Oprah Winfrey explica porque apoia acusadores de Michael Jackson

Recentemente a apresentadora conduziu uma série de entrevistas com James Safechuck, Wade Robson e Dan Reed, diretor de Leaving Neverland

Do Rolling Stone

Oprah Winfrey- mulher negra de cabelo cacheado e volumos ,usando oculos- sorrindo
Oprah Winfrey (Foto:AP Photo/Michel Euler)

Oprah Winfrey gerou uma certa controvérsia ao finalmente se posicionar sobre as acusações feitas contra Michael Jackson em Deixando Neverland. Ela ficou do lado de James Safechuck e Wade Robson, e explicou porque.

No programa The Daily Show, apresentado por Trevor Noah, ela falou sobre a importância e a necessidade de fazer o especial Oprah Winfrey Presents: After Neverland, no qual gravou longas entrevistas com os dois acusadores e também com Dan Reed, diretor do documentário.

“Muitas pessoas reagiram com ódio. Quando assisti ao documentário, sabia que muitos ficariam sensíveis em tocar no assunto, e que muitos sequer entenderiam qual é o padrão. Não é sobre uma pessoa, é um padrão. É sobre sedução. Chamam isso de molestamento, mas há uma enorme sedução envolvida, e há um padrão em quem faz isso. E acredito que abordar esse tema é importante o suficiente, mesmo enfrentando toda a hostilidade que resultou”, contou a apresentadora.

Quando questionada se chegou a duvidar das alegações apresentadas na produção, ela afirmou que não, e elaborou porque, usando como referência alunas das escolas que ajudou a fundar na África do Sul: “Algumas daquelas garotas já sofreram abusos sexuais. E eu nunca ganhei um desses casos. E o motivo por eu nunca ter ganhado um caso, é porque automaticamente tiram todo o crédito da fala delas caso não lembrem se era quinta ou quarta-feira.”

E ainda acrescentou: “Quando você está no meio de um trauma, enquanto coisas horríveis acontecem com você, pode ser que não se lembre depois do momento exato”.

+ sobre o tema

Room by the Sea, por Adriana Graciano

Por Adriana Graciano Para Adriana Dias, em gratidão pelo empréstimo...

Mapeamento genético revela novas origens de escravizados no Brasil

Com base em amostras de DNA de 50,2 mil...

Os gregos roubaram a filosofia dos africanos, por Yeye Akilimali

Sugestão de jns Por Yeye Akilimali Funua Olade  no GGN "Conhecereis...

Drogba, Eto’o e Pienaar na luta contra malária na África

Os jogadores serão os protagonistas de anúncios de televisão,...

para lembrar

Día de la afrovenezolanidad homenaje a Chávez y Chirino – Por: Jesús Chucho Garcia

El movimiento Social Afrodescendiente, conformado por la Red de...

Vancouver 2010: Beleza pura, esquiador-cartola quer mais etíopes nos Jogos

Simpático e de estilo solto, o etíope Robel Zemichael...

Candidata de ascendência indiana conquista vitória inédita no Miss EUA 2014

Nina Davuluri venceu o Miss EUA 2014 na noite...
spot_imgspot_img

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...

Flávia Souza, titular do Fórum de Mulheres do Hip Hop, estreia na direção de espetáculo infantil antirracista 

Após mais de vinte anos de carreira, com diversos prêmios e monções no teatro, dança e música, a multiartista e ativista cultural, Flávia Souza estreia na...

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...
-+=