A escritora Carolina de Jesus ganhou uma linda homenagem da Turma da Mônica

Ação integra projeto Donas da Rua.

Por Amauri Terto, do HuffPost 

 

A página da Turma da Mônica no Facebook prestou nesta segunda-feira (13) uma bonita homenagem à Carolina de Jesus (1914-1977). O post lembra os 40 anos de morte de uma das primeiras e mais importantes escritoras negras do Brasil.

Moradora da favela do Canindé, zona norte de São Paulo, Carolina trabalhava como catadora e registrava o cotidiano da comunidade em cadernos encontrados no lixo. No final da década de 1950, foram encontrados mais de 20 diários da escritora.

Um desses cadernos deu origem ao livro Quarto de Despejo: Diário de uma Favelada, que foi recusado por diferentes editoras, sendo publicado somente em 1960.

O relato cru e em primeira pessoa da escritora nascida em Sacramento, Minas Gerais, marcou a história da literatura nacional. Após o lançamento, o livro teve mais três edições, foi traduzido para 13 idiomas e vendido em mais de 40 países.

“Conhecer e honrar as guerreiras do passado é uma das formas de cultivar um futuro mais justo para as meninas. E nesse quesito, não temos nem o que dizer sobre Carolina de Jesus. Dona da Rua nata!”, anuncia a publicação.

A homenagem da Turma da Mônica à escritora integra o projeto Donas da Rua, lançado no ano passado em em parceria com a ONU Mulheres e lançado no ano passado. A ideia é reforçar a autoestima de meninas de todo o Brasil a defesa de seus direitos.

No post, a personagem Bonga é quem representa Carolina de Jesus.

Veja a publicação na íntegra:

Além de Carolina, outras grandes mulheres da história do Brasil e do mundo já foram homenageadas na página da turminha de Mauricio de Sousa. Entre elas está Kathrine Switzer, a primeira mulher a participar da Maratona de Boston, em 1967, época em que quaisquer provas de rua do país eram integradas apenas por homens.

E também a professora Dorina Nowill (1919-2010), pedagoga cega e uma das maiores ativistas pela inclusão de pessoas com deficiência visual no Brasil.

Para acompanhar as homenagens da página, basta seguir a hashtag #DonasdaRua

 

Leia Também:

Mônica diz ‘Meu corpo, minhas regras’ em quadrinho e pessoas acham que roteirista estava fazendo ‘apologia ao aborto’

+ sobre o tema

Mães negras não adoecem

“Quem aqui de vocês quando doente, conseguiu ficar mais...

Uma negra na capa da Playboy

Quando era criança, o mês de maio era celebrado...

para lembrar

Movimentos lançam campanha de criação de cartazes feministas e anti-imperialistas

O Movimento Capire em parceria com a Marcha Mundial de Mulheres lançaram no...

Diversidade X Eurocentrismo e Patriarcado

Quem seriam os Outros ? O desenrolar das histórias...

Laura Cardoso, aos 89 anos: ‘O feminismo é necessário. Sou feminista desde menina’

"Desculpas esfarrapadas", disse a atriz sobre o caso Zé...

Mulher e poesia na obra de Niemeyer

Niemeyer é um homem que ama demais, a um...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=