Estátua de manifestante do movimento ‘Black Lives Matter’ substitui monumento de traficante de escravos em Bristol, Inglaterra

Enviado por / FonteVogue

Bristol, uma cidade na Inglaterra a quase 200 km de Londres, chamou a atenção do mundo todo, no mês passado, depois que manifestantes do movimento ‘Black Lives Matter’ derrubaram uma antiga estátua de um traficante de escravos do século XVII e a jogaram no rio Avon. O monumento de bronze, que homenageava Edward Colston (1636-1721), estava instalado no centro do municipio desde 1895, porém, com os debates acerca da justiça racial e do racismo, o objeto vinha se tornando cada vez mais controverso e foi alvo durante as manifestações que aconteceram depois da morte do segurança negro, George Floyd, nos Estados Unidos.

Hoje, a região voltou a ser manchete internacional, pois o pedestal que abrigava o monumento do escravocrata ganhou uma nova moradora. É que um artista britânico, chamado Marc Quinn, projetou uma estátua que representa uma manifestante negra do movimento que surge com o punho erguido em uma saudação ao Black Power, e a instalou no local onde, antes, ficava Colston. Segundo o artista,  a obra de arte foi baseada em uma fotografia de Jen Reid, uma moradora de Bristol que havia escalado o pedestal vazio quando voltava para casa de uma das manifestações em junho.

Assim como comunica uma matéria da CNN, o artista entrou em contato com a mulher depois que uma amiga lhe mostrou a imagem e, então, criou a estátua em tamanho real usando resina preta. Em um comunicado à imprensa, divulgado nesta quarta-feira (15), o artista pontuou que a escultura “é uma personificação e amplificação das idéias e experiências de Jen, e do passado, presente e sua esperança de um futuro melhor”.

Estatua de manifestante do ‘Black Lives Matter’ substitui monumento de escravocrata derrubada no mês passado em Bristol (Foto: Reprodução/Instagram)

Oficialmente intitulada como “A Surge of Power (Jen Reid) 2020”, a escultura, apesar de incrivel, vai ocupar o pedestal apenas temporariamente. O artista confirmou que não recebeu permissão das autoridades para que ela ficasse ali para sempre. Caso a obra seja vendida, Quinn também disse que os lucros serão doados a duas instituições de caridade escolhidas pela musa inspiradora do trabalho.

A manifestação em que a derrubada de Edward Colston aconteceu foi um dos maiores de Bristol, reunindo cerca de 10.000 pessoas que marchavam juntos em busca de justiça. No comunicado publicado pelo estúdio de Marc, Jen se lembra de ter sentido um “impulso avassalador”, que a fez subir ao pedestal após o protesto. “Era como se uma carga elétrica de energia estivesse passando por mim”, finalizou.

 

Leia Também:

Reino Unido endividou-se para proteger escravocratas

 

+ sobre o tema

Obama precisa se justificar perante o Congresso sobre ação militar na Líbia

A Casa Branca enviou, nesta quarta-feira, um dossiê de...

O duplo desafio de Obama

- Fonte: O Estado de São Paulo - Conforme...

ADPF das Favelas: falas de Jacqueline Muniz, Daniel Hirata, Michel Misse e mais

A audiência pública sobre a ADPF 635, conhecida como...

para lembrar

Lázaro Ramos causa alvoroço na Marcha contra Genocídio do Povo Negro em Salvador

Por: Marivaldo Filho O ator baiano Lázaro Ramos participou, na...

Justiça decreta prisão de major envolvido no caso Amarildo

Outros três policias envolvidos no desaparecimento e morte do...

A Bahia está mergulhada num mar de sangue

Postura radical é inaceitável para policiais acostumados a chutar...

Atirador mata três homens negros na Flórida; crime teve ‘motivação racial’, diz polícia

Um homem branco matou três homens negros do lado de fora de uma loja de descontos em Jacksonville, no estado americano da Flórida, em...

Morte de nigeriano agredido na rua na Itália causa revolta e chega a debate eleitoral

O assassinato de um vendedor ambulante nigeriano na última sexta-feira (29) na Itália gerou indignação e, em meio às discussões para a eleição no país, intensificou debates...

Júri absolve policial acusado pela morte de Breonna Taylor nos EUA

Um júri absolveu nesta quinta-feira (3) o único policial acusado pela morte de Breonna Taylor, uma americana negra baleada há cerca de dois anos...
-+=