Mulheres protestam nos EUA pelo direito ao aborto, no 50ºaniversário de Roe vs. Wade

Enviado por / FonteMarie Claire

Mais de 200 eventos estão sendo realizados neste domingo (22), em todo o país, para protestar contra a decisão da Suprema Corte, que derrubou o direito constitucional ao aborto nos EUA

Mulheres de mais de 46 estados dos Estados Unidos foram às ruas neste domingo (22) para protestar contra a revogação do direito ao aborto, até o ano passado garantido constitucionalmente por uma decisão judicial conhecida como Roe v. Wade –que agora completa 50 anos. A vice-presidente Kamala Harris esteve nas manifestações.

Ela reafirmou durante seu discurso em Tallahassee, na Flórida, a luta pelos direitos reprodutivos em todo o país. “[…] Estamos em uma marcha para cumprir nossa promessa. Para completar o trabalho iniciado. Para garantir liberdade para todos. É preciso determinação e dedicação inabaláveis”, afirmou.

E ainda anunciou uma nova medida do governo que garantirá um aborto seguro, caso exista o desejo de interromper a gestação. “Tenho o prazer de anunciar que o presidente Biden emitiu um memorando presidencial. Membros do nosso gabinete e da nossa administração agora são orientados a identificar barreiras ao acesso [ao aborto] e recomendar ações para garantir que os médicos possam prescrever legalmente, encaminhar as mulheres e para que possam garantir medicamentos seguros e eficazes”, acrescentou.

O presidente Joe Biden se manifestou sobre a data em seu Twitter. “Deixe-me ser claro: o direto de escolha da mulher não é negociável. Não parei de lutar para proteger os direitos reprodutivos das mulheres –e não pararei”, afirmou, cobrando ainda o Congresso para que trabalhe numa legislação em prol do direito ao aborto legal.

Vice-presidente Kamala Harris — Foto: Getty

Mais de 200 eventos em todo o país

De acordo com o The Guardian, são mais de 200 eventos que marcam a data. Desde que a Suprema Corte decidiu, em 24 de junho, derrubar o direito constitucional ao aborto legal, a legislação sobre isso ficou a cargo dos estados, que têm autonomia para decidir. A prática foi, então, proibida ou severamente restringida em 14 estados.

Segundo o USA Today, os protestos estão sendo chamados de Bigger Than Roe (Maior do que Roe, em tradução livre). “A luta está nos estados agora, então é para lá que estamos indo”, informou Rachel O’Leary Carmona, uma das organizadoras e diretora executiva da Marcha das Mulheres.

De acordo com o mapa da ONG, a marcha principal acontece em Madison, no estado de Wisconsin. O local serve para simbolizar como a batalha do aborto no país virou um assunto estadual. A organização justificou a escolha da cidade: “Não estamos deixando de lado o drama em Washington DC [a capital do país]. Estamos mandando uma mensagem clara aos líderes eleitos e à nossa base: vamos aonde a luta está, e isso significa nos estados. Vamos começar por Wisconsin, onde acontecerá uma eleição da suprema corte que determinará o equilíbrio de poder nas cortes estaduais e o futuro do direito ao aborto em Wisconsin”.

+ sobre o tema

Serena Williams questiona: “por que sou negra, então, pareço má?”

Para ser dominante no circuito feminino e uma das...

Essas 5 mulheres comandam negócios que você deveria conhecer

A população negra no Brasil movimenta ao ano 1,7...

A deputada federal, Tia Eron não me representa

Somos uma Organização Feminista & Feminina somos Rural e...

8 perguntas sobre alienação parental: a construção do desamor

Aceitar mudanças nunca é fácil, principalmente quando elas não...

para lembrar

Não Nasci Pra Ser Bonita: A autoestima da Mulher Negra

Quando tinha 13 anos de idade, fui ao clínico...

30/04 – Nota da Ministra Eleonora Menicucci pelo Dia das Trabalhadoras Domésticas

O Dia das Trabalhadoras Domésticas, às vésperas do 1°...

O que falta em uma mulher com deficiência?

O ‘diferente’ sempre assusta porque incomoda e toca na...

Mulheres concentram 60% de casos de racismo pela internet no Brasil

O racismo dói e tem viés de gênero. As...
spot_imgspot_img

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Moraes libera denúncia do caso Marielle para julgamento no STF

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou nesta terça-feira (11) para julgamento a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra...
-+=