Guest Post »
Coletivo Negras Autoras estreia na cidade Eras, sobre o universo da mulher negra e a contemporaneidade

Coletivo Negras Autoras estreia na cidade Eras, sobre o universo da mulher negra e a contemporaneidade

Com direção de Grace Passô e preparação vocal da cantora Fabiana Cozza, o espetáculo cênico musical reúne as cinco multi-artistas que integram o grupo mineiro, usando poesia, atuação e música para falar e cantar sobre mulheres negras de todas as eras

 

Enviado para o Portal Geledés 

No dia 21 de novembro (terça-feira), às 20h, o Itaú Cultural recebe a primeira apresentação na cidade de Eras, segunda montagem do Coletivo Negras Autoras. Estreado em junho, em Belo Horizonte, sob direção de Grace Passô, o espetáculo traz um roteiro composto por músicas autorais interpretadas ao vivo para falar sobre as relações temporais e atemporais entre o universo da mulher negra e o que a rodeia na contemporaneidade.

 

As multi-artistas Elisa de Sena, Júlia Dias, Manu Ranilla, Nath Rodrigues e Vi Coelho, que têm forte trajetórias de atuação na cena teatral e musical de Belo Horizonte, se revezam em cena, entre instrumentos e interpretações, e utilizam suas composições na construção de um espetáculo sobre relações temporais e atemporais. Mulheres negras conectadas com esse lugar de fala, elas usam poesia, música e estética para contar sobre as que vieram antes, as que virão e as que vivem na atualidade, em histórias que atravessam o tempo.

 

O espetáculo revela ao público a presença de mulheres negras na construção e reconstrução de espaços físicos e sutis para além da história contada a partir da visão patriarcal. No palco, a raiz percussiva afro-mineira se mescla com programação eletrônica e instrumentos clássicos como violino, além da participação especial da instrumentista Lauriza Anastácio no violoncelo.

 

A marca da direção de Grace Passô pode ser percebida nas cenas poeticamente fortes. Para somar o canto e o toque de instrumentos à performance de atuação, o elenco contou com a preparação vocal da cantora Fabiana Cozza. A afinação entre os trabalhos da diretora e da cantora garantiu a harmonia cênico-musical de Eras, arrematada pela iluminação baseada no jogo de luz e sombra assinada por Tainá Rosa.

 

Antes de chegar à capital paulista, Eras teve temporada de estreia em junho, no espaço cultural Tambor Mineiro, em Belo Horizonte. Foi apresentado ainda na 12ª Mostra de Cinema de Ouro Preto, a CineOP, no 49º Festival de Inverno da UFMG, na Aquilombô – Mostra de Artes Negra, no 9º FAN Mulher Festival de Arte Negra, e em programação na cidade de Jundiaí.

 

Sobre o coletivo

O Coletivo Negras Autoras é composto pelas multi-artistas Elisa de Sena, Júlia Dias, Manu Ranilla, Nath Rodrigues e Vi Coelho. Cinco mulheres que cruzam sua poética na linha da arte, fazendo de suas trajetórias mais que uma coincidência, uma missão. O quinteto encontrou na arte a forma de se relacionar com o mundo e de descrever o percurso e o posicionamento da mulher negra ativa na sociedade. Representam o Brasil contemporâneo com força ancestral e criativa. Estreou seu primeiro espetáculo, NEGR.A, em 2015, e em 2017 apresenta Eras.

 

 

Ficha Técnica:

Autoras: Elisa de Sena, Júlia Dias, Manu Ranilla, Nath Rodrigues e Vi Coelho

Instrumentista Convidada: Lauriza Anastácio

Direção: Grace Passô

Preparação Vocal: Fabiana Cozza

Iluminação: Tainá Rosa

Direção de Arte: Eduardo Ferreira

Sonorização: Belisario Tonsich

Assistente de Produção: Aristeo Serra Negra

Realização: Coletivo Negras Autoras

Fotos: Pablo Bernardo

 

SERVIÇO

Eras

Dia 21 de novembro (terça-feira), às 20h

Duração: 50 minutos

Classificação Indicativa: Livre

Sala Itaú Cultural (224 lugares)

Com Interpretação em Libras

 

“Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do PORTAL GELEDÉS e não representa ideias ou opiniões do veículo. Portal Geledés oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.”

Related posts