‘Era a única negra em congressos’, diz dentista ao ganhar prêmio por voluntariado

Mineira recebe título da ONG Turma do Bem, que gerencia 18 mil profissionais que atendem gratuitamente crianças e adolescentes com graves problemas bucais

Há um ano, a dentista Paula Regina Ávila, 48, entrou para uma equipe de voluntários que atende gratuitamente crianças e adolescentes com graves problemas bucais em Uberaba (MG).

Logo foi convidada pela ONG Turma do Bem a coordenar o projeto em sua cidade. Tarefa que se somou aos atendimentos em sua clínica e ao cargo de professora universitária.

A mineira, que é negra e mãe solo de duas, recebeu o título de “Melhor Dentista do Mundo” na última segunda-feira (18) em anúncio feito pelo vice-presidente Geraldo Alckmin. O título, criado pela Turma do Bem em 2010, premia o dentista voluntário que mais contribuiu com sua comunidade no período de um ano.

“É bonito ver que dou conta de tudo isso, que estou transformando a minha vida, a das minhas filhas e de outras pessoas”, diz Paula Ávila.

Em 2010, um estudo do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) mostrou que apenas 3,8% dos concluintes de odontologia no país eram negros.

“Sempre fui a única negra em congressos”, disse a dentista ao receber o troféu. “Hoje há mais entrada no ensino superior, mas depois da graduação, são muito poucos os que avançam, que têm acesso a uma educação continuada.”

Com mestrado e doutorado na área, Paula Ávila entrou na faculdade aos 17 anos. Foi incentivada pela mãe, que a criou sozinha, a estudar. Tem especializações pela USP e pela Unesp. “É correr atrás, não ter vergonha de onde você veio, procurar apoio.”

Como voluntária, Paula Ávila faz triagens e consultas com crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, indicadas por instituições parceiras da Turma do Bem.

“Vejo o brilho no olhar das crianças quando veem uma dentista preta, quando a gente trata com cuidado, olha nos olhos”, diz ela.

Para chegar ao “Melhor Dentista do Mundo”, entre dez finalistas, a Turma do Bem afere o número de atendimentos e de triagens odontológicas, a divulgação das ações da ONG, a captação de recursos, a capacidade de mobilização do poder público para promover políticas públicas, entre outros critérios.

O júri desta 13ª edição foi formado pelos próprios voluntários da rede da Turma do Bem. Concorriam com a mineira profissionais de São Paulo, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

“Nós temos muito poucos dentistas pretos e você representa todos eles”, disse Fábio Bibancos, presidente voluntário da Turma do Bem, na entrega do prêmio. “Você foi eleita pelos próprios dentistas e esse reconhecimento pela categoria é importante.”

O vice-presidente Alckmin gravou um vídeo para celebrar o título e valorizar o voluntariado. “Ser voluntário é uma escolha nobre. Vocês se dedicam firmemente a uma causa e, assim, constroem um futuro mais justo, solidário e com muitos sorrisos”, disse ele.

Criada há 20 anos, a ONG gerencia a maior rede de voluntariado especializado do mundo, com mais de 18 mil dentistas atuando em 12 países.

“Sempre fiz atendimentos voluntários, mas fazia de maneira desorganizada. Quando engajamos, conseguimos sistematizar com mais propósito, é uma força-tarefa”, diz Paula Ávila.

+ sobre o tema

Brasil sedia encontro da Marcha Mundial das Mulheres pela primeira vez

O Brasil sediará, pela primeira vez, o Encontro Internacional...

Antonieta de Barros: protagonista de uma mudança

Nascida em Florianópolis, Santa Catarina, em 11 de julho...

para lembrar

Autoridades consideram violência contra a mulher o direito humano mais violado em Angola

Angola registou 62.000 casos de violência doméstica contra a...

Lançamento do Instituto Odara em Salvador

Inclusão da mulher negra brasileira no novo ciclo de...

Paes e a desumanização da mulher negra

O Brasil é o país da cordialidade violenta, onde...

Justiça determina e capital paulista vai distribuir absorventes para alunos trans

Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo julgou procedente...
spot_imgspot_img

Mulher tem aborto legal negado em três hospitais e é obrigada a ouvir batimento do feto, diz Defensoria

A Defensoria Pública de São Paulo atendeu ao menos duas mulheres vítimas de violência sexual que tiveram o acesso ao aborto legal negado após o Conselho...

‘Abuso sexual em abrigos no RS é o que ocorre dentro de casa’, diz ministra

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, considera que a violência sexual registrada contra mulheres nos abrigos que recebem desalojados pelas enchentes no Rio Grande...

ONU cobra Brasil por aborto legal após 12 mil meninas serem mães em 2023

Mais de 12,5 mil meninas entre 8 e 14 anos foram mães em 2023 no Brasil, num espelho da dimensão da violência contra meninas...
-+=