Imigrantes denunciam assassinatos e agressões em protestos contra racismo e xenofobia em SP

Bruno Bocchini
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – Manifestantes, em sua maioria imigrantes africanos no Brasil, que faziam um protesto contra o racismo e a xenofobia hoje (21) em frente à Secretaria de Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, denunciaram casos de assassinatos e agressões contra negros e imigrantes latinos.

Entre os pedidos das entidades que participaram do protesto, o grupo requer um pedido imediato de desculpas da presidenta Dilma Rousseff ao povo africano em razão do assassinato da estudante angolana Zulmira de Souza Borges Cardoso, morta há um mês no bairro do Brás, em São Paulo. Eles pedem também o acompanhamento do caso pelo Ministério da Justiça e pela Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.

“Queremos justiça pela Zumira. Queremos justiça pela comunidade negra africana. Só em 2012 tivemos dez casos de racismo contra africanos em geral no Brasil”, disse Marcel Sebastião de Carvalho, representante a União dos Estudantes Angolanos em São Paulo.

De acordo com os manifestantes, Zulmira estava com amigos no Brás, bairro paulistano muito frequentado por imigrantes africanos. O agressor teria chamado os angolanos de “macacos”, entre outras ofensas racistas. Cerca de 20 minutos depois o homem voltou armado e disparou contra o grupo, ferindo três angolanos e matando Zulmira. A polícia ainda investiga o caso.
Edição: Fábio Massalli

 

Fonte: Agência Brasil

+ sobre o tema

Coalizão Negra por Direitos: ‘Sabíamos que negros no governo seria difícil’

A fala do presidente Lula (PT) na qual descartou que gênero...

Campanha por ministra negra no STF toma as ruas de Brasília

A expectativa para quem será indicado pelo presidente Luiz...

Histórias de uma santa negra no Brasil que é digna de filme

Santa, embusteira ou demente? São três perguntas para uma...

Fundo Agbara destaca iniciativas de impacto pelo Brasil em livro sobre filantropia negra

São Paulo, setembro de 2023 – O Fundo Agbara,...

para lembrar

Outdoor que expõe racistas: um bronze que vale ouro

Os racistas que se escondem atrás dos teclados foram...

Dinorah, mais um símbolo do racismo brasileiro

Em seu doutorado, posteriormente livro e documentário, Joel Zito...

Sambo (Coon) – Reconhecendo estereótipos racistas internacionais – Parte III

Em 1898, quando a escravidão nos EUA já havia...

Aluna desabafa sobre preconceito racial na aula e vídeo viraliza na web

Colegas da faculdade ridicularizaram a jovem, falando do cabelo...
spot_imgspot_img

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...

‘Moro num país racista’, diz empresário que encerrou contrato de R$ 1 mi por ser chamado de ‘negão’

Nem o ambiente formal de uma reunião de negócios foi capaz de inibir uma fala ofensiva, de acordo com Juliano Pereira dos Santos, diretor...
-+=