Em viagem aos Estados Unidos, ministra da Igualdade Racial discute retomada de cooperação entre os países para combate ao racismo

Anielle Franco integra a comitiva do presidente Lula e também fará visita ao Museu Nacional de História e Cultura Afro-Americana

A ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, é parte da comitiva do governo brasileiro que vai acompanhar o presidente Luís Inácio Lula da Silva aos Estados Unidos, a partir desta quinta-feira (9), para uma visita ao presidente norte-americano, Joe Biden.

Além do fortalecimento da relação para a defesa da democracia, um dos temas importantes desta reunião é a retomada do JAPER, um plano conjunto entre Brasil e Estados Unidos para eliminação da discriminação étnico-racial e promoção da igualdade. O acordo bilateral foi assinado em 2008 e previa o intercâmbio de boas práticas entre os dois governos nas áreas de combate ao racismo nas áreas de educação, marcos legais, trabalho, violência de gênero, entre outras áreas. As últimas ações do plano foram executadas em 2011, e há interesse dos dois países em reativar a iniciativa.

“Nosso intuito é reposicionar o Brasil como liderança global de combate ao racismo e defesa de direitos humanos. Para isso, é fundamental pensarmos em uma cooperação entre Brasil e outros países, como o Estados Unidos, para o enfrentamento ao racismo de maneira global com iniciativas de fomento à população negra nas mais diversas áreas”, explica Anielle.

Na agenda, uma visita oficial ao Museu Nacional de História e Cultura Afro-Americana, com o intuito de conhecer metodologias e ações de financiamento internacional para o campo da memória e reparação da cultura negra.

“Temos algumas ideias para desenvolver editais de apoio direto voltados para pessoas negras, mas que ainda iremos desenhar em conjunto. Esse também vai ser um momento importante para trocar experiências e ações para a defesa da memória e cultura negra em toda a região. Esse é um tema central para trabalharmos para a justiça e reparação do nosso povo no Brasil”, completa a ministra.

Além disso, a ministra deve se reunir com a Representante Especial de Estado para Justiça e Igualdade Racial do Departamento de Estado dos EUA, Desirée Cormier Smith. A ideia é estreitar laços e promover o intercâmbio de ações de Estado para a erradicação do racismo e desigualdades.

+ sobre o tema

Por que as altas desigualdades persistem?

Com o fim da escravidão, nutria-se a esperança de que...

A indiferença e a picada do mosquito

Não é preciso ser especialista em saúde para saber que condições...

Capitalismo é incompatível com democracia, afirma escritor Achille Mbembe

Um dos mais importantes pensadores do mundo, o camaronês Achille...

para lembrar

Guerreiro Ramos, pioneiro nos estudos do racismo no Brasil

Não foram poucas as controvérsias protagonizadas, em vida, pelo...

Na Feira do Livro, Sueli Carneiro escancara racismo que ainda divide o Brasil

"Eu vivo num país racialmente apartado", afirma a filósofa Sueli...

“Mesmo com vice negra, somos oprimidas”, diz escritora colombiana

A escritora e jornalista colombiana Edna Liliana Valencia, de...

Em Moçambique, Anielle Franco assina acordo de combate ao racismo

Com agenda intensa em na África do Sul, a...
spot_imgspot_img

Por que as altas desigualdades persistem?

Com o fim da escravidão, nutria-se a esperança de que a liberdade proporcionaria uma gradual convergência nos indicadores socioeconômicos entre brancos e negros. Porém essa...

A indiferença e a picada do mosquito

Não é preciso ser especialista em saúde para saber que condições sanitárias inadequadas aumentam riscos de proliferação de doenças. A lista de enfermidades que se propagam...

‘Questão do racismo tem a ver com a sobrevivência do capitalismo’, diz Diva Moreira, intelectual negra de MG

"A despeito da rigidez da estrutura de dominação, eu sou uma mulher de muita esperança." É assim que a jornalista, cientista política, ativista e...
-+=