Tag: Movimento Negro

    O escritor Oswaldo de Camargo, 84 - Raphael Aguiar/Arquivo Pessoal

    Movimento negro no Brasil tem que rumar para nova abolição, afirma ativista

    Poeta, escritor e ativista dos mais importantes do movimento negro brasileiro, Oswaldo de Camargo terá pela primeira vez, aos 84 anos, parte de sua obra publicada por uma grande editora. A Companhia das Letras acaba de fechar o negócio, e três livros sairão no ano que vem. O primeiro é “15 Poemas Negros”, que teve prefácio do sociólogo Florestan Fernandes em 1961 e está fora de catálogo há décadas. Os outros são “O Carro do Êxito”, contos ficcionais de 1972, e a novela “A Descoberta do Frio”, de 1979, que tiveram edições pela Ateliê há quatro anos. Alguns desses poemas e contos foram publicados em francês, inglês e alemão. “É enorme alento para outros autores envolvidos com a literatura negra, demais desconhecida. Conhecer e divulgar autores desse ‘coletivo negro literário’ vai trazer muitas surpresas”, diz Camargo. Militante desde 1955, quando tinha 19 anos, o escritor faz uma literatura do negro ...

    Leia mais
    Ato reorganiza o movimento negro (1978) (Foto:Memorial da Democracia)

    Dos clubes sociais à militância: a história do Movimento Negro em SC

    O trabalho do movimento negro resgata a participação dessa parcela da população na construção da sociedade catarinense. Porém, as primeiras militâncias antirracistas começaram muito antes dos movimentos organizados politicamente como vemos hoje. Conforme a pedagoga Jeruse Romão, uma das fundadoras do NEN (Núcleo de Estudos Negros) em Florianópolis, as primeiras associações na luta negra contra o racismo em Santa Catarina ocorrem através dos clubes recreativos de negros. Criados para ser um espaço de socialização numa época onde eram impedidos de frequentar os clubes dos brancos, eles serviam também para o debate racial. Em um artigo publicado na revista Africanidades Catarinenses em 2009, a educadora resgata a história dessas agremiações. “Santa Catarina chegou a ter 12 clubes de negros, alguns ainda existentes nas cidades de Laguna, Criciúma, Tubarão, Lages, Joinville, Tijucas e Florianópolis”, aponta. Jeruse Romão, uma das fundadoras do NEN (Foto: Agência AL/Divulgação) Segundo a educadora, ...

    Leia mais
    (Foto: Imagem retirada do site Folha de S. Paulo)

    Movimento negro pede que STJ suspenda ato de Weintraub revogando cotas para pós-graduação

    Organizações ligadas ao movimento negro protocolaram no Superior Tribunal de Justiça (STJ) um mandado de segurança pedindo a suspensão do último ato de Abraham Weintraub como ministro da Educação, no qual ele revogou a portaria estipulando cotas para negros, indígenas e pessoas com deficiência em cursos de pós-graduação. "Fica evidente que o ato praticado pelo sr. Ministro da Educação, à míngua de motivação, infelizmente, manchando a honorabilidade de tão alto cargo, não passou de mero melindre com sua demissão", afirma o documento, assinado pela Coalizão Negra, que reúne 150 entidades de defesa dos direitos dos negros, e pelo Coletivo de Advocacia em Direitos Humanos (CADHU). O mandado de segurança alega ainda que a revogação da portaria "violou o direito líquido e certo dos impetrantes , que atuam na luta por um país justo, com igualdade de direitos e oportunidades, exigindo um longo e profundo processo de reparação histórica à população ...

    Leia mais
    Foto: Daniel Arroyo/Ponte Jornalismo

    Mídia negra: Conheça 5 blogs, sites e portais antirracistas

    O primeiro jornal oficial brasileiro foi criado em 1808, o Gazeta do Rio de Janeiro. A principal finalidade do meio era difundir os interesses da Coroa Portuguesa. Desde então, foram se conformando os grupos midiáticos familiares que permanecem até hoje no Brasil, com a formação dos veículos de comunicação atrelada ao pensamento das classes dominantes. O fato da mídia ter sido conformada dessa maneira no Brasil implicou em uma predominância do formato de comunicação comercial, visando o lucro e de caráter elitista, racista e machista. Por outro lado, no contraponto dessa mídia comercial, surge a imprensa negra, a comunicação popular e outros grupos que se propõem a trazer uma nova perspectiva sobre a realidade da população brasileira. Na série de dicas do Brasil de Fato Pernambuco de hoje, listamos cinco sites, blogs e portais organizados por pessoas negras e que se propõem a trazer notícias, artigos, reflexões e uma outra ...

    Leia mais
    (Foto: Reprodução/ Coalizão Negra por Direitos)

    Manifesto: “Enquanto houver RACISMO, não haverá DEMOCRACIA”

    Nós, população negra organizada, mulheres negras, pessoas faveladas, periféricas, LGBTQIA+, que professam religiões de matriz africana, quilombolas, pretos e pretas com distintas confissões de fé, povos do campo, das águas e da floresta, trabalhadores explorados, informais e desempregados, em Coalizão Negra por Direitos, viemos a público exigir a erradicação do racismo como prática genocida contra a população negra. O Brasil é um país em dívida com a população negra – dívidas históricas e atuais. Portanto, qualquer projeto ou articulação por democracia no país exige o firme e real compromisso de enfrentamento ao racismo. Convocamos os setores democráticos da sociedade brasileira, as instituições e pessoas que hoje demonstram comoção com as mazelas do racismo e se afirmam antirracistas: sejam coerentes. Pratiquem o que discursam. Unam-se a nós neste manifesto, às nossas iniciativas históricas e permanentes de resistências e às propostas que defendemos como forma de construir a democracia, organizada em nosso ...

    Leia mais
    Foto: Nelson Almeida/AFP

    Movimento Negro e movimento antifascismo

    “Até que a filosofia que torna uma raça superior e outra inferior, seja finalmente permanentemente  desacreditada e abandonada, haverá guerra” Bob Marley – War (canção) Devido os últimos acontecimentos políticos no Brasil e EUA, movimentos antirracistas e antifascistas se levantam com a defesa de uma sociedade livre do racismo estrutural e da sombra do autoritarismo. Medidas enérgicas protagonizadas pelo movimento negro nos EUA reverberaram mundo afora e se somaram as vozes que já se erguiam no Brasil contra as operações policiais nos morros e favelas.  Diante da movimentação, gerou-se um debate em torno de uma possível apropriação da onda antirracista por parte da esquerda brasileira, através do movimento antifascista que vem se espalhando pelas redes sociais e em manifestações de rua. Quero falar um pouco de experiências envolvendo a temática do fascismo no passado, de algumas considerações sobre Estado e sociedade e finalizar falando dos movimentos recentes no Brasil. Ao ...

    Leia mais
    Fotos Thiago Fernandes

    Pré-Candidatura do Movimento Negro e Periférico é confirmada em SP

    O Movimento Negro Uneafro Brasil, com apoio de diversos grupos e coletivos periféricos, definiu nesta última terça feira, dia 4 de fevereiro, sua a pré candidatura coletiva para disputa de uma vaga na Câmara de Vereadores. A iniciativa é composta por Elaine Mineiro, Debora Dias e Júlio César. Por Douglas Belchior, do Negro Belchior Fotos Thiago Fernandes O encontro fechado, que reuniu cerca de 50 lideranças de coletivos e movimentos de várias regiões de SP, reafirmou o compromisso de defesa, como em outras campanhas, de um projeto político do povo negro para São Paulo. CANDIDATURA DO MOVIMENTO NEGRO E PERIFERIAS. O movimento tem apresentado candidaturas nas últimas 3 eleições, sempre com caráter essencialmente coletivas e enraizadas nos guetos, do seio dos movimentos de luta negra e periférica. E isso não mudou. Desta vez, com estética renovada em formato coletivo, reuniram 3 lideranças de base, formadas no ...

    Leia mais
    Foto: Marta Azevedo

    Movimento negro em coalizão

    Entidades se reuniram para denunciar a organizações multilaterais violações aos direitos Por FLÁVIA OLIVEIRA, do  O Globo  Foto: Marta Azevedo Um conjunto de 117 organizações do movimento negro brasileiro tornou pública esta semana uma carta-compromisso de combate ao racismo e defesa de direitos. Desatrelada de partidos políticos, já é a maior articulação da sociedade civil afrodescendente neste século. É esse o tuíte. No limite dos 280 caracteres estabelecidos pela rede social preferida de dez entre dez governantes no Brasil e mundo afora, o par de sentenças resume a gênese e a ambição da Plataforma de Princípios e Agendas da Coalizão Negra por Direitos . No país do presidencialismo de coalizão, conceito tão bem estruturado pelo cientista político Sérgio Abranches, a aliança do movimento negro, historicamente relacionado a desunião e ruptura, é fato político relevante. “Eu destacaria que, numa tradição de grande fragmentação, a ideia de coalizão ...

    Leia mais
    Integrantes do movimento negro Grito Forte dos Palmares fazem ato em frente à Fundação Cultural Palmares, em Brasília, contra nomeação de Sérgio Nascimento de Camargo para a presidência da instituição — Foto: Luiza Garonce / G1

    Após decisão da Justiça, governo suspende nomeação do presidente da Fundação Palmares

    Nas redes sociais, Sérgio Nascimento de Camargo disse que Brasil tem racismo 'nutella', criticou movimento negro e disse que escravidão foi 'terrível, mas benéfica para os descendentes'. Do G1 Integrantes do movimento negro Grito Forte dos Palmares fazem ato em frente à Fundação Cultural Palmares, em Brasília, contra nomeação de Sérgio Nascimento de Camargo para a presidência da instituição — Foto: Luiza Garonce / G1 Após determinação de um juiz federal do Ceará, o governo do presidente Jair Bolsonaro suspendeu a nomeação do jornalista Sérgio Nascimento de Camargo para a presidência da Fundação Cultural Palmares – órgão de promoção da cultura afro-brasileira. A suspensão foi publicada em edição extra do "Diário Oficial da União" da quarta-feira (11), em portaria do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. A nomeação de Camargo para a presidência da Fundação Palmares ocorreu no fim de novembro, e causou uma onda de ...

    Leia mais
    blank

    Cem movimentos negros se articulam para resistir à retirada de direitos

    Discurso histórico de Sueli Carneiro marca evento da Coalizão Negra: “Seguiremos com força. Faremos Palmares de novo" Por Igor Carvalho, Do Brasil de Fato “Nós nunca deixamos de fazer trabalho de base”, lembrou a jornalista e escritora Bianca Santana (Foto: Igor Carvalho/Brasil de Fato) O primeiro Seminário Internacional da Coalizão Negra, nesta sexta-feira (29), marcou um espaço de consagração da nova entidade, que reúne cerca de cem movimentos ligados à defesa dos direitos de negras e negros. A coalizão, criada este ano, atuou dentro do Congresso Nacional em um corpo a corpo com os parlamentares e, também, em instâncias internacionais, como a Organização dos Estados Americanos (OEA), na União Europeia e na Organização das Nações Unidas (ONU), denunciando o desrespeito do governo brasileiro contra a população negra. Uma das mais importantes intelectuais brasileiras, a filósofa e escritora Sueli Carneiro, fez um discurso histórico de análise conjuntural ...

    Leia mais
    blank

    Angela Davis e o chamado a “organizar a esperança” no movimento negro brasileiro

    Professora emérita da Universidade da Califórnia, a ativista falou para milhares em sua passagem pelo Brasil, conectou-se com diferentes gerações do movimento negro e foi ouvir as mulheres Por Thuane Nascimento e Jefferson Barbosa, Do El País TAYNARA CABRAL (@TAYCABRAL) "Em meio a tantas mortes e de tantas dificuldades, acho que é o momento de celebrar a vida", disse Conceição Evaristo no palco do Cine Odeon, no Rio de Janeiro. "Fico muito feliz porque eu e Angela Davis estamos cheias de fé, cheias de potência", seguiu a escritora mineira. A frase levantou, de novo, os aplausos da plateia na quinta-feira, 24 de outubro. Fez Davis, a poucas caderias de distância, abrir mais uma vez o sorriso amplo, em seu derradeiro compromisso na mais recente temporada no Brasil. Vestidas ambas de azul e amarelo, Davis, 75, e Evaristo, 73 anos, atuavam como espelhos para o movimento negro ...

    Leia mais
    Antonieta Luísa Costa, conhecida como Nieta, é presidente do Instituto de Mulheres Negras de Mato Grosso

    “Não se faz revolução no conforto”, diz Antonieta Luísa Costa

    Antonieta Luísa Costa, presidente do Instituto de Mulheres Negras de Mato Grosso (Imune), falou à Pública sobre a Amazônia negra, identidade racial e governo Bolsonaro Por Thiago Domenici, da Agência Pública Antonieta Luísa Costa, conhecida como Nieta, é presidente do Instituto de Mulheres Negras de Mato Grosso. (Foto: Marcela Bonfim/Agência Pública) A quinta filha de Geraldo Henrique Costa e Angela Costa tem hoje 52 anos. De fala firme e contundente, Antonieta Luísa Costa, conhecida como Nieta, é uma das principais vozes do movimento negro em Mato Grosso. Única mulher entre os irmãos, aprendeu desde cedo a fazer “os enfrentamentos” contra o racismo cotidiano. Nieta atribui ao pai, seu Geraldo, conhecido defensor da causa negra em Cuiabá, a força que a impulsionou na sua trajetória como militante, educadora e feminista negra. “Tive uma sorte de ter em casa esse respaldo pra preservar a minha identidade e me ...

    Leia mais
    Imagem: Carta Capital

    História para confrontar gente grande

    Da mesma forma, faz quarenta anos que se conta na tradição oral das rodas de samba paulistas que a composição de Geraldo Filme, Silêncio no Bixiga, fora entoada no enterro de Pato N´água, exímio sambista, que teria sido assassinado pelos esquadrões da morte, na então “cidade da garoa”, nos tempos mais sombrios da ditadura militar. Geraldo Filme, talvez já ciente dos apagamentos intencionais ou não da história, e frente ao contexto de forte repressão militar, deixou registrado na memória afetiva e intelectual afro-brasileira e popular o samba que até hoje faz parte das boas rodas de São Paulo. A homenagem que fez ao “sambista de rua” ficou conhecida também, em algumas versões, como um registro sensível da experiência negra durante os anos de chumbo. (…) Escolas Eu peço silêncio de um minuto O Bixiga está de luto O apito de Pato N’água emudeceu Partiu Não tem placa de bronze Não ...

    Leia mais
    blank

    Pacote Anticrime de Moro pode legalizar execuções policiais, alerta advogada

    Lorraine Carvalho, do Ibccrim, esteve no Espírito Santo para debate sobre o tema com movimento negro Por Vitor Taveira, do Século Diário Lorraine Carvalho/Reprodução/Facebook Advogada e supervisora do Núcleo de Atuação Política do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (Ibccrim), Lorraine Carvalho foi uma das convidadas para debater na Assembleia Legislativa do Espírito Santo em audiência pública convocada pela deputada estadual Iriny Lopes (PT), a pedido do movimento negro capixaba, sobre políticas de segurança pública e especialmente o chamado Pacote Anticrime apresentado pelo ministro da Justiça, Sergio Moro. Confira a entrevista que Lorraine concedeu ao Século Diário. - Como você avalia o Pacote Anticrime defendido pelo ministro da Justiça, Sergio Moro? A Ibccrim é uma das organizações que acompanha a tramitação desse projeto na Câmara e no Senado Federal. Além disso, pela gravidade da medidas, a gente iniciou em conjunto com mais de 70 organizações a campanha "Pacote ...

    Leia mais
    blank

    “Que a sociedade exerça o seu poder para se opor ao pacote anticrime de Moro” diz Maria Sylvia

      Nesta segunda-feira 20, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) entregou a Rodrigo Maia, o presidente da Câmara, um relatório sobre o pacote anticrime do Ministro da Justiça, Sérgio Moro, em que manifesta “expressa oposição” a temas relevantes como a execução antecipada da pena e mudanças da legítima defesa para os agentes de segurança pública. Entre as recomendações feitas pela OAB está a recomendação de que deputados e senadores aprofundem a discussão em conjunto com outros projetos do mesmo tema. O pacote anticrime de Sérgio Moro foi amplamente discutido, no início do mês, pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) - órgão principal e autônomo da Organização dos Estados Americanos (OEA), com a participação do movimento negro. O debate aconteceu no 172º Período de Sessões da CIDH, em Kingston, na Jamaica. Entre as organizações que fizeram parte estavam do encontro estava o Geledés – Instituto da Mulher Negra, representado ...

    Leia mais
    Imagem: Geledés Instituto da Mulher Negra

    Segurança pública e genocídio negro no Brasil

    Pacote anticrime garante licença para matar a policiais por Douglas Belchior e Selma Dealdina no Folha de São Paulo Imagem: Geledés Instituto da Mulher Negra Temos um grave problema de segurança pública no Brasil. Mas, em vez de propostas baseadas em evidências que permitam diminuir o número de assassinatos e roubos e o tráfico de drogas, temos testemunhado investidas marqueteiras cujo objetivo é gerar maior sensação de segurança sem, de fato, possibilitar resultados efetivos. O chamado pacote anticrime apresentado pelo ministro Sergio Moro, mesmo se não for a intenção, fortalece o crime organizado, beneficia a indústria armamentista e garante licença para matar a policiais. Para ficar em apenas um aspecto, o excludente de ilicitude ampliado no pacote dá a militares e policiais civis a garantia de que não serão punidos ante a prática de homicídio. Se até agora policiais poderiam utilizar da força letal em casos extremos, o pacote ...

    Leia mais
    Douglas Belchior

    OEA receberá movimento negro brasileiro para debater pacote anticrime de Moro

    “É muito importante levar para fóruns internacionais a denúncia da barbárie genocida no Brasil", afirma militante Igor Carvalho no Brasil de Fato Douglas Belchior - (REPRODUÇÃO/Facebook) Na próxima quinta-feira (9), 14 integrantes do movimento negro brasileiro serão escutados em audiência extraordinária da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA). O motivo da reunião é a denúncia feita pelos ativistas contra o pacote anticrime elaborado pelo ministro de Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. “O conjunto de propostas, que visa alterar leis federais na área penal, processual penal e de combate à violência, tem gerado, desde sua apresentação pública em 4 de fevereiro de 2019, amplo debate e muitas críticas por parte de juristas, acadêmicos, especialistas e, sobretudo, das organizações da sociedade civil. A gravidade que tais modificações podem representar à segurança pública e à vida de milhares de cidadãos e cidadãs brasileiras, sobretudo da população ...

    Leia mais
    José Adão (esq.), Regina (centro) e Milton (dir.) e imagens do primeiro protesto do MNU, em 1978 / Colagem com imagens de Memorial da Resistência/Alma Preta/Arquivo Pessoal/Sérgio Silva/Ponte Jornalismo

    Uma história oral do Movimento Negro Unificado por três de seus fundadores

    Regina Santos, José Adão e Milton Barbosa são colocados em diálogo para contar trajetória do MNU Por Bruna Caetano, do Brasil de Fato José Adão (esq.), Regina (centro) e Milton (dir.) e imagens do primeiro protesto do MNU, em 1978 / Colagem com imagens de Memorial da Resistência/Alma Preta/Arquivo Pessoal/Sérgio Silva/Ponte Jornalismo No ano de 1978, a ditadura militar prendeu, torturou e assassinou o feirante Robson Silveira da Luz, acusado de roubar frutas em seu local de trabalho. No mesmo ano, quatro garotos jogadores de vôlei foram discriminados pelo Clube Regatas do Tietê e o operário Nilton Lourenço foi morto pela Polícia Militar no bairro da Lapa, em São Paulo. A reação imediata da juventude negra para os ataques foi a articulação do Movimento Negro Unificado (MNU), que pedia o fim da violência policial, do racismo nos meios de comunicação, no mercado de trabalho e do regime, ...

    Leia mais
    Página 1 de 5 1 2 5

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist