Ouro no boxe, Robson Conceição condena redução da maioridade penal: “Não acho justo punir crianças”

Pugilista pediu ao governo mais programas sociais e esportivos para resgatar jovens da criminalidade

Do Brasileiros 

Foto: Marcelo Carnaval / Agência O Globo

Primeiro medalhista olímpico do boxe nacional, Robson Conceição fez um apelo ao governo brasileiro: ele pediu investimento em programas sociais voltados a crianças e adolescentes no País e condenou a proposta que pede redução da maioridade penal como remédio contra a violência.

Robson, que já foi feirante, vendedor de picolé na praia e ajudante de pedreiro, cravou: “Não acho justo punir crianças. Deveríamos é investir mais em projetos sociais e fazer crianças e adolescentes praticarem esportes”, disse o baiano de 27 anos, natural de Salvador.

Ele lembrou que tanto ele como Rafaela Silva, medalha de ouro no judô também na Rio2016, ingressaram no esporte por meio de projetos sociais.

O pugilista nem sempre pensou assim.  Quando criança, queria ser como um tio, famoso em Salvador por arrumar brigas em festas de Carnaval. “Meu tio era muito brigão. E era muito famoso por isso. Queria seguir o exemplo e brigar na rua. Mas conheci o boxe e isso mudou a minha vida. Muita gente fala que o boxe é violento, mas eu só era violento antes de conhecer o boxe.”

A redução da maioridade no Congresso

A Proposta de Emenda à Constituição 171/1993 que está em discussão na Câmara dos Deputados pretende reduzir a idade penal de 18 para 16 anos, “colocando uma pressão injusta e violenta sobre milhões de jovens em todo o país”, escreve em seu portal o Instituto de Estudos Socioeconômicos – Inesc. “Como bem lembram Cleo Manhas e Dyarley Viana, os parlamentares que defendem essa PEC querem criminalizar jovens, ‘especialmente aqueles que são vítimas das desigualdades raciais, educacionais, sociais e regionais’.”

+ sobre o tema

Mulheres negras, racismo e a (não) garantia dos direitos reprodutivos*

A garantia do direito reprodutivo e a sua efetivação...

Leilane Neubarth: “Sheherazade envergonha os colegas”

Apresentadora do Jornal da GloboNews e do Arquivo...

Lei que amplia o Simples Nacional entra em vigor

A partir de agora, o que determinará se o...

para lembrar

Até 2013, 33 mil adolescentes devem ser assassinados no país

Por: Mônica Ribeiro e Ribeiro Estimativa é do Observatório de...

Casos de linchamentos se espalham pelo Brasil

Depois do caso fatal em São Luís na terça-feira...

Ação judicial- aquisição de remédio

MEU RELATO.. Por Micaella Barreto, para o Portal Geledés  Nos últimos dias...
spot_imgspot_img

Renovação do EMLER beneficia organizações de combate ao racismo

Geledés – Instituto da Mulher Negra anuncia com grande satisfação a renovação por mais três anos do mandato do Mecanismo de Especialistas para Promover...

Encontro do PNUMA é marco de combate ao racismo ambiental

O encontro promovido em Recife pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), com apoio de Geledés - Instituto da Mulher Negra...

País tem 300,8 mil pessoas em situação de rua, mais de 80 mil em SP

Um levantamento feito pelo Observatório Brasileiro de Políticas Públicas com a População em Situação de Rua, da Universidade Federal de Minas Gerais (OBPopRua/POLOS-UFMG), revelou...
-+=