Idosa é condenada a quatro anos por insultos racistas na Avenida Paulista

Pena, contra a qual não cabe recurso, deve ser cumprida em regime aberto pela idosa que usou de insultos racistas para ofender três pessoas negras. 

Um dos casos de racismo mais polêmicos dos últimos anos – e não foram poucos – foi encerrado na última quarta-feira sem possibilidade de recurso. A sentença do Tribunal de Justiça de São Paulo condena Davina Aparecida Castelli, de 75 anos, a quatro anos de pena em regime aberto por ter insultado aos berros três pessoas negras que se encontravam em um shopping da avenida Paulista, o coração financeiro da capital paulista. Castelli os chamou de “macacos”, “negros imundos” e “favelados” diante uma multidão atônita. A condenação inicial em primeira instância, de fevereiro de 2014, era mais severa e sentenciava a ré a quatro anos de prisão em regime semiaberto além de lhe exigir uma indenização de 28.960 reais a cada uma das vítimas, mas a Defensoria Pública, responsável pela defesa da idosa, recorreu e conseguiu um castigo um pouco mais leve. A condenada, que não se apresentou em nenhuma das vistas judiciais do processo, não pode recorrer.

no El País

O caso aconteceu em novembro de 2012 na farmácia de um shopping na avenida Paulista. A corretora de imóveis Karina Chiaretti procurava um esmalte de unhas ao lado da filha de nove anos quando Castelli começou a berrar uma variedade de insultos racistas: “macaca, eu não gosto de negro”, “negro é imundo”, “negros são favelados”, “negros deveriam estar proibidos de frequentar shopping center”, etc. Ao perceber a gritaria, os outros dois denunciantes, Suelen Mariano e Alex Marques, também negros, se aproximaram e foram recebidos pela idosa, segundo a sentença, com os mesmos insultos e mais: “eu sou superior a vocês, porque sou descendentes de alemães”. A polícia foi chamada e, enquanto a senhora se esquivava e se refugiava em casa com a desculpa de procurar um remédio, as vítimas abriam um boletim de ocorrência e tentavam dar um basta às atitudes da mulher já conhecida na região, e também em Curitiba, e na Justiça, por insultos impronunciáveis.

Veja o vídeo:

Leia a matéria completa em:  Davina Castelli: A ficha corrida de uma senhora racista e seus crimes reincidentes

+ sobre o tema

Cristóvão revela ter sido alvo de racismo de parte da torcida do Vasco

Treinador tricolor reclamou de xingamentos quando fazia substituições que...

Feminismo asiático: mulheres amarelas lutam contra a erotização e o racismo 

"O feminismo asiático se tornou um espaço de identificação...

UEPG volta atrás e decide manter cotas para negros nos vestibulares

Conselho Universitário da instituição se reuniu nesta segunda-feira (2).Decisão...

Como parlamentares negros exemplificam a discriminação racial em vídeo

O 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra,...

para lembrar

Gênero, raça e ascenção social

por Sueli Carneiro ASHELL ASHELL PRA TODO MUNDO ASHELL Ela mora...

Série Heranças da Escravidão mostra a ascensão dos negros na nova classe média

  Série mostra diferenças sociais entre negros e brancos A quarta...
spot_imgspot_img

Futuro da gestão escolar

A educação pública precisa de muitos parceiros para funcionar. É dever do Estado e da família, com colaboração da sociedade, promover a educação de todas as...

Educação para além dos muros da escola

Você pode fornecer escolas de qualidade para os mais pobres e, mesmo assim, talvez não veja a mudança na realidade do país que se...

Criança não é mãe

Não há como escrever isto de forma branda: nesta quarta-feira (12), a Câmara dos Deputados considerou urgente discutir se a lei deve obrigar crianças vítimas de estupro à...
-+=