Grupo interministerial vai propor sistema de cotas para o Mais Médicos

Trabalho terá duração de 120 dias

Um grupo de trabalho interministerial foi criado para avaliar e propor recomendações para a reserva de vagas para pessoa com deficiência e grupos étnico-raciais, nos concursos para profissionais do programa Mais Médicos para o Brasil. O decreto que estabelece a composição e as regras para os encontros dos representantes foi publicado nesta sexta-feira (6), no Diário Oficial da União.

O grupo será coordenado pelo representante do Ministério da Saúde e terá ainda a participação dos ministérios dos Direitos Humanos e da Cidadania, da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, da Igualdade Racial, do Planejamento e Orçamento, e dos Povos Indígenas.

O trabalho terá duração de 120 dias, com reuniões mensais e a elaboração de um cronograma de atividades. Ao final desse prazo será elaborado um relatório para ser encaminhado aos ministros dos órgãos participantes, assim como o planejamento dos trabalhos.

De acordo com o Ministério da Saúde, após a retomada do programa no início do ano, quase 2 mil municípios foram atendidos, sendo 45% de regiões de vulnerabilidade social. A expectativa é de que até o fim de 2023, 28 mil profissionais estejam realizando atendimento em todo o país.

Local de atuação

O Sistema de Gerenciamento de Programas (SGP) está aberto, até hoje (6), para receber a escolha do local de atuação pelos profissionais selecionados nos últimos processos seletivos, dos ciclos 33 e 34 do Mais Médicos.

+ sobre o tema

Segurança pública e genocídio negro no Brasil

Pacote anticrime garante licença para matar a policiais por Douglas...

Minas Gerais: Contra intolerância religiosa e racismo na infância

Governo de Minas lança campanhas contra intolerância religiosa e...

Instituições do mercado financeiro assinam compromisso com a equidade racial

Instituições ligadas ao mercado financeiro firmaram um compromisso coletivo...

para lembrar

Comitiva do movimento negro brasileiro vai à posse de Boric no Chile

Uma comitiva formada por organizações do movimento negro brasileiro está a...

Charlie Hebdo passa de todos os limites ao ironizar criança síria que morreu afogada

A revista francesa Charlie Hebdo voltou aos holofotes nesta...

Calderoli: depois do racismo, a magia negra

Roberto Calderoli, um ex-ministro italiano, comparou a ministra da...
spot_imgspot_img

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...

Como o diabo gosta

Um retrocesso civilizatório, uma violência contra as mulheres e uma demonstração explícita do perigo que é misturar política com fundamentalismo religioso. O projeto de lei...
-+=