Estátua de manifestante do movimento ‘Black Lives Matter’ substitui monumento de traficante de escravos em Bristol, Inglaterra

Enviado por / FonteVogue

Bristol, uma cidade na Inglaterra a quase 200 km de Londres, chamou a atenção do mundo todo, no mês passado, depois que manifestantes do movimento ‘Black Lives Matter’ derrubaram uma antiga estátua de um traficante de escravos do século XVII e a jogaram no rio Avon. O monumento de bronze, que homenageava Edward Colston (1636-1721), estava instalado no centro do municipio desde 1895, porém, com os debates acerca da justiça racial e do racismo, o objeto vinha se tornando cada vez mais controverso e foi alvo durante as manifestações que aconteceram depois da morte do segurança negro, George Floyd, nos Estados Unidos.

Hoje, a região voltou a ser manchete internacional, pois o pedestal que abrigava o monumento do escravocrata ganhou uma nova moradora. É que um artista britânico, chamado Marc Quinn, projetou uma estátua que representa uma manifestante negra do movimento que surge com o punho erguido em uma saudação ao Black Power, e a instalou no local onde, antes, ficava Colston. Segundo o artista,  a obra de arte foi baseada em uma fotografia de Jen Reid, uma moradora de Bristol que havia escalado o pedestal vazio quando voltava para casa de uma das manifestações em junho.

Assim como comunica uma matéria da CNN, o artista entrou em contato com a mulher depois que uma amiga lhe mostrou a imagem e, então, criou a estátua em tamanho real usando resina preta. Em um comunicado à imprensa, divulgado nesta quarta-feira (15), o artista pontuou que a escultura “é uma personificação e amplificação das idéias e experiências de Jen, e do passado, presente e sua esperança de um futuro melhor”.

Estatua de manifestante do ‘Black Lives Matter’ substitui monumento de escravocrata derrubada no mês passado em Bristol (Foto: Reprodução/Instagram)

Oficialmente intitulada como “A Surge of Power (Jen Reid) 2020”, a escultura, apesar de incrivel, vai ocupar o pedestal apenas temporariamente. O artista confirmou que não recebeu permissão das autoridades para que ela ficasse ali para sempre. Caso a obra seja vendida, Quinn também disse que os lucros serão doados a duas instituições de caridade escolhidas pela musa inspiradora do trabalho.

A manifestação em que a derrubada de Edward Colston aconteceu foi um dos maiores de Bristol, reunindo cerca de 10.000 pessoas que marchavam juntos em busca de justiça. No comunicado publicado pelo estúdio de Marc, Jen se lembra de ter sentido um “impulso avassalador”, que a fez subir ao pedestal após o protesto. “Era como se uma carga elétrica de energia estivesse passando por mim”, finalizou.

 

Leia Também:

Reino Unido endividou-se para proteger escravocratas

 

+ sobre o tema

Beyoncé dá aval a Kamala Harris para usar música em campanha

A vice-presidente Kamala Harris fez uma grande entrada durante sua primeira...

Com iniciativa Global Gateway, UE apoia o Brasil no combate às desigualdades no mundo

A presidência brasileira do G20 fez do combate à fome, à...

Kamala Harris diz que está ‘honrada’ com apoio de Biden e que pretende ‘merecer e ganhar’ candidatura democrata

A vice-presidente Kamala Harris disse em uma declaração neste domingo que...

para lembrar

Michelle Obama faz veemente apelo por reforma na lei de controle de armas

  A primeira-dama dos EUA, Michelle Obama voltou a Chicago,...

Homenagem a Michael Jackson: Presos filipinos fazem nova dança

Os detentos de uma prisão de Cebu (região central...

‘Quem está preso, sem a culpa formada, tem de ser solto’, diz ministro Marco Aurélio

Ministro do Supremo autorizou a libertação de presos em...

Alunos e jornalista torturado rebatem defesa da ditadura militar na USP

Cíntia Alves Jornal GGN – "Professor Gualazzi, por gentileza,...

Biden desiste de reeleição após pressão e anuncia apoio a Kamala Harris

Após pressão de democratas, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou neste domingo (21) que não irá concorrer à reeleição, em disputa contra o...

Para cumprir os ODS, o Estado brasileiro precisa parar de matar pessoas negras

Em um período de dez anos (2012-2022), o Brasil registrou o assassinato de 445.442 pessoas negras. De acordo com o Atlas da Violência de...

Coalizão de entidades lança campanha por mais negros nos parlamentos

A Coalizão Negra por Direitos, que reúne mais de 200 entidades, dará início à campanha “Quilombo nos Parlamentos Eleições 2024”. O lançamento acontece na...
-+=