Beyoncé lança curta-metragem em que reflete sobre a fama e o feminismo

‘Quando você é famoso, ninguém olha mais para você como um ser humano’, desabafa a cantora

Chris Pizzello

RIO – Para comemorar o aniversário de um ano do lançamento surpresa do álbum homônimo “Beyoncé”, a estrela pop divulgou nesta sexta-feira um curta-metragem em que faz reflexões sobre a fama e o feminismo. Filmado em preto e branco, o vídeo, intitulado “Yours and mine”, traz imagens da cantora em diversos cenários e situações.

“Às vezes tenho saudade do anonimato, de andar pelas ruas como todo mundo. Agora que sou famosa, é muito difícil fazer coisas simples”, narra a cantora logo no começo do filme, que tem 11 minutos de duração. “Quando você é famosa, ninguém a olha mais como um ser humano. Você se torna propriedade pública”, desabafa.

Ela lembra ainda como sua mãe, Tina Knowles, a ensinou a ser uma mulher forte e a “nunca se passar por vítima”. Beyoncé ainda realça o seu lado humano, dizendo ter passado por dificuldades comuns a todas as pessoas.

ADVERTISEMENT

“Meu refúgio é a música. Tenho sorte de trabalhar com isso”, afirma a artista, para em seguida tocar na questão da autoestima. “Sempre achei que tinha que consertar problemas e agradar às pessoas. Não acho que conflitos sejam algo ruim. Sei que, quando você cresce e aprende coisas, perde o medo do desconhecido, de ir a certos lugares da sua mente, do seu corpo e da sua alma. Isso começa com a capacidade de se olhar no espelho e dizer: ‘Eu gosto dessa pessoa'”.

Beyoncé ainda cita seu casamento com Jay Z, comemorando o fato de ter “alguém para testemunhar a sua vida”. Diz ainda que o amor que tem por ele e pela filha Blue Ivy é maior que sua própria vida.

Em dezembro de 2013, a cantora lançou na internet “Beyoncé”, seu quinto disco de estúdio. O trabalho foi recentemente indicado à principal categoria do Grammy, a de disco do ano.

 

Fonte: O Globo

+ sobre o tema

ONU Mulheres enfatiza força do movimento negro nacional e internacionalmente

O Brasil tem movimento negro bastante forte nacional e...

SPM realiza a 1ª Oficina do Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça

"A construção coletiva por meio do estabelecimento de parecerias,...

Torcida do corinthiana é multada por homofobia contra Emerson Sheik

Naquela ocasião, os torcedores apareceram no local portando faixas...

Quilombola capixaba lança primeiro clube de leitura antirracista do Brasil

Com entrega mensal de livros a associados, Pretaria BlackBooks...

para lembrar

Eu tenho medo, por Sueli Carneiro

Eu tenho medo, por Sueli Carneiro. Estou com Regina Duarte....

Aplicativo irá ajudar no combate à violência contra a mulher

Rio Grande do Sul será o primeiro estado brasileiro...

Eveliyn Boyd Granville: mulher, negra e PhD em matemática

Evelyn nasceu em 1º de maio de 1924 em...

Programa Por um cinema negro no feminino

Programa Por um cinema negro no Feminino // Mostra...
spot_imgspot_img

Pesquisadora aponta falta de políticas para diminuir mortalidade materna de mulheres negras no DF

"O Brasil é um país muito difícil para uma mulher negra ser mãe, por diversos fatores, dentre eles as dificuldades de acesso a saúde pública,...

Documentário sobre Lélia Gonzales reverencia legado da ativista

Uma das vozes mais importantes do movimento negro e feminista no país, Lélia Gonzales é tema do Projeto Memória Lélia Gonzalez: Caminhos e Reflexões Antirracistas e Antissexistas,...

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...
-+=