Escrivã da polícia é morta durante depoimento de acusado de estupro no MA

A escrivã da Polícia Civil Loane Maranhão Silva Thé, 32, foi morta a facadas enquanto colhia depoimento de um homem acusado de abusar e estuprar as filhas dele, de 17 e 20 anos, na cidade de Caxias (a 361 km de São Luís), nesta quinta-feira (15).

Por: Aliny Gama

Loane estava sozinha em uma das salas da Delegacia da Mulher para tomar o depoimento do gari Francisco Alves Costa, 43, quando ele puxou a faca que estava escondida na roupa, e atacou a escrivã.

Aos ouvir os gritos de Loane, a investigadora Marlene Almeida tentou socorrer a colega e foi também atingida pelos golpes de faca, mas não morreu. Ela está internada no Hospital Regional de Caxias e não corre risco de morte.

A escrivã ainda chegou a ser socorrida, mas morreu antes de dar entrada no Hospital Regional de Caxias.

Loane trabalhava na Delegacia da Mulher de Caxias havia quatro anos e era natural de Teresina. O corpo dela está sendo velado na central de velórios Pax União, localizada em Teresina. O enterro será às 8h desta sexta-feira (16).

Após matar a escrivã e golpear a outra policial, Costa conseguiu fugir, mas foi preso próximo à rodoviária de Caxias, localizada no bairro Vila Lobão.

Ele foi autuado em flagrante e está preso na delegacia regional de Caxias.

O superintendente de Polícia Civil do Interior, Jair Paiva, afirmou que só estavam na delegacia a escrivã e a investigadora. Não se sabe porque elas não observaram que o homem estava portando uma faca.

Segundo o superintendente, o acusado disse que não teve a intenção de matar a escrivã, mas atacou-a porque notou que ia ficar preso.

“Ele não sabia que tinha sido denunciado pelas duas filhas e quando foi informado da ocorrência contra ele puxou a faca da calça e esfaqueou a escrivã.”

 

Fonte: UOL

+ sobre o tema

Exposição mostra vida de mulheres nas pedreiras da Chapada Diamantina

Com fotografias do jornalista e publicitário Alexandre Augusto, mostra...

‘O discurso de ódio contra a mulher não é liberdade de expressão. É crime’

Baaghi, uma blogueira paquistanesa, teve seu documento de identidade,...

Taís Araújo fala de diversidade na beleza: “Hoje em dia me sinto mais representada”

Atriz se torna garota-propaganda da Quem Disse, Berenice? e...

Ajude uma preta a ser escritora – escritora faz vaquinha na internet para lançar livro

Priscila sempre gostou de escrever, mas foi aos 14...

para lembrar

“EM FAMÍLIA” foi a cara do Brasil: Machista até o último capítulo!

Depois do que pareceu mesmo durar duas décadas, a...

Especial Negra é a Minha Cor conquista II Prêmio Nacional Jornalista Abdias Nascimento

Negras. Não "moreninhas", "escurinhas", "chocolate" ou outras formas de...

Novo Projeto Reporta: Internet, Vozes e Votos

Períodos eleitorais são momentos de ampliação de debates na...

Almanaque D’Elas leva o feminismo para o dia a dia de brasileiras e brasileiros

“Ah! Então, sou feminista” essa é conclusão que a...
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=