Denunciado por violência doméstica, homem mata a mulher grávida em Santa Catarina

Um homem de 39 anos confessou ter matado a própria mulher, de 28 anos, que estava grávida de três meses, neste domingo, no interior de Santa Catarina. Segundo a Polícia Militar, ele tinha passagens criminais por vias de fato, ameaça contra a mulher e violência doméstica. O casal estava junto há quase um ano, segundo a família da vítima.

por Louise Queiroga no Extra Globo

Segundo um parente de Andreia Araujo, que preferiu não se identificar, as denúncias contra Marcelo Kroin foram feitas por ex-namoradas dele. O relacionamento dos dois era visto como “normal”, mas o marido da jovem vinha se revelando cada vez mais ciumento.

— Eles tinham um relacionamento normal, como todo casal, mas bateu um ciúme doentio nele, acabaram brigando, ele bateu nela, a matou — disse o parente ao EXTRA, por telefone, nesta segunda-feira.

Após uma denúncia anônima, policiais militares encontraram o corpo da vítima enrolado em um cobertor dentro de um veículo na cidade de Jaraguá do Sul, a 187 quilômetros de Florianópolis.

— Ele perdeu a cabeça. O ciúme foi aumentando, aí aconteceu o que aconteceu. Destruiu a vida dela, acabou com a vida dela — afirmou o parente de Andreia.

A vítima estava no terceiro mês de gravidez e tinha uma filha de 10 anos de um relacionamento anterior. A menina passou as férias de julho com Andreia, mas em geral costuma ficar com os avós, em Guaramirim, segundo o parente.

Guarnições do 14º BPM (Jaraguá do Sul) foram ao endereço apontado na denúncia, onde morava o casal, no bairro Jaraguá Esquerdo, realizaram buscas e localizaram o corpo da mulher por volta das 18h40 deste domingo.

O marido da vítima foi preso pelos policiais e confessou ter cometido o crime. Equipes da Polícia Civil e do Instituto Geral de Perícias (IGP) estiveram no local para apurar os fatos. O caso foi registrado na delegacia da cidade.

Marcelo teria dirigido com o corpo dentro do carro enquanto não decidia o que fazer em seguida. Por fim, teria voltado para casa. À PM, disse que a mulher morreu após bater com a cabeça no chão e desmaiar.

De acordo com o major Pilonetto, o marido da vítima disse que ela consumiu bebida alcoólica, apesar da gravidez, em um ambiente fora da residência. Mais tarde, Andreia foi para casa, onde teria ocorrido uma discussão e ela tendado agredi-lo, segundo a versão de Marcelo. Como ele foi preso, a Polícia Civil deve apurar se houve lesão. O marido disse que agiu em legítima defesa contra a mulher.

Último post da vítima trazia declaração de amor

Foto: Facebook/Reprodução

A última publicação no Facebook de Andreia é a foto de um jantar romântico que dividiu com Marcelo na última quinta-feira.

“Fondue um bom vinho e a ótima companhia do meu amor”, escreveu na legenda.

Nos comentários, Marcelo também deixou uma declaração de amor para a mulher:

“Amor da minha vida te amo muito”, registrou na rede social

O casal tinha o costume de demonstrar carinho nas redes sociais. No dia dos namorados deste ano, Andreia escreveu que “o maior presente” é ter o marido “presente todos os dias”. “Te amo muito e te quero pra sempre!!!”, afirmou.

Na época, Marcelo comentou na publicação, ressaltando que também a amava muito e que o respeito se fazia presente no relacionamento dos dois.

“Meu amor, somos abençoados, iluminados, Deus nos deu o maior presente de nossas vidas, eu e você, o amor, a paixão, o carinho, o respeito, amor eterno. Te amo muito, minha vida. Dormir e acordar com seu sorriso todos os dias é uma dadiva divina, pra sempre seremos um, amor da vida, te amo demais, minha rainha”, disse.

Agora, porém, amigos e parentes de Andreia estão indignados com o que lhe aconteceu. No mesmo post, algumas pessoas chamam Marcelo de “falso”, “maldito” e “assassino”.

+ sobre o tema

Mães criam grupo ”antiterrorismo” contra empregadas

Elas trocam e-mails com observações sobre sua relação com...

R. Kelly é condenado a 20 anos de prisão por abusar sexualmente de crianças

O cantor e compositor R. Kelly foi sentenciado a 20 anos...

Estupro não se justifica, se pune – por: Jandira Feghali

Estupro não se justifica por Jandira Feghali* Pesquisas são como fotos. Conseguem...

para lembrar

“Mulheres não são chimpanzés”, diz Elisabeth Badinter

A filósofa francesa Elisabeth Badinter entrou para o movimento...

“Irmãos Williams” Dirigente russo pede desculpas e Serena chama ofensas de inaceitáveis

Presidente da federação de tênis do país, Shamil Tarpischev...
spot_imgspot_img

Casa Sueli Carneiro abre as portas ao público e apresenta o III Festival Casa Sueli Carneiro, pela primeira vez em formato presencial

RETIRE SEU INGRESSO A Casa Sueli Carneiro, fundada em dezembro de 2020 e atuando em formato on-line desde abril de 2021, é uma entidade criada...

Aborto legal: falhas na rede de apoio penalizam meninas e mulheres

As desigualdades sociais no Brasil podem explicar a razão para que meninas e mulheres busquem apoio para o aborto legal também após 22 semanas...

Referência do feminismo negro, Patricia Hill Collins vem ao Brasil para conferência, curso e lançamento de livro

Referência do feminismo negro, a socióloga estadunidense Patricia Hill Collins participa, nesta quarta-feira (19), de um evento em Salvador, na Universidade do Estado da Bahia (Uneb)....
-+=