Triplo feminicídio em Santa Catarina: Homem é suspeito de matar ex e duas irmãs dela em Cunha Porã

Motivação do crime seria insatisfação de Jackson Lahr, de 24 anos, com fim de relacionamento.

Por Diego Iraheta, do HuffPost Brasil

MONTAGEM/FACEBOOK/EDERSON ABI/WH COMUNICAÇÕES
Julyane Horbach era a irmã mais velha, morta por ex-cunhado no interior de Santa Catarina.

Um triplo feminicídio. Três irmãs mortas.

Uma família despedaçada, uma criança órfã e uma cidade devastada.

No interior de Santa Catarina, a pequena Cunha Porã, colônia de imigrantes alemães de 11 mil habitantes, testemunhou nesta semana um dos crimes mais graves de sua História.

O principal suspeito é o agricultor Jackson Lahr, de 24 anos.

As vítimas foram a ex-namorada dele, Rafaela Horbach, de 15 anos, mãe de seu filho de dois meses, e as irmãs dela, Julyane Horbach, de 23, e Fabiane, de 12. Elas foram mortas a facadas.

Os assassinatos ocorreram na segunda-feira de Carnaval.

Além delas, o marido de Julyane, Gil Meyer, de 25, também foi atacado com faca por Jackson, mas conseguiu escapar.

O delegado de Maravilha (SC) Joel Specht explica a possível motivação do crime:

Ele alegou inconformismo com o término do relacionamento [com Rafaela]. Alegou que não estava tendo acesso para ver o filho. E também falou de uma suposta ação judicial que estaria prejudicando ele.Delegado Joel Specht, em entrevista à Rádio Líder FM

Jackson e Rafaela brigavam na Justiça porque ele não queria pagar pensão alimentícia ao filho e queria ter o direito de ver a criança.

O agricultor foi preso em flagrante e indiciado pelo triplo feminicídio e tentativa de homicídio qualificado.

Por cada um dos feminicídios, a pena varia de 12 a 30 anos de prisão.

No interrogatório da Polícia Civil de Santa Catarina, o suspeito disse que se lembra apenas de ter esfaqueado o cunhado e não as mulheres.

Em entrevista à rádio Líder FM, o pai delas, Neuri Horbach, atribuiu o crime à “ruindade” de Jackson. “Ele prometeu que ia matar ela e as outras também. Semana passada, fizeram boletim de ocorrência”, contou.

De acordo com o jornal Diário Catarinense, Rafaela havia registrado um BO contra o ex-namorado. Medidas protetivas para ela chegaram a ser adotadas, para que Jackson ficasse longe dela.

“Eu quero justiça”, disse Neuri Horbach no velório das filhas.

Ouça o delegado Joel Specht:

+ sobre o tema

Léa Garcia foi nome importante da arte contra o racismo

A arte brasileira perdeu um de seus maiores representantes...

As mães negras precisam ser cuidadas

Nós, mães negras, ouvimos o tempo todo que precisamos...

secretaria de políticas para as mulheres portaria nº 60, de 26 de maio de 2010

SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES PORTARIA Nº 60, DE 26...

para lembrar

Rei da cachaça é preso em MG acusado de estupro e tentativa de homicídio

O empresário Antônio Eustáquio Rodrigues, o Toni Rodrigues, 64,...

Trabalho doméstico: tempo de mudanças necessárias

Texto de Cecília Santos. Com a promulgação da PEC das...

Dilma diz que está preocupada com violência contra mulher

A presidenta Dilma Rousseff afirmou que está preocupada com...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=