Em Dia Internacional, ONU celebra herança cultural e contribuições da África para o mundo

Na semana passada, as Nações Unidas observaram o Dia Internacional em Memória das Vítimas da Escravidão e do Comércio Transatlântico de Escravos. O chefe da ONU, Ban Ki-moon, destacou as contribuições dos povos africanos e afrodescendentes para a cultura, a ciência, a política e a medicina dos países que praticaram o tráfico de escravos.

Em celebração ao Dia Internacional em Memória das Vítimas da Escravidão e do Comércio Transatlântico de Escravos, comemorado na sexta-feira (25), o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, chamou atenção para a herança cultural e as contribuições trazidas pelos povos afrodescendentes para as sociedades que praticaram o tráfico de escravos ao longo de mais de quatro séculos.

no Nações Unidas

“A influência e o legado da África são evidentes na música vibrante, na arte ousada, nos alimentos ricos e na literatura inspiradora que permeiam a cultura moderna”, afirmou o chefe da ONU. “Menos reconhecidas, talvez, sejam as contribuições que os povos da diáspora africana deram à medicina, à ciência, ao governo e à liderança geral na sociedade.”

Ban Ki-moon também alertou para o racismo e o preconceito ainda existentes atualmente. “É imperativo que nós trabalhemos juntos por oportunidades iguais, por justiça e por desenvolvimento sustentável para as pessoas afrodescendentes”, disse.

Observada desde 2007 pelas Nações Unidas, a data internacional é um tributo aos mais de 15 milhões de homens, mulheres e crianças que sofreram e morreram durante os mais de 400 anos em que o comércio transatlântico de escravos provocou a maior migração forçada da história.

Em 2016, o Dia foi comemorado com o tema “Lembre da Escravidão: Celebrando a Herança e a Cultura da Diáspora Africana e suas Raízes”. Além disso, entre os anos de 2015 e 2024 a ONU marca a Década Internacional de Afrodescendentes, cujo tema é “Reconhecimento, justiça e desenvolvimento”.

Segundo o secretário-geral, as tradições e a cultura dinâmica da África “continuam a enriquecer a vida” dos países que se envolveram com o tráfico de escravos, os quais deixaram para seus descendentes um conjunto de “bens inestimáveis”, como sua coragem, sua força, sua tolerância e compaixão.

leia também: 

A História da Escravidão Negra no Brasil

+ sobre o tema

Das favelas sul-africanas para o mundo da ópera

A soprano Pumeza Matshikiza cresceu nas favelas da cidade...

Movimentos negro e de periferia lançam partido Frente Favela Brasil

Foi lançado oficialmente hoje (28) o partido Frente Favela...

Evento discute os Desafios Políticos da População Negra no Brasil

Encontro será a primeira etapa de outros debates sobre...

Mike Tyson na lona

Uma parte essencial em cada homem coloca em dúvida...

para lembrar

Will Smith conquista o SAG Awards e fica mais perto do primeiro Oscar

Will Smith conquistou o prêmio de melhor ator pelo trabalho...

Mano Brown reassume posto de comando, com Marighella

Atenção, está no ar a rádio libertadora!Nem o filme,...

SÃO PAULO: VII Semana da Cultura Negra

SÃO PAULO : VII Semana da Cultura Negra
spot_imgspot_img

Festival literário propõe amor e diversidade como antídotos ao extremismo

O Festival Literário Internacional de Paracatu - Fliparacatu - vai colocar no centro do debate o amor, a literatura e a diversidade como pilares...

Gilberto Gil afirma que não se aposentará totalmente dos palcos: “continuo querendo eventualmente cantar”

No fim de junho, saiu a notícia de que Gilberto Gil estava planejando sua aposentadoria dos palcos. Segundo o Estadão, como confirmado pela assessoria do...

Exposição e seminário em São Paulo celebram legado de Nelson Mandela

No dia 18 de julho é celebrado o Dia Internacional Nelson Mandela, data estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) em reconhecimento à contribuição...
-+=