Conselho Universitário da Unicamp aprova título de Doutores Honoris Causa para Racionais MC’s no marco dos 50 anos do Hip-hop

No marco dos 50 anos do Hip-hop, este movimento que vem transformando as perspectivas da juventude negra, pobre e periférica em todo o mundo, o Conselho Universitário da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) aprovou o título de Doutores Honoris Causa para os membros dos Racionais MCs, Mano Brown, KL Jay, Edi Rock e Ice Blue. O pedido foi realizado pela linha de pesquisa Hip-hop em Trânsito, coordenada pelas professoras Jaqueline Lima Santos e Daniela Vieira, que integra o Centro de Estudos e Migrações Internacionais, dirigido pelo professor Omar Ribeiro Thomaz. Essa também foi uma reivindicação das e dos estudantes da disciplina Tópicos Especiais em Antropologia IV: Racionais MC’s no Pensamento Social Brasileiro, lecionada no segundo semestre de 2022 e que teve a presença dos membros do grupo em uma de suas aulas. Para dar encaminhamento à solicitação, foi formada uma comissão composta pelos professores e pesquisadores Sueli Carneiro, Mário Medeiros, Omar Ribeiro Thomaz e Ricardo Teperman, os quais encaminharam parecer favorável que foi aprovado nesta data, 28 de novembro de 2023.

O grupo de rap que completa 35 anos produziu uma variedade de obras que registra a dinâmica social e que oferece um amplo repertório para compreender a formação das periferias, as desigualdades, as relações raciais, a música negra, as lutas antirracistas, as políticas de segurança pública, a masculinidade e as relações de gênero, as alternativas de sobrevivência e as expectativas da população mais pobre do país. Devido a importância de suas obras, os trabalhos do grupo têm ganhado espaço na formação escolar e não escolar, bem como nas produções acadêmicas que buscam registrar aspectos históricos, sociais, culturais, identitários e políticos da sociedade.

A produção artística do Racionais ajuda a compreender diferentes facetas da história e do cotidiano brasileiro. As letras, como narrativas do cotidiano, colocam em evidência a realidade enfrentada pela população e como os diferentes grupos – considerando raça, gênero e classe – se relacionam e produzem desigualdades e diferenças. A própria história do grupo, como sua formação, a recepção do seu trabalho e as formas de censura e perseguições enfrentadas, revela como se dá a experiência de jovens negros no Brasil. A escolha e composição dos instrumentais de cada uma das músicas traz a tona as referências musicais do universo negro e periférico dos centros urbanos translocais e leva seus interlocutores a conhecer produções de diferentes tempos da história da black music e da música popular brasileira. 

Neste sentido, um olhar sobre a obra do grupo possibilita a construção de um amplo repertório não apenas sobre o Brasil contemporâneo mas, igualmente, sobre experiências das culturas afrodiaspóricas transnacionais. Além disso, responde a uma demanda cada vez mais evidente de estudo e inserção destes trabalhos nos currículos e percursos formativos sobre o país.

A transformação das universidades brasileiras em ambientes mais democráticos e plurais está dada, não tem volta. Nosso viva às diversas formas de produção de conhecimento.

+ sobre o tema

Patrice Lumumba foi assassinado há 55 anos

Ali está ele. De mão erguida, saudando os transeuntes,...

Escultura de uma histórica mulher negra irá substituir estátua racista em Pittsburgh

Em todo EUA, cidades como Baltimore e New Orleans,...

Movimento Negro vê postura das entidades como racismo e fará protesto em Londrina

O Movimento Negro de Londrina se mobiliza nesta terça-feira...

Robinho será pai de novo

Róbson Júnior, de 2 anos, ganhará em breve um...

para lembrar

30 músicas essenciais para começar a gostar de blues

De Muddy Waters a Helen Humes e B.B. King por João...

Fundação Zumbi entrega carta de reconhecimento a quilombolas

O presidente da Fundação Municipal Zumbi dos Palmares...

Vice sudanês diz que governo aceitará emancipação do sul do país

  O governo sudanês confirmou nesta segunda-feira que vai respeitar...

Faith No More: novo visual é inspirado na umbanda brasileira

Os caras do Faith No More se preparam para...
spot_imgspot_img

Sambista ligada ao rap, Leci Brandão rebate críticas de Ed Motta: ‘Elitista’

Leci Brandão, 79, rebateu com estilo as recentes declarações de Ed Motta, que chamou de "burros" os fãs de hip hop, "sem exceção". Sem citar...

Grávida, Iza conta que pretende ter filha via parto normal: ‘Vai acontecer na hora dela’

Iza tem experienciado e aproveitado todas as emoções como mamãe de primeira viagem. No segundo trimestre da gestação de Nala, fruto da relação com Yuri Lima, a...

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...
-+=