Executiva do Facebook critica condição de trabalho das mulheres

Sheryl Sandberg, COO (Chief Operations Officer, ou chefe de operações) do Facebook, critica a condição atual das mulheres no mercado de trabalho, apontando que elas ocupam poucas posições de chefia nas empresas.

“As mulheres estão obtendo mais diplomas de graduação, de pós-graduação e entrando no mercado bem qualificadas”, diz Sandberg. Entretanto, “mulheres ocupam só 18, 15, 20% dos cargos mais altos”.

Segundo a executiva, autora de “Faça Acontecer”, as mulheres são barradas pela falta de flexibilidade, pela falta de oportunidade e até mesmo pela postura feminina no ambiente corporativo. “Não assumimos a liderança, não levantamos nossas mãos, não deixamos nossas vozes serem altas o bastante”.

Eleita pela revista “Forbes” como uma das dez mulheres mais poderosas do mundo, Sandberg se diz inconformada com o desenrolar das lutas por igualdade. “É hora de encarar o fato: nossa revolução empacou”.

Abaixo, assista ao vídeo divulgado pela Companhia das Letras, editora responsável pela publicação de “Faça Acontecer” no Brasil.

Fonte: Mulher Negra

+ sobre o tema

Os desafios e as lutas das mulheres, hoje. Entrevista especial com Darli Sampaio

"Eu gostaria de homenagear o rosto jovem da adolescente,...

Declaração das mulheres presentes no FSM 2013 Tunis – Tunisia

Congratulamo-nos com a presença significativa de mulheres, organizações de...

Brasil é o país mais perigoso para homossexuais, diz NYT

O Brasil vive hoje uma epidemia de violência contra homossexuais que...

Escola no CE é acusada de ensinar Física com conteúdo homofóbico

A analogia partiu da química, para explicar os fenômenos...

para lembrar

Entidades e lideranças políticas lamentam a morte de Theodosina Ribeiro

Entidades e lideranças políticas lamentam a morte de Theodosina...

Ministra: PEC das domésticas não provocará desemprego

Ex-empregada doméstica, a ministra do Tribunal Superior do Trabalho...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=