Documentário ‘Quantos Dias. Quantas Noites’ entra para o catálogo do Itaú Cultural Play

Enviado por / FonteABC do ABC

O filme faz um mergulho profundo no propósito da existência humana e da relação com o tempo e a idade, com foco na atualidade quando a expectativa de vida aumentou

Na quinta-feira, 12 de outubro, a Itaú Cultural Play leva para seu catálogo o novo filme de Cacau RhodenQuantos Dias. Quantas Noites. Diretor de produções como Nunca me sonharam e Tarja branca, agora se debruça sobre os dilemas, desafios e cuidados provocados pelo envelhecimento nesta era na qual a ciência acredita que o ser humano que chegará aos 150 anos já nasceu. Assim, entendendo que a revolução da longevidade já começou e veio para transformar o futuro de todas as gerações, ele desenvolve uma investigação detalhada sobre como a questão da revolução da longevidade tem sido analisada pela humanidade.

Especialistas e pensadores convidam a enxergar as oportunidades e as desigualdades nesse tema, além da conexão humana com o tempo e com a idade. São eles, o médico gerontólogo e presidente do Centro de Longevidade – Brasil Alexandre Kalache; a filósofa, Dra. em Educação pela USP e coordenadora executiva do Geledés Sueli Carneiro; a médica geriátrica e escritora Ana Claudia Arantes; a atriz, coreógrafa e primeira mulher negra cadeirante a dançar no Theatro Municipal de São Paulo Mona Rikumbi; a ativista de cuidados paliativos e jornalista Ana Michele Soares – morta em janeiro em decorrência de um câncer –, o fundador do movimento inFINITO, Tom Almeida e o líder da comunidade compassiva Alexandre da Silva.

Nos últimos séculos a expectativa de vida média aumentou de forma notável e o mundo atual testemunha uma mudança na pirâmide etária, na qual a população mundial está envelhecendo progressivamente. Segundo a ONU, em 2020 havia cerca de 703 milhões de pessoas com 65 anos ou mais em todo o mundo. A previsão é que esse número chegue a cerca de 1,5 bilhão em 2050.

Essa tendência também é realidade no Brasil. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), havia no país, em 2020, cerca de 30 milhões de pessoas com 60 anos ou mais, o que representa 14,3% da população total. A previsão é que em 2060, esse número chegue a 73 milhões de idosos, representando 34,1% da população brasileira. Em 1940, a expectativa de vida no Brasil era de 45 anos. Diante desse quadro, como diz Sueli Carneiro, encerrando o filme, viver é algo extraordinário.

Produzido pela Maria Farinha Filmes, idealizado por Marta Pipponzi e apoiado por instituições como o movimento global Ashoka e Instituto Alana, entre outras, o filme estreia no Festival do Rio, no Museu do Amanhã, no dia 11 e terá exibição em cinemas como o Espaço Itaú de Cinema em São Paulo. Ainda entrará no circuito de cinemas de Belo Horizonte, Brasília e Salvador. Na Itaú Cultural Play pode ser acessado gratuitamente em todo o país via site www.itauculturalplay.com.br e dispositivos móveis Android e IOS.  

Sobre Cacau Rhoden

O diretor Cacau Rhoden começou a carreira nos anos 90, trabalhando em produções de televisão, filmes publicitários e cinema. Dirigiu os curtas-metragens A Cega (1994), Infinitamente Maio (2001), Meninos de Areia (2005), Gotas (2005), Who? Walls and Bridges (2015) e Food, Funk and Favela (2023). Seu primeiro longa-metragem, Tarja Branca – A Revolução que faltava (2014), produzido pela Maria Farinha Filmes, conquistou o prêmio de melhor documentário no Festival de Toronto. Entre os trabalhos mais recentes estão o longa Nunca Me Sonharam (2017), premiado como Melhor Documentário no festival de Los Angeles e exibido na sede da ONU, em Nova York; e a série documental “Corações & Mentes – escolas que transformam” (2020), exibida no canal GNT, ambos produzidos pela Maria Farinha Filmes.

Sobre a IC Play

A Itaú Cultural Play é seu lugar de encontro com o cinema e o audiovisual nacional, com filmes de todos os estados e de várias vertentes temáticas e de linguagem.

A plataforma gratuita de streaming do Itaú Cultural (IC) oferece um catálogo diverso e com curadoria especializada de filmes, séries, programas de TV, festivais, mostras temáticas e/ou competitivas, além de conteúdos de instituições parceiras.

‍Além das produções próprias e das curadorias especializadas, a Itaú Cultural Play disponibiliza conteúdos e produtos especiais de instituições parceiras. A iniciativa visa ao fortalecimento da rede que produz e difunde arte e cultura brasileiras.

SERVIÇO:

Quantos Dias. Quantas Noites

(2023)

Direção: Cacau Rhoden

Quinta-feira, 12 de outubro.

Duração: 90 minutos

Classificação indicativa: para maiores de 12 anos (Temas sensíveis e violência)

Em: www.itauculturalplay.com.br

+ sobre o tema

O poder da beleza negra, na Vogue Itália

O poder da beleza negra, na Vogue Itália. A Vogue...

Beyoncé contrata 200 dançarinos africanos para novo clipe

Beyoncé contratou mais de 200 bailarinos africanos para o...

Camila Pitanga conta que faz terapia desde os 16 anos

Camila Pitanga falou com a Marie Claire e contou que faz...

Hoje na História, 1973, nascia Isabel Filardis

Isabel Cristina Teodoro Fillardis mais conhecida como Isabel Fillardis...

para lembrar

AmarElo – É tudo pra ontem: um olhar reflexivo sobre o Brasil

Desde o lançamento do álbum AmarElo, o rapper Emicida...

Núcleo de Cultura Afro-Brasileira completa 40 anos de atividades

O Núcleo de Cultura Afro-Brasileira (Nucab), da Universidade de...

14ª edição do VIVADANÇA Festival Internacional amplia conexões com o continente africano

O VIVADANÇA Festival Internacional apresenta sua 14ª edição entre...

Organizada por Jarid Arraes, antologia mergulha na pluriversalidade poética de mulheres negras

O selo literário Ferina, com curadoria, organização, coordenação de...
spot_imgspot_img

Documentário aborda o apagamento da negritude de Chiquinha Gonzaga

A trajetória de Chiquinha Gonzaga (1847-1935) é analisada sob novo viés em documentário que estreia nesta segunda (5/2), no canal Curta!. Dirigido por Juliana...

Por que Bob Marley é um ícone dos direitos humanos

Ao se apresentar em junho de 1980 na cidade alemã de Colônia, Bob Marley já estava abatido pela doença. Ainda assim, seu carisma fascinou...

‘Ah, se não Fosse o Ilê Aiyê’: bloco afro mais antigo do país celebra 50 anos de resistência e pioneirismo

Se o bloco afro mais antigo do país enfrentou resistência ao desfilar pelo circuito de Carnaval de Salvador (BA) pela primeira vez, em 1975,...
-+=