Após protestos, PM revoga ordem que orienta policiais a abordarem negros

Ouça o audio

Link | Download

 

A determinação considerada racista e que gerou indignação e revolta nos ativistas de direitos humanos partiu do capitão da PM de Campinas, Ubiratan de Carvalho Beneducci.

No documento, que é destinado aos seus subordinados, ele orienta os policiais a abordarem negros e pardos, para combater roubos na região do Taquaral. O porta-voz da Polícia Militar, capitão Eder Antônio de Araújo, nega que a atitude seja racista e afirma que essa linguagem é comum na corporação.

Ele ressalta que a orientação para o patrulhamento continua. O promotor de justiça, Eduardo Valério, lamenta a instrução emitida pela Polícia Militar e frisa que o Ministério Público vai acompanhar a investigação do caso.

Para Douglas Belchior, do Comitê Contra o Genocídio da População Negra, a ordem do capitão Ubiratan não chega a surpreender o movimento negro. Ele conta que o preconceito contra os negros é comum na PM. Reportagem de Lúcia Rodrigues.

 Matérias relacionadas

Pedro Amaral, um jovem negro que se passar pelo Taquaral será tratado como “suspeito”

Orientação racista na PM-SP provoca indignação de grupo de Direitos Humanos

Campinas: Após assalto em bairro luxuoso, PM dá ordem para abordar ‘negros e pardos’

 

Fonte: Rede Brasil Atual

+ sobre o tema

‘Waiting list’

Você sabia que existe uma lista de espera no...

Negros não viajam no tempo

Quem nunca respondeu a esta pergunta: Se você pudesse...

Moradores da Vila Cruzeiro negam confronto que resultou na morte de menor

Parentes e vizinhos do menor Abrahão da Silva, 14...

Estudo aponta ligação entre a predominância de robôs brancos e o racismo

Segundo pesquisa, pessoas enxergam nas máquinas interfaces humanas, portanto...

para lembrar

Polêmica racial e ‘reelitização’ no Itamaraty

Justiça barra aspirantes a diplomata indevidamente autodeclarados negros em...

Marcos Aurélio Ruy: A perversidade do racismo no Brasil

O capítulo Segurança Pública e Racismo Institucional, da quarta...

Só o PCC ameaça São Paulo?

Por Antonio Martins Breve dossiê revela: onda de assassinatos que...

Baile de favela? Só se for bem longe dela!

A favela é quase um mito urbano. Não porque...
spot_imgspot_img

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...
-+=