Comissão mista rejeita todas as emendas à regulamentação dos direitos das domésticas

O texto, aprovado pelo Senado no ano passado, volta ao plenário da Câmara

 

POR GERALDA DOCA, no, O Globo

BRASÍLIA – Comissão mista do Congresso Nacional que discute a regulamentação do trabalho doméstico rejeitou nesta terça-feira todas as emendas apresentadas pelo plenário da Câmara dos Deputados ao texto que regulamenta os novos direitos dos trabalhadores domésticos. Com isso, o texto aprovado pelo Senado em julho de 2013 retorna ao plenário da Câmara.

O relator da proposta, senador Romero Jucá (PMDB-RR), defendeu que o assunto seja colocado em pauta com urgência para que a categoria tenha acesso a FGTS obrigatório, multa nas demissões sem justa causa, adicional noturno, seguro em caso de acidente de trabalho, banco de horas, dentre outros.

Os novos direitos foram assegurados aos domésticos por uma emenda à Constituição, aprovada pelo Congresso em março de 2013 – a chamada PEC das domésticas. Mas, a falta de regulamentação impede a aplicação plena da nova legislação que dá aos empregados domésticos os mesmos direitos dos demais trabalhadores, que são regidos pela CLT. Estão em vigor, a jornada diária de oito horas (44 semanais) e o pagamento de horas extras. Os demais exigem regras específicas.

– A Câmara precisa votar logo essa regulamentação – disse Jucá.

O texto aprovado pelo Senado reduz a contribuição patronal para Previdência Social de 12% para 8%; fixa contribuição de 11,2% para o FGTS, incluindo a multa nas demissões sem justa causa e de 0,8%, a alíquota referente acidente de trabalho.

 

 

 

+ sobre o tema

Valentino recruta atriz e diretora de Pose para a campanha de sua nova bolsa

Dominique Jackson é Elektra Wintour, antagonista glamurosa do seriado...

Calar é preciso

Sem a possibilidade de parar no Dia Internacional da...

Brasil terá a eleição mais feminina da história em 2010

Brasília – As eleições gerais deste ano deverão ser...

para lembrar

Exposição exalta a força da mulher negra

Quatro fotógrafas. Quatro formas de retratar as dores e...

Michelle Obama despede-se da Casa Branca com apelo pela tolerância

Cor da pele, riqueza... Nada disso realmente importa' Fonte: Brasil...

Casos de estupro crescem no Estado de São Paulo e na capital paulista

Registros passaram de 4.532 no primeiro semestre de 2015...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=