Australiana é presa suspeita de racismo no DF

 

“Não vou sujar minha mão com uma raça ruim”, disse a mulher; funcionárias de salão de beleza gravaram os insultos e chamaram a PM.

Uma australiana foi detida suspeita de ter cometido racismo em um salão de beleza da Asa Sul, em Brasília, nesta sexta-feira. Duas mulheres denunciaram a moça e chegaram a gravar os insultos com um celular. 

“Eu não vou sujar a minha mão com uma raça ruim como a sua”, disse a mulher. A recepcionista do local informou que a suposta autora do racismo foi ao salão fazer as unhas e também pediu para não ser atendida por uma das manicures que é negra. Houve bate boca, gritaria e uma das funcionárias gravou tudo. 

Segundo a polícia, a suspeita de racismo já tinha várias passagens pela polícia por dirigir bêbada. Ela vive regularmente no Brasil há cinco anos. 

Ao chegar à delegacia, a mulher foi presa por desacato a autoridade. A suposta agressora foi levada para a delegacia e foi transferida para a Penitenciária Feminina do Gama.

 

 

Fonte: Band

+ sobre o tema

Brancos, vamos falar de cotas no serviço público?

Em junho expira o prazo da lei de cotas nos...

Em junho, Djavan fará sua estreia na Praia de Copacabana em show gratuito

O projeto TIM Music Rio, um dos mais conhecidos...

O precário e o próspero nas políticas sociais que alcançam a população negra

Começo a escrever enquanto espero o início do quarto...

Estado Brasileiro implementa políticas raciais há muito tempo

Neste momento, está em tramitação no Senado Federal o...

para lembrar

Ator é vítima de racismo durante espetáculo:’Isso não pode ficar impune’

Uma espectadora interrompeu a peça e deu uma banana No...

Grupo antirracismo critica apoio do Liverpool a Suárez

Um grupo que realiza campanhas contra o racismo no...

Minas registra um novo caso de racismo a cada 22 horas e 16 minutos

Expressivo, número de crimes raciais levados aos tribunais está...

Austrália propõe mudar lei, mas aborígenes querem mudança real

Por: Liz Lacerda Alison Golding tinha 10 anos...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=