Feliciano diz que projeto sobre ‘cura gay’ protege psicólogos

O presidente da Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Câmara dos Deputados, Marco Feliciano (PSC-SP), publicou nesta quinta-feira (2) em sua conta no Twitter mensagem afirmando que o projeto que derruba trecho de resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP) protege o psicólogo que é “procurado por alguém com angústia sobre a sua homossexualidade”. O projeto foi incluído por Feliciano na pauta de votação da próxima reunião deliberativa do colegiado, na quarta-feira (10).

De acordo com Feliciano, também por meio do microblog, “a mídia divulga um PL [projeto de lei] como ‘cura gay’ quando na verdade ele não trata sobre isso”. “Homossexualidade não é doença”, diz o deputado na mensagem.

O projeto, de autoria do deputado João Campos (PSDB-GO), líder da bancada evangélica na Câmara, pede a extinção de dois artigos da resolução do CFP. Um deles impede a atuação dos profissionais para tratar homossexuais e qualquer ação coercitiva em favor de orientações não solicitadas pelo paciente.

O outro artigo determina que psicólogos não se pronunciem de modo a reforçar preconceitos em relação a homossexuais. Na prática, se esses dois artigos forem retirados, psicólogos estariam liberados para atuar em busca da suposta “cura gay”.

Por meio de nota, o CFP informou que o presidente do conselho, Humberto Verona, considera o projeto inconstitucional. Para Verona, a psicologia “está voltada para reduzir ou mesmo dirimir o sofrimento gerado pelo preconceito social e pela humilhação que esse preconceito cotidianamente produz”.

“A atuação profissional, desta forma, deve estar vinculada diretamente ao respeito, proteção e expansão dos direitos de todos os cidadãos, independente de sua identificação étnico-racial, de gênero ou de orientação sexual”, afirma o presidente na nota. De acordo com o CFP, a homossexualidade deixou de constar no rol de doenças mentais classificadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) há mais de 20 anos.

Apesar de ter sido colocado em pauta por Feliciano, o projeto, que ainda deve passar por outras duas comissões antes de ir para o plenário da Câmara, não precisa ser votado obrigatoriamente na próxima reunião, na quarta-feira (8). De acordo com Feliciano, ainda pelo Twitter, cabe aos parlamentares decidirem sobre a aprovação do texto.

“Como presidente da CDHM [Comissão de Direitos Humanos e Minorias] apenas coloco em pauta os projetos, cabe aos parlamentares discutirem, discursarem e convencerem com seus argumentos”, afirma o deputado na publicação.

Feliciano responde a dois processos no Supremo Tribunal Federal (STF): um inquérito que o acusa de homofobia e uma ação penal na qual é denunciado por estelionato. A defesa do parlamentar nega as duas acusações. Desde que assumiu a presidência da comissão, o deputado é alvo de protestos pelo país em razão de declarações consideradas homofóbicas e racistas.

Heterossexuais e racismo
Também foi colocado na pauta para votação da comissão projeto que penaliza a discriminação contra heterossexuais, estabelecendo políticas antidiscriminatórias para proteger quem se relaciona com pessoas do sexo oposto. O texto, de autoria do líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), estabelece pena de um a três anos de reclusão para esse tipo de crime.

Feliciano quer votar, ainda, projeto de lei que busca especificar os atos considerados crimes de disciminação e preconceito, indo além da lei do racismo em vigor. A proposta define o crime de discriminação resultante de preconceito de raça, cor, etnia, religião ou origem. No texto substitutivo (projeto com alterações) da relatora, deputada Erika Kokay (PT-DF), que deixou a comissão, foi inserido o crime cometido por “orientação sexual” e “idade”, o que beneficia homossexuais e idosos.

Pastora que pregava cura homossexual revela: Fiz tudo o que a igreja mandou fazer para deixar de ser lésbica, não deu certo

Religião, verdade e desgraça

Feliciano coloca em votação na CDH projeto de ‘cura gay

Pastor que fazia ‘cura gay’ é preso por abuso sexual de dois homens

Londres proíbe anúncio que oferece ‘cura para gays

‘Baixar o porrete’: Pastor pode virar réu por incitar ódio aos gays

 

Fonte: G1

+ sobre o tema

Combate ao trabalho escravo sofre corte orçamentário no Brasil; 369 mil são afetados

"Sem fiscalização o mundo do trabalho volta à barbárie....

A TV, o tabu e o interesse nacional

Fonte: O Estado de São Paulo - Eugênio Bucci...

‘É uma fábrica de tortura, que produz violência e cria monstros’, diz padre que visitou presídio em Manaus

Pessoas feridas, celas superlotadas e uma alimentação precária. Essas...

Quatro em cada 10 moradias do país têm alguma inadequação básica

Quatro em cada 10 domicílios (41,2%) em cidades brasileiras...

para lembrar

A invisibilidade do racismo nos dados da Covid-19

As respostas às desigualdades em saúde só podem ser adequadas quando...

Carta aberta do professor Boaventura de Sousa Santos às autoridades brasileiras

Apoio aos povos indígenas e repúdio à PEC 215/200 no...

Maceió: Movimento negro denuncia ação de policiais à Promotoria de Justiça de Direitos Humanos

Representantes do movimento negro, a professora universitária Franqueline...
spot_imgspot_img

Governo define nova data para o ‘Enem dos concursos’; CNU será em 18 de agosto

O Ministério da Gestão divulgou, nesta quinta-feira (23), a nova data para o Concurso Público Nacional Unificado (CPNU), que ficou conhecido como "Enem dos concursos"....

Anemia falciforme: 1º paciente no mundo inicia terapia genética contra a doença

Na quarta-feira, Kendric Cromer, um menino de 12 anos de um subúrbio de Washington, tornou-se a primeira pessoa no mundo com doença falciforme a...

‘Geração ansiosa’: transtornos mentais em crianças que vivem grudadas no celular aumentam no mundo todo

Veja o vídeo da matéria Crianças e adolescentes do mundo todo estão em perigo. É o que diz o livro “A geração ansiosa”, do psicólogo...
-+=