Não é cansativo? Paulo Gustavo faz ‘blackface’ e causa polêmica na internet

No último domingo, dia 12, o ator Paulo Gustavo publicou uma foto no Facebook no qual interpreta a personagem Ivonete, uma mulher pobre e negra.

no Catraca Livre

Para interpretá-la, o ator recorre ao uso do “blackface”, uma técnica de maquiagem em que pessoas brancas pintam-se de negras para imitá-las de forma caricata. A prática é considerada ofensiva por discriminar e reforçar estereótipos racistas.

De acordo com a pesquisadora feminista Djamila Ribeiro, o blackface “serve tanto como estereótipo racista quanto como forma de exclusão, porque se no primeiro caso ridiculariza, no segundo nega papéis a artistas negros”.

paulo-gustavo

Na rede social, usuários criticaram a publicação. “Não sei qual é a graça de se pintar de preto. Quer um personagem negro? Contrate um e pare de nos usar como fantasia”, escreveu uma internauta. “Sou negra e não preciso de um branco se pintando de negra para me representar”, comentou outra.

leia também: Paulo Gustavo decide refazer personagem após ser acusado de racismo: ‘Peço desculpas’

Screen Shot 2016-06-16 at 10.07.35 AM

Pouco depois, o ator usou a rede social para se defender. Confira:

No dia de hoje soubemos que 50 pessoas foram covardemente assassinadas em
Orlando somente por suas condições sexuais. Nesse mesmo dia em que deveríamos estar todos de luto repensando nosso ódio, nossos preconceitos e nossos limites de compreensão, tem gente que veio me atacar por representar uma mulher negra. Eu nunca fui atacado por representar um playboy machista mesmo sendo gay. Também não se incomodaram por eu fazer um nerd, uma mulher feia, uma Vagaba, uma mãe de família ou um anjo… Nunca me atacaram por representar a Senhora dos absurdos – uma mulher que se orgulha ridiculamente de ser branca, rica e hetero. Mas a Ivonete – que se orgulha de ser brasileira mesmo sendo crítica ao Brasil, que é pobre mas não se sente moralmente inferior a ninguém, que gosta de ser mulher e sobretudo tem auto-estima, amor próprio e orgulho de ser como é – me rendeu injustas críticas. Eu conheci muitas Ivonetes na minha vida e tenho orgulho dessas mulheres. Ao contrário de outras personagens que eu uso para ridicularizar o tipo que elas representam, a Ivonete existe pra ridicularizar quem a ridiculariza, porque eu quero rir de gente que não gosta das Ivonetes. Porque eu amo a Ivonete. Ela é negra, nasceu negra e eu tenho o mesmo respeito por ela que eu tenho com todas as pessoas.

Leia mais sobre Blackface

+ sobre o tema

Uruguai: Marcharon contra el racismo y, en especial, por el nigeriano golpeado

Discriminación. Unas 50 personas de organizaciones afro pidieron Justicia...

Guardas civis de São Paulo são flagrados em vídeo agredindo morador de rua

Funcionários da Guarda Civil Metropolitana (GCM) de São Paulo...

para lembrar

No debate de uma polêmica, todos ganham

Apontamentos, discursos com cobranças, atitudes em prol de uma...

Governo de SP não revela nomes de policiais que detiveram filho de rapper

Também foram negadas outras informações sobre as circunstâncias em...

Nem pense em me matar

Segunda Dona Maria Terça, Isabela Quarta, a Zumira Quinta a Dona Eva Sexta,...

Paraná Clube leva multa de R$ 30 mil por caso de racismo na Vila Capanema

Mesmo após divulgar imagens do suspeito, Tricolor não escapa...
spot_imgspot_img

Maurício Pestana: escola de negros e o Terceiro Vagão

Em vários artigos já escritos por mim aqui, tenho apontado como o racismo no Brasil utiliza a via da questão econômica e educacional para...

Tragédia no RS apaga pessoas negras e escancara racismo ambiental

No início dos anos 2000, viajei a Mato Grosso do Sul para participar de um evento universitário. Lembro que na época eu causei espanto...

Racismo em escolas de Niterói: após reunião com mãe de dois adolescentes vítimas de insultos, deputada vai oficiar MP, polícia e prefeitura

Após uma reunião com Renata Motta Valadares, mãe de dois adolescentes de Niterói que foram vítimas de racismo em duas diferentes escolas particulares, a deputada estadual...
-+=