Hoje na História, 26 de agosto é Dia Internacional da Igualdade Feminina

Sabia que, até 1934, mulheres casadas só podiam trabalhar com autorização dos maridos? Listamos essa e outras conquistas do movimento feminista!

no Revista Glamour

Designed by rawpixel.com / Freepik

Estamos em 2018 e muita gente ainda acredita que o feminismo é a luta da superioridade da mulher em relação ao homem. Não é isso! É um movimento social e político que luta pela igualdade de gênero. E neste domingo, 26.08, em que é celebrado o Dia Internacional da Igualdade Feminina, acreditamos que vale a pena relembrar como essa luta é importante.

Veja oito mudanças conquistadas no Brasil pelo feminismo!

Estamos mais do que acostumadas a ver salas de aula com um número equilibrado entre homens e mulheres, mas nem sempre foi assim. No Brasil, mulheres só puderam frequentar a escola básica a partir de 1927. E nas universidades isso só aconteceu mais de 50 anos depois, em 1979.

Trabalho

Quem aí já ouviu a frase Girls Just Wanna Be CEO? Foi uma longa luta para que mulheres tivessem a possibilidade de decidir se queriam ou não ser donas de casa. De acordo com o Código Civil de 1916, a mulher só poderia trabalhar fora caso o marido lhe concedesse autorização. Foi só em 1943 que, segundo a Consolidação das Leis Trabalhistas, isso mudou.

Licença-maternidade

Sabia que até 1934 esse direito não existia? Foi nesse ano em que a Constituição previu que as mulheres ficariam sem trabalhar um mês antes e um mês depois de nascer o bebê. Além disso, a demissão de grávidas passou a ser proibida. Em 1988, o período se estendeu para 120 dias.

Voto

Um dos grandes motivos para a luta do feminismo foi o direito ao voto, que no Brasil só foi autorizado em 1932. Em 1934, a primeira representante política do gênero feminino foi eleita no país: Carlota Pereira de Queiroz.

Casamento

Desde 1916, com aprovação do Código Civil, só o homem era responsável pela família e o casamento poderia ser anulado pelo marido caso descobrisse que a esposa não era virgem. A família da noiva também poderia deserdá-la. Essas regras mudaram apenas em 2002.

Divórcio

Em 1977, o divórcio passou a ser permitido por lei. Até então, o casal só poderia se separar em casos de traição, tentativa de morte ou abandono do lar.

Anticoncepcional

Em 1962, o Brasil começou a vender anticoncepcionais. A mudança possibilitou que elas pudessem se relacionar sexualmente com mais parceiros.

Violência contra a mulher

A primeira Delegacia da Mulher foi criada em 1985. Em 2006, surgiu a Lei Maria da Penha, com mecanismo para punições em caso de violência doméstica.

+ sobre o tema

A cada quatro homens gays, três sofrem algum tipo de violência

Será realizada neste domingo (4) a 18ª edição da...

Presença feminina na política

Os partidos não tiveram interesse de incorporar as mulheres...

Combate ao feminicídio une mulheres nas eleições, mas aborto divide candidatas

Elas que concorrem a presidente e a vice pregam...

para lembrar

Afro Imagens: Política, Moda e Nostalgia, por Angela Davis

Referência Angela Davis (1994) Não muito tempo atrás, na cidade de...

Uma mulher vai à Justiça a cada três dias para entregar bebê a adoção, diz pesquisa

Reportagem de Natália Cancian diz que levantamento feito pelo jornal Folha...

Alessandra Maestrini revela ser bissexual a revista: ‘Estou me assumindo porque estou exausta’

Afastada das novelas, Alessandra Maestrini resolveu assumir ser bissexual...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=