Guest Post »

Balotelli fala sobre racismo: “Nada é como na Itália. Lá, é realmente extremo”

Hoje atuando na França, o atacante italiano falou sobre os casos de racismo que viveu em seu país natal e comparou com os outros países

Da FOX Sports

Balotelli  Foto: Claudio Villa/Getty Images

Sempre polêmico, Mario Balotelli falou sobre os casos de racismo que viveu durante sua carreira. Em entrevista ao Quelli Che Il Calcio, o atacante recém-contratado pelo Olympique de Marseille falou que, na Itália, é muito pior do que em outros países em que viveu.

“Na Inglaterra, em nível de futebol, eu nunca vi nada assim. Na França, eu não vi muito, mas nada é como na Itália. Na Itália, é realmente extremo”, disse o italiano. Em 2009, quando ainda atuava na Inter, Baloteli sofreu com cantos racistas vindos da torcida da Juventus.

Na época, o atacante tinha 18 anos e a experiência foi traumática para ele. “Juve e Inter, quando eu era mais jovem, foi uma catástrofe. Emocionalmente, foi um desastre. Eles ficavam fazendo esses cantos. Não havia motivos, já que eu não tinha feito nada. Nem para os jogadores, nem para os torcedores”.

Ele ainda completou. “Quando eu voltei para casa, eu perguntei à minha mãe: ‘Por quê? Por que eles estavam fazendo isso? ’ Mas não havia explicação. Eu era um garoto, eu não acho que eles entenderam o quanto isso realmente me machuca. Por sorte, eu tenho uma personalidade forte, mas você pode realmente destruir uma pessoa”, finalizou.

No final de dezembro, o zagueiro do Napoli Kalidou Koulibaly sofreu com cantos preconceituosos na partida contra a Inter de Milão, na casa do adversário. Muitos jogadores e treinadores mostraram apoio ao senegalês. Autoridades do país, porém, chegaram a amenizar os cânticos.

Leia Também: 

Balotelli desabafa: “racistas devem viver sozinhos até a morte”

Balotelli sobre racismo: ‘Teria menos problemas se fosse branco’

 

Related posts