizendo apenas que gostaria que fosse "o mais rápido possível". Biden conheceu a família Floyd em junho de 2020, quando viajou para Houston para oferecer suas condolências antes do funeral de George Floyd. O presidente falou com parentes em algumas ocasiões no ano passado, incluindo uma conversa ...

Leia mais
Manifestação marca o primeiro aniversário da morte de George Floyd em Minneapolis, nos EUA
Imagem: REUTERS / Nicholas Pfosi

Passeata marca um ano da morte de George Floyd em Minneapolis, nos EUA

Familiares de George Floyd e cidadãos de Minneapolis organizaram uma passeata no domingo para marcar o primeiro aniversário da morte do afro-americano por um policial branco, um fato que desencadeou protestos históricos contra a injustiça racial nos Estados Unidos. Quase 1.500 manifestantes ouviram discursos e se uniram aos integrantes da família Floyd e de outras pessoas que morreram em ações da polícia. Floyd, 46 anos, foi assassinado em 25 de maio 2020 pelo agente Derek Chauvin, que se ajoelhou sobre o pescoço da vítima por mais de nove minutos. O agora ex-policial, condenado por um júri por assassinato e homicídio culposo, receberá a sentença em 25 de junho. A passeata começou com discursos nas proximidades do Hannepin County Government Center, no centro de Minneapolis, onde Chauvin foi julgado. "Foi um longo ano, um ano doloroso. Tem sido muito frustrante para mim e para minha família", disse a irmã de George, ...

Leia mais
Moradores de Minneapolis comemoram decisão do júri que considerou ex-policial culpado pela morte de George Floyd - Adrees Katif/Reuters

Pós-veredicto, espera-se que a polícia tire o joelho de nossos pescoços

Pare e escute o sopro de esperança que está no ar; chama-se justiça. “Nunca esqueça que justiça é como o amor se apresenta em público”, nos ensina um dos grandes oradores negros vivos nos EUA, Cornel West. Justiça não é revanche, é a qualidade de despir a barbaridade de seu manto de autoridade e mostrar que o policial, no caso Derek Chauvin, está nu. Nu de razão, nu de poder legal, nu de respeito pelo próximo, nu da humanidade que partilhamos. Nesta terça-feira (20), Chauvin, que, num ato de frieza macabra, espremeu seu joelho no pescoço de George Floyd por longos nove minutos em maio de 2020, foi condenado por três crimes num veredicto unânime, como a lei determina. Chauvin foi condenado por "second-degree unintentional murder" (homicídio não premeditado, mas praticado com malícia criminosa de matar durante uma lesão corporal grave), por "third-degree murder" (ato perigoso sem consideração pela vida ...

Leia mais
A médica Jurema Werneck, diretora da Anistia Internacional Brasil
Imagem: Divulgação/Anistia Internacional Brasil

Diretora da Anistia Internacional: EUA reconheceram morte de Floyd por racismo

A decisão unânime do júri que condenou o ex-policial Derek Chauvin pela morte de George Floyd, nos Estados Unidos, foi o reconhecimento da Justiça americana de que o assassinato decorreu do racismo estrutural do país. A avaliação é da diretora-executiva da Anistia Internacional no Brasil e ativista dos direitos humanos, Jurema Werneck. Em entrevista à CNN nesta quarta-feira (21), ela disse esperar que a condenação de Chauvin inaugure um processo de retirada do racismo das políticas públicas dos Estados Unidos e, também, do Brasil. "Como a vice-presidente disse, uma decisão da Justiça não é tudo, mas é um passo importante. Ali tivemos o reconhecimento pelo sistema judiciário de que aquela morte foi fruto do racismo", afirmou Jurema. Para ela, a mensagem que fica de todas as ações desencadeadas desde a morte de Floyd, ocorrida em maio de 2020, incluindo o afloramento do movimento Black Lives Matter (Vidas Negras ...

Leia mais
20.abr.2021 - Mulher se emociona após saber da condenação de ex-policial Derek Chauvin pela morte de George Floyd, em Minneapolis (EUA) (Foto: Octavio Jones/Reuters)

Lágrimas de alegria e alívio após veredito sobre assassinato de Floyd

"Culpado!". Quando o veredito contra o ex-policial branco Derek Chauvin no julgamento pela morte de George Floyd foi ouvido por um alto-falante, a multidão explodiu de alegria e alívio do lado de fora do tribunal, em Minneapolis. Mais de 200 pessoas se reuniram para ouvir o veredito do julgamento contra o policial acusado de matar Floyd, um afro-americano que morreu asfixiado durante sua prisão, em um caso que gerou protestos contra a injustiça racial em todo o mundo. "Culpado de todas as três acusações", anunciou uma voz masculina em um megafone, enquanto as lágrimas escorriam por vários rostos da multidão. "Hoje celebramos a justiça para a nossa cidade", acrescentou. "Eu não posso acreditar... Culpado", disse Lavid Mack, de 28 anos, de pé em um bloco de concreto para ter uma visão melhor do que estava acontecendo. Ele não achava que Chauvin seria considerado culpado. Uma mulher saiu do meio da ...

Leia mais
Manifestantes pedem justiça no julgamento da morte George Floyd, em Minneapolis (Foto: Stephen Maturen - 9.abr.21/AFP)

Júri começa a discutir veredicto de ex-policial que matou George Floyd

Os Estados Unidos aguardam, a partir desta segunda-feira (19), o veredicto do júri sobre a morte de George Floyd, um homem negro assassinado em 25 de maio do ano passado em Minneapolis, após um policial branco permanecer por quase 10 minutos ajoelhado em seu pescoço. Depois de três semanas de julgamento, em que os jurados ouviram mais de 40 testemunhas e revisitaram, diversas vezes, as imagens e a voz estremecida de Floyd suplicando “eu não consigo respirar”, os argumentos finais foram apresentados nesta segunda. Agora, o júri, composto por sete mulheres e cinco homens, vai debater a portas fechadas até chegar a uma conclusão unânime sobre as acusações que recaem sob Derek Chauvin, 44, o agente que ajoelhou em Floyd. O hoje ex-policial é acusado de assassinato e homicídio culposo e pode receber pena de até 40 anos de prisão. O júri pode decidir condenar ou absolver Chauvin de todas, ...

Leia mais
O advogado Benjamin Crump (à esq.) ao lado de Quincy Mason Floyd, filho de George Floyd  (Foto: Stephen Maturen/Getty Images)

Advogado da família de George Floyd dá bolsas de estudo e quebrou barreiras 

Acusado de matar George Floyd em 25 de maio de 2020, o ex-policial Derek Chauvin teve o julgamento retomado nesta segunda-feira (29), em Minneapolis (EUA), após a seleção do júri demorar mais de 20 dias. Do lado da família de Floyd, está Benjamim Crump, advogado que se notabilizou por batalhas judiciais contra agentes de segurança que cometem abusos. Sua primeira vitória neste caso foi conseguir um acordo civil para a cidade de Minneapolis pagar uma indenização de US$ 27 milhões aos familiares da vítima. O que matou George Floyd foi uma overdose de força excessiva. Ben Crump, advogado norte-americano O ex-policial Chauvin foi filmado ajoelhado sobre o pescoço de Floyd por quase nove minutos, enquanto o detido, já algemado, se queixava 20 vezes de falta de ar. A abordagem servia para checar se Floyd tinha passado uma nota falsa de US$ 20. Após o vídeo ir ao ar, manifestações tomaram ...

Leia mais

Família de George Floyd fecha acordo para receber R$ 150 milhões de indenização

A cidade norte-americana de Minneapolis concordou nesta sexta-feira (12) em pagar US$ 27 milhões (R$ 150 milhões) para encerrar um processo movido pela família de George Floyd por sua morte sob custódia policial. O caso que gerou protestos nos Estados Unidos contra injustiça racial e brutalidade policial. Floyd, um homem negro de 46 anos, morreu em maio do ano passado, quando Derek Chauvin, um policial branco de Mineápolis, ajoelhou-se em seu pescoço por quase nove minutos. Os últimos pedidos de ajuda de Floyd foram capturados em um vídeo amplamente assistido, dando início a um dos maiores movimentos de protesto já vistos nos Estados Unidos. O advogado da família Floyd, Benjamin Crump, disse que o acerto foi o maior acordo pré-julgamento de um processo por homicídio culposo na história do país. O tamanho significa que a morte de um negro nas mãos da polícia "não será mais considerada trivial, sem importância ou indigna ...

Leia mais
Painel com o rosto de George Floyd, assassinado em maio de 2020 por um policial em Minneapolis (Foto: Brandon Bell/Getty Images - Ilustrações: Getty Images)

Software de reconhecimento facial é banido na cidade de George Floyd

A Câmara Municipal de Minneapolis, no estado americano de Minnesota, decidiu na sexta-feira (15), por unanimidade, banir o uso de software de reconhecimento facial pela polícia. Minneapolis foi o epicentro de protestos contra o racismo, nos Estados Unidos e no mundo, depois que o cidadão negro George Floyd foi assassinado pelo policial Derek Chauvin, em 25 de maio de 2020. Minneapolis se une agora a outras cidades, como Boston, Portland e São Francisco, que já baniram a tecnologia. O software que estava em uso pela polícia no município foi desenvolvido pela companhia Clearview AI (a empresa presta serviços também a órgãos do governo federal, na triagem de imigrantes, nas alfândegas e em segurança doméstica). O banimento pela Câmara Municipal se deve aos sinais de que a inteligência artificial que analisa imagens é tendenciosa e pode prejudicar negros e outros grupos raciais. O Departamento de Polícia da cidade, chefiado por Medaria ...

Leia mais
Atila Roque (Foto: Reprodução Fopir/Youtube)

Setor privado tem oportunidade histórica para romper pacto racista

O impacto do racismo sobre a vida das pessoas negras se impôs, em 2020, como um tema inevitável de debate público em quase todas as regiões do mundo. Aos dados que já vinham sendo coletados sobre a alta letalidade da pandemia de Covid-19 nas populações negras em países como Estados Unidos e Brasil, somou-se a onda de protestos decorrente do assassinato de George Floyd, durante uma abordagem policial no estado de Minnesota, nos EUA, em maio desse ano. No Brasil não foi diferente. Os protestos massivos no mundo inteiro deram visibilidade a luta histórica dos negros brasileiros, para que o racismo estrutural seja considerado fator determinante das desigualdades sociais no Brasil. Como diz um manifesto recente da Coalizão Negra Por Direitos, “com racismo não há democracia”. O retrato do país nesse aspecto, em que pese a maioria negra da população, é efetivamente desolador, e um breve olhar para a nossa ...

Leia mais
Darnella Frazier (Arquivo Pessoal)

Adolescente que filmou últimos momentos de George Floyd será premiada por coragem

A americana Darnella Frazier, de 17 anos, que filmou George Floyd sendo sufocado pela polícia, vai receber um prêmio pela coragem de ter registrado a cena. "Com nada além de um celular e muita coragem, Darnella mudou o curso da história deste país", afirma Suzanne Nossel, presidente da Pen America, associação de defesa da liberdade de expressão e dos direitos humanos que vai homenagear a jovem. " acendeu as chamas de um corajoso movimento que pede pelo fim do racismo sistêmico e da violência praticada pela polícia." A homenagem a Darnella será feita no início de dezembro em uma cerimônia virtual que vai substituir o tradicional baile de gala que a instituição oferece para entregar o prêmio "PEN/Benenson Courage Award" (prêmio de coragem da Pen/Benenson). O assassinato de George Floyd pela polícia gerou enorme revolta nos EUA e impulsionou o movimento Black Lives Matter (Vidas negras importam, em inglês), ...

Leia mais
Derek Chauvin/ AFP

Policial acusado da morte de George Floyd é libertado após pagar fiança de US$ 1 milhão

O ex-policial Derek Chauvin, acusado pela morte de George Floyd, ganhou liberdade condicional nesta quarta-feira (7) após o pagamento de US$ 1 milhão (cerca de R$ 5,6 milhões), segundo documentos da Justiça dos Estados Unidos. Ele foi detido em maio após ser flagrado com o joelho sobre o pescoço de George Floyd em Minneapolis, nos Estados Unidos. Chauvin deve cumprir com algumas condições para continuar solto, conforme diz um documento enviado pela Corte ao xerife do distrito de Hennepin County, Minnesota. Segundo o registro, ele não poderá voltar ao trabalho policial e nem se aproximar da família do ex-segurança negro. As acusações às quais Chauvin responde são as seguintes: Homicídio em segundo grau — assassinato intencional não premeditado, quando o autor tem intenção de causar danos corporais à vítima Assassinato em terceiro grau — quando se considera que o responsável pela morte atuou de forma irresponsável ou imprudente A acusação ...

Leia mais

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

No Content Available

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist