sexta-feira, outubro 16, 2020

    Tag: violência racial e policial

    Rebeca foi morta por uma bala perdida aos 19 anos neste sábado (29) no Rio — Foto: Reprodução/TV Globo

    Jovem de 20 anos morre vítima de bala perdida no Rio

    Rebeca Nunes dos Santos foi atingida na cabeça quando ia para o trabalho neste sábado (29), na estrada Grajaú-Jacarepaguá. No G1 Rebeca foi morta por uma bala perdida aos 19 anos neste sábado (29) no Rio — Foto: Reprodução/TV Globo Rebeca Nunes dos Santos, de 20 anos, foi morta neste sábado (29) atingida por uma bala perdida na Estrada Grajaú-Jacarepaguá, a caminho do trabalho. De acordo com testemunhas, houve troca de tiros quando uma cabine da Polícia Militar foi atacada na via, que liga a Zona Norte à Zona Oeste. A corporação diz que não revidou. Rebeca foi encontrada perto de um ponto de ônibus, em frente a um bar, em Cachoeira Grande. O corpo foi reconhecido por tios, que foram até o local. Ela deixa um filho de dois anos. "É um absurdo o que aconteceu. Vai ser mais uma na estatística. É mais um ...

    Leia mais
    Geledés

    O assassinato como política pública

    Ao reforçar capacidade letal de suas polícias, lideranças políticas apostam que seu eleitorado aceita ser protegido através do extermínio. Por Evandro Cruz Silva, do Diplomatique Geledés Em agosto de 1970 a revista Veja estampou em sua matéria de capa uma inédita investigação acerca dos grupos conhecidos como “Esquadrões da Morte”. Os anos duros da ditadura militar brasileira carregavam consigo um experimento já consagrado em outras experiências autoritárias: a formação de grupos armados para a execução sumária de pessoas tidas como indesejadas. À época, tais pessoas compunham dois grupos principais: a dissidência política de esquerda e os chamados “bandidos”, categoria em expansão no noticiário popular e que viria a representar as camadas pobres dos mercados ilegais. A matéria do semanário trazia como destaque as investigações jornalísticas que demonstravam tanto a ligação orgânica entre os Esquadrões e as corporações policiais do Rio de Janeiro e São Paulo quanto ...

    Leia mais
    O ator e professor de artes cênicas Lucas da Silva Nascimento Foto: Retirada do site Extra

    Justiça concede liberdade a professor preso após filmar abordagem de PMs no Rio

    O professor de artes cênicas, Lucas da Silva Nascimento, de 31 anos, preso neste domingo na Lapa, no Centro do Rio pode ser solto a qualquer momento. Ele teve liberdade provisória concedida, após a audiência de custódia realizada nesta segunda-feira na Central de Audiência de Custódia, em Benfica, na Zona Norte do Rio. Por Marcos Nunes, do Extra  O ator e professor de artes cênicas Lucas da Silva Nascimento Foto: Retirada do site Extra A informação foi confirmada pelo advogado Aldo Júnior, que defende Lucas. Segundo Aldo, uma cópia da prisão em flagrante chegou à central e a audiência pôde ter sido feita ainda nesta segunda-feira. A liberdade foi concedida pelo juiz de plantão Pedro Ivo Martins Caruso D'ippólito. — Foi uma vitória. O juiz entendeu que a prisão era desnecessária e excessiva — afirmou o advogado de Lucas. Entenda o caso Lucas Nascimento foi preso ...

    Leia mais
    Policial apontou arma contra estudantes em escola estadual em São Paulo ... - Veja mais em https://educacao.uol.com.br/noticias/2020/02/19/corregedoria.htm?cmpid=copiaecola

    Diretora de escola onde PMs agrediram alunos pede afastamento do cargo

    A diretora de uma escola estadual de São Paulo onde dois jovens foram agredidos por policiais militares na noite de ontem pediu afastamento do cargo na manhã de hoje. Por Ana Carla Bermúdez, do UOL Imagem retirada do site UOL A mulher ocupava o cargo na condição de diretora designada —quando profissionais da rede estadual, como professores, são chamados a ocupar o cargo de direção sem ter realizado um concurso específico para isso. Com o pedido de afastamento, ela voltará a ocupar o cargo de professora que tinha antes em outra unidade de ensino da rede estadual. A confusão teve início dentro da Escola Estadual Emygdio de Barros, no Rio Pequeno, zona oeste da capital, após a PM ter sido acionada pela diretora para retirar um jovem de 18 anos da unidade de ensino. Segundo a escola, ele não estaria matriculado e se recusava a sair ...

    Leia mais
    Imagem

    Raull Santiago é agredido por policiais do choque na Avenida Brasil

    O comunicador e midiativista Raull Santiago acaba de ser agredido em uma bliz de policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar-RJ na noite desta quarta-feira (19) enquanto se dirigia para casa de sua mãe para comemorar o próprio aniversário. Raull estava na companhia de Lana Souza, cofundadora do Coletivo Papo Reto, Thiago Purificação e Ricardo Fernandes, que havia sido abordado inicialmente. Por Renato Silva, do Favela em Pauta Imagem retirada do site Favela em Pauta Enquanto Ricardo era abordado e sofria de abuso policial, quando o agente de segurança acessava indevidamente seu telefone celular, Raull Santiago resolveu transmitir a ação através de seu perfil no Twitter. SOS, POLICIAIS DO CHOQUE ALTAMENTAMENTE VIOLENTOS NOS PARARAM NO MEIO DA AV BRASIL. ESTÃO SUFOCANDO O TIAGUINHO E RICARDO, APONTARAM FUZIL PARA NÓS MANDARAM ESPERAR A FRENTE E TÃO LÁ SUFOCANDO OS MLK https://t.co/P02Dcz6sNO — Santiago, Raull. (@raullsantiago) February ...

    Leia mais
    Wikimedia Commons

    Jovens agredidos por PMs dentro de escola na Zona Oeste de SP prestam depoimento na delegacia

    Rapazes foram detidos por desacato e levados para o 91° DP. Conselho Tutelar foi acionado e mostrou vídeos da ação da PM dentro da escola ao delegado. Policiais e direção de escola estadual também foram ouvidos. No G1 Wikimedia Commons Os dois jovens que foram agredidos por policiais militares dentro da Escola Estadual Emygdio de Barros, no Jardim Bonfiglioli, na Zona Oeste de São Paulo, na noite desta terça (18), prestaram depoimento à Polícia Civil na manhã desta quarta (19). Após sofrerem as agressões, os rapazes foram detidos e levados ao 91° DP por desacato. O Conselho Tutelar foi acionado e apresentou ao delegado os vídeos divulgados nas redes sociais da ação da PM no interior da escola. A direção de ensino e os policiais envolvidos no caso também foram ouvidos nesta manhã. Em nota, a Secretaria da Segurança Pública disse que vai analisar as imagens ...

    Leia mais
    Foto: Rafael Martins

    “O racismo elege, a partir dos corpos, quem morre e quem vive”, diz Naira Gomes

    Os dois recentes casos de violência de grande repercussão contra vítimas negras em Salvador, ocorridos no início deste ano, fundamentaram a proposta da Marcha do Empoderamento Crespo para a realização de um ciclo formativo antirracista para agentes de guarda e policiais. As ocorrências, contra duas irmãs gêmeas e um adolescente, tiveram como ponto comum o ataque relacionado à estética capilar e características do fenótipo negro. O tema foi discutido por Naira Gomes, uma das fundadoras da entidade de mulheres negras que tem como uma das pautas a luta contra o racismo pelo viés estético, na manhã desta segunda-feira, 10, durante o programa ‘Isso é Bahia’, na Rádio A TARDE FM. Por Shagaly Ferreira, da A TARDE Foto: Rafael Martins Para Naira, os episódios demonstram como as práticas racistas estão atreladas à estética, de forma a determinar, inclusive, as condições de vida e de morte para os ...

    Leia mais
    Reprodução Correio 24 Horas ( Betto Jr/CORREIO)

    A identidade, as experiências negras e a alma que sangra

    A "cauterização das experiências negras" acontece quando abrem uma ferida em nosso corpo e ele sangra ainda que por dentro: sangra porque corpo e alma estão dilacerados. Por Kiusam de Oliveira, do GGN Reprodução Correio 24 Horas ( Betto Jr/CORREIO) Em minha dissertação e tese trabalho um conceito criado por mim “cauterização das experiências negras” (2001). O que é? Quando nos movemos autonomamente não faltam brancos que tentarão nos colocar, na fala deles, em nossos “devidos lugares” porque numa sociedade racista, como é a nossa, eles ainda se acham proprietários de nossos corpos, mediante de um processo de abolição que eu acredito ainda não ter acontecido. Para isso, agem de forma violenta para nos tirar o chão ou dificultar qualquer forma de reação no momento da agressão. São cruéis e o cinismo com o qual recobrem tal violência, torna-se mais cruel ainda. Na minha lógica, a ...

    Leia mais
    A conclusão da Corregedoria também foi criticada pela União dos Moradores e do Comércio de Paraisópolis (foto: Rovena Rosa/Agência Brasil )

    Corregedoria isenta policiais envolvidos em ação em Paraisópolis

    Inquérito da corporação considera que 31 policiais agiram em legítima defesa em ação que deixou nove jovens mortos num baile funk. Arquivamento do caso é pedido.A Corregedoria da Polícia Militar de São Paulo isentou os 31 policiais que participaram de uma ação que resultou na morte de nove jovens em um baile funk na favela de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo, em dezembro do ano passado, e pediu o arquivamento do caso. Do Terra  A conclusão da Corregedoria também foi criticada pela União dos Moradores e do Comércio de Paraisópolis(foto: Rovena Rosa/Agência Brasil ) Na conclusão do inquérito realizado pela corporação divulgada nesta sexta-feira (07/02), o capitão Rafael Oliveira Cazella considerou a ação policial lícita e alegou que os policiais agiram em legítima defesa. O documento afirma que o grupo também não praticou nenhuma infração militar. O subcomandante da PM de São Paulo, coronel ...

    Leia mais
    Imagem: Geledés

    Artigo: A estética é o que nos mata primeiro

    Acredito que seja forte afirmar que o primeiro gatilho para que o racismo aja sobre corpos negros seja a estética, principalmente em um momento em que muitas pessoas tanto desmerecem a luta (sim, luta) que envolve a estética afro-diaspórica. Entretanto, é necessário que a gente continue pensando em como a violência racial se apresenta primeiro a partir das micro-violências, para depois partir para o macro. Por Ashley Malia, do A Tarde Imagem: Geledés O caso de racismo e violência policial que ganhou as manchetes dos jornais nacionais, nesta terça-feira, 4, traz mais uma vez a noção do quanto ainda precisamos repetir que a nossa estética é afirmativa. Antes de adentrar no assunto, deixo registrado o meu total repúdio à Polícia Militar da Bahia (PM), que é uma das mais racistas do país, justamente na cidade considerada a mais negra fora do território africano. Ter ao nosso ...

    Leia mais
    Jovem foi agredido por policial no bairro de Paripe, em Salvador — Foto: Victor Silveira / TV Bahia

    ‘Gosto de ter meu cabelo assim’, diz jovem agredido por PM que também fez insultos racistas em Salvador

    Caso aconteceu durante abordagem no bairro de Paripe. Durante agressões, que foram flagradas em vídeo, PM diz: 'Você para mim é ladrão, olha esse cabelo'. Do G1 Jovem foi agredido por policial no bairro de Paripe, em Salvador — Foto: Victor Silveira / TV Bahia “Eu gosto de ter o meu cabelo assim. É bonito, e é a primeira vez que acontece isso ", disse o adolescente que foi agredido por um policial militar durante abordagem no bairro de Paripe, no subúrbio ferroviário de Salvador. A ação aconteceu no último domingo (2) e foi filmada por moradores. Em entrevista ao G1, a vítima contou que o caso aconteceu quando ele voltava da praia e ia levar a amiga da namorada dele no ponto de ônibus. “A gente estava no ponto de ônibus, porque a gente tinha vindo da praia. Aí a gente parou para ...

    Leia mais
    Imagem retirada do site Anistia Internacional

    Entrevista com Raull Santiago: A violência nas favelas brasileiras

    Conteúdo publicado originalmente na revista I Amnesty, da Anistia Internacional Itália Por Laura Renzi, da Anistia Internacional  Imagem retirada do site Anistia Internacional Raull Santiago é um defensor dos direitos humanos no Rio de Janeiro. Em março de 2014, co-fundou o Coletivo Papo Reto, um coletivo de comunicação independente que documenta a vida no Complexo do Alemão. A intenção do grupo é chamar a atenção para o que está acontecendo na favela, destacando a violência policial e outros abusos dos direitos humanos que muitas vezes são ignorados pela mídia. . Como é a vida na favela? A sociedade brasileira considera pessoas que vivem em favelas inferiores. A discriminação é forte e está presente em todo o país: no ano passado, 60 mil pessoas foram mortas e, destas, 70% eram pretas ou pardas. A população carcerária do Brasil é a maior do mundo: a maioria dos presos são negros e ...

    Leia mais

    ‘Amor de Mãe’ choca público com cena de racismo em ação policial; Taís se manifesta

    A novela "Amor de Mãe" exibiu na noite desta segunda-feira (27) a sequência em que o pequeno Tiago (Pedro Guilherme Rodrigues), filho de Vitória (Taís Araujo), foi detido pelos policiais durante um arrastão na praia pelo fato de ser negro. Na ação, o menino é colocado no camburão e implora para encontrar a mãe, mas não é escutado. Por Júnior Moreira Bordalo, do Bahia Notícias  Reprodução / Globo Nas redes sociais, o público repercutiu a sequência do texto da baiana Manuela Dias por abordar o racismo velado da sociedade brasileira. "Que cena Brasil! Globo mostrando o racismo e o abuso de autoridade escancarando, coisa que infelizmente vivemos muito no Brasil. Essa cena de 'Amor De Mãe' foi um tapa na cara da sociedade", apontou um. "Que cena forte Manuela enfiando o racismo na cara de todo mundo plena segunda-feira no horário nobre da maior emissora do ...

    Leia mais
    “É equivocado, selecionar o universo amostral no Facebook, sem nenhum critério técnico e jurídico", aponta vice-presidente do IDDD / Foto: Igor Carvalho

    Jovem é inocentado após 30 meses preso à espera de julgamento: “Foi racismo”

    Garçom foi acusado de tentativa de homicídio porque aparecia entre contatos de ex-namorada de outro suspeito no Facebook Por Igor Carvalho, do Brasil de Fato “É equivocado, selecionar o universo amostral no Facebook, sem nenhum critério técnico e jurídico", aponta vice-presidente do IDDD / Foto: Igor Carvalho Na casa ao lado, aos gritos, um homem chama pelo vizinho, que não responde. Apressado, Rogério Silva interrompe a entrevista e corre para o portão para repreender o sujeito que brada. “Vai ficar berrando na frente da minha casa?”, pergunta. Quando retorna, se desculpa. “Eu não sou o mesmo cara, fiquei rancoroso e irritado. Hoje, fico bravo por qualquer coisa, não sei o que acontece.” Aos 24 anos, Silva ainda tenta se adaptar à vida nas ruas do Parque Novo santo Amaro, na zona sul de São Paulo. O jovem, que era acusado pelo roubo de dois veículos e ...

    Leia mais
    Imagem retirada da TV Globo

    DJ preso injustamente no Rio há 1 ano refaz a vida como eletricista e relembra ‘pesadelo’ na cadeia

    Em entrevista ao G1, Leonardo Nascimento disse que foi agredido por agentes penitenciários e dividiu cela com ratos. Eliane do Nascimento, mãe do DJ, pensou em tirar a própria vida. Por Matheus Rodrigues, do G1  Imagem retirada da TV Globo O DJ Leonardo Nascimento dos Santos, que foi preso injustamente por latrocínio em 2019, contou ao G1 como está recuperando sua vida um ano após ficar detido na penitenciária de Benfica, Zona Norte do Rio. Ele passou sete dias no presídio, incluindo a data de seu aniversário, por um crime que não cometeu. Completando 28 anos nesta segunda-feira (20), ele afirmou que aprendeu a valorizar sua liberdade depois de ter passado por este “pesadelo”. Ao ser perguntado sobre o que gostaria de receber de aniversário, ele disse que já ganhou o presente. “Meu presente de aniversário eu vou ganhar porque não tem presente melhor do que ...

    Leia mais
    Mauro Pimentel/Folhapress

    Soares, sobre o recorde de mortes da PM do Rio: “Estatizamos homicídios”

    O porteiro Claudio Henrique de Oliveira foi morto por policiais militares na quinta-feira 12, durante operação na favela do Vidigal, no Rio de Janeiro. Amigos e parentes do rapaz denunciam que, ao contrário do que alegam as autoridades, ele não era traficante e não estava armado. Na ação, quatro pessoas foram mortas. Por Chico Alve, da UOL  Luiz Eduardo Soares (Foto: Mauro Pimentel/Folhapress) Testemunhas dizem que os PMs chegaram atirando, sem qualquer preocupação de evitar atingir inocentes. Além dos parentes de Oliveira, a família do carregador Marcos Guimarães da Silva, também morto na mesma ofensiva, garante que ele não tinha envolvimento com o crime. Os mortos no Vidigal se somam à impressionante relação de vítimas que nos últimos meses perderam a vida durante ações da polícia fluminense. Essa estatística chegou ao topo em 2019, com 1.686 mortes. A tática de enfrentamento determinada pelo governador Wilson Witzel, ...

    Leia mais
    As marcas das agressões sofridas por cinco jovens na Pedra do Sal Foto: Facebook / Facebook

    Cinco jovens são espancados por seguranças e dono de bar na Pedra do Sal

    Uma das vítimas, membro do coletivo Slam das Minas, diz que grupo foi agredido com socos, barra de ferro e taco de baseball Por Gustavo Goulart, do O Globo As marcas das agressões sofridas por cinco jovens na Pedra do Sal Foto: Facebook / Facebook Um grupo de amigos, entre eles três mulheres e dois homens, todos negros, foram vítimas de espancamento por seguranças de um bar na Pedra do Sal, na Saúde, na madrugada de sábado, com socos, pontapés e até golpes de barra de ferro e taco de baseball. Eles foram impedidos de usar o banheiro social do estabelecimento e tratados com agressividade pelo dono do bar ao tentarem se defender. O proprietário chamou seguranças, que são acusados, assim como o dono do bar, de truculência. Segundo a poetisa e MC Andréa Bak, uma das vítimas, um dos seguranças chegou até ela gritando e ...

    Leia mais
    Várias pessoas se abraçam após um tiroteio que causou 23 mortos em um bar em Veracruz (México) em agosto.ANGEL HERNANDEZ / AFP

    “Morrer é um alívio”: 33 ex-traficantes dizem por que a guerra contra a droga fracassa

    A chave para atacar a violência é entendê-la: de onde vem? Como se reproduz? Como lidar com ela? E um novo enfoque para consegui-lo é perguntar aos que a protagonizam Por KARINA GARCÍA REYES, do El País Várias pessoas se abraçam após um tiroteio que causou 23 mortos em um bar em Veracruz (México) em agosto.ANGEL HERNANDEZ / AFP Sou do norte do México, uma das regiões mais afetadas pela violência do tráfico de drogas durante as guerras contra o tráfico. Entre 2008-2012 minha cidade viveu uma das épocas mais incertas e violentas em sua história. Os tiroteios, confrontos entre cartéis e militares, que começaram como acontecimentos esporádicos, acabaram sendo eventos frequentes. Ocorriam em plena luz do dia e em qualquer lugar da cidade. Eu testemunhei um tiroteio ao lado da universidade onde dava aulas. Precisamos fechar as portas e aplicar o protocolo de segurança criado ...

    Leia mais
    Geledés

    ‘Não desejo a dor que estou sentindo para ninguém’, diz irmã de Anna Carolina, menina morta por bala perdida no sofá de casa

    Ana Beatriz Pontes, estudante de serviço social, de 21 anos, não sabe como lidar com a morte da irmã, a menina Anna Carolina, de 8 anos, atingida por uma bala perdida na cabeça enquanto assistia televisão com a família na sala de casa, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. O tiro que acertou a garotinha, nesta quinta-feira, entrou pelo telhado de amianto, passou pelo forro de PVC, cruzou uma porta e ainda resvalou na parede antes de matar Anna. Por Cecília Vasconcelos, do Extra Geledés Além de enfrentar a própria dor, a universitária tem buscado dar suporte à mãe, Ana Claudia Souza, após a tragédia. Em uma rede social, Ana Beatriz disse ainda não acreditar no que aconteceu. "Eu não estou conseguindo acreditar e não sei de onde tirar forças para segurar a minha mãe", escreveu a jovem. Ana completa dizendo que não deseja à ninguém ...

    Leia mais
    Carlos Eduardo dos Santos Nascimento, 20, desaparecido após abordagem feita por policiais militares em Jundiaí (SP) Imagem: Arquivo pessoal

    Entidades e ouvidoria cobram governo por desaparecido após ação da PM

    Carlos Eduardo dos Santos Nascimento, 20, foi visto pela última vez por volta das 17h de 27 de dezembro de 2019, quando foi colocado por policiais dentro de uma viatura da PM (Polícia Militar), no bairro Jardim São Camilo, em Jundiaí, interior de São Paulo. Desde então, está desaparecido. Por Luís Adorno, do UOL Carlos Eduardo dos Santos Nascimento, 20, desaparecido após abordagem feita por policiais militares em Jundiaí (SP)(Imagem: Arquivo pessoal/Retirada do site UOL) Nascimento foi a um bar, na rua Benedito Basílio Souza Filho, confraternizar com quatro amigos brancos. Os cinco foram abordados pela PM, segundo as testemunhas. Nascimento, o único negro entre eles, foi o único colocado dentro da viatura. O ouvidor da polícia de São Paulo, advogados, ativistas de direitos humanos e oficiais da própria PM cobram do governo de São Paulo esclarecimentos sobre o paradeiro de Carlos Eduardo, 11 dias depois ...

    Leia mais
    Página 2 de 109 1 2 3 109

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist