Pan 2023: Rafaela Silva é campeã e lidera dia de ouros do Brasil no judô

Enviado por / FonteGE

Alexia Nascimento, Michel Augusto e Larissa Pimenta também sobem ao alto do pódio em Santiago. Amanda Lima (48kg) e Willian Lima (66kg) conquistam o bronze

Aquele ouro perdido estava engasgado. Rafaela Silva foi a Santiago com a missão de buscar a medalha que ficou pelo caminho há quatro anos, quando perdeu o título em Lima ao ser punida por doping. A vontade era tanta que não abriu espaço para outro resultado. Neste sábado, fez um caminho perfeito para garantir o ouro na categoria até 57kg ao bater a argentina Candela Brisa Gomez na decisão. Era a medalha que faltava à judoca, campeã olímpica e bicampeã mundial. É a primeira judoca a somar conquistas nas três competições.

O sábado foi de medalhas para o Brasil em todas as categorias do dia. Alexia Nascimento, Michel Augusto e Larissa Pimeira conquistaram os primeiros ouros para o Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Santiago. Os três venceram as finais nas categorias até 48kg, até 60kg e até 52kg e subiram ao alto do pódio no Chile. Amanda Lima, também na categoria até 48kg, levou o bronze. Na categoria até 66kg, Willian Lima venceu o peruano Juan Postirgos e também conquistou o bronze.

Para chegar à final, Rafaela Silva venceu a panamenha Kristine Jimenez na estreia por ippon. Na semifinal, bateu a colombiana Maria Giraldo da mesma forma. O ouro também veio de forma rápida. Logo no início da luta contra Candela Brisa Gomez, conseguiu um Wazari. Pouco depois, garantiu a vitória com mais um Wazari.

– Foi isso que vim buscar. Estou muito satisfeita. Todo minha vida, minha luta sempre foi essa. Foi minha quarta edição dos Jogos. Sempre bati na trave, tive o ouro retirado. Hoje finalmente saiu. Saio muito satisfeita. É um dever cumprido. Vim só com um objetivo. Não paramos por aqui. Já voltamos para o próximo ano, porque queremos Paris 2024.

Alexia Nascimento leva primeiro ouro

Alexia foi a primeira a subir ao tatame para buscar o ouro. Para chegar à final, começou seu caminho com um ippon contra a venezuelana Maria Ginmenez. Na sequência, passou por Ingrid Keisy, da Argentina, nas quartas de final. Nas semifinais, sofreu, mas bateu a colombiana Erika Arias. Na decisão, garantiu o ouro ao finalizar a mexicana. Na mesma categoria, Amanda Lima ficou com o bronze ao vencer a chilena Mary Dree por estrangulamento.

– Estou muito feliz, mas ainda estou raciocinando. Fui a primeira pessoa a garantir a medalha de ouro no judô. Então, estou muito honrada, muito feliz. Foi um processo muito longo para entrar até aqui – disse Alexia.

Michel Augusto é ouro na categoria até 60kg

Na categoria até 60kg, Michel, de apenas 18 anos, chegou à final depois de uma campanha perfeita. Ele venceu Javier Moreno, de El Salvador, na estreia. Na semifinal, bateu Sebastian Sancho na semifinal para garantir o lugar na decisão. Na decisão contra Johan Rojas, teve dificuldades no início e levou duas punições. Ele, porém, manteve a calma e forçou o Golden Score. O colombiano, então, sofreu três punições, dando a vitória ao brasileiro.

– Esse Pan foi muito importante para mim. Era importante no processo de classificação para as Olimpíadas. Foram lutas bem duras. Dei o melhor de mim. Na final, comecei perdendo, mas consegui virar e fui campeão – disse Michel.

Larissa Pimenta conquista o ouro na categoria até 52kg

Para chegar à final na categoria até 52kg, Larissa Pimenta acumulou ippons. Nas quartas de final, a brasileira passou pela chilena Judith Jaques. Na sequência, passou por Angelica Delgado. Na disputa pelo ouro, teve um duelo duro contra a mexicana Paulina Martinez. A rival, porém, levou três punições, e Larissa garantiu o seu segundo título pan-americano – já havia sido campeã em Lima.

– É a minha segunda medalha de ouro em Jogos Pan-Americanos. Estou muito feliz. Imaginei que ela fosse vir de um jeito diferente, lutei contra ela há menos de um mês. Foi um jogo mental. Mas foquei o que está dentro de mim. Só queria esbanjar isso.

+ sobre o tema

Governo indeniza família de grávida morta após atendimento precário na rede pública

Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil Governo indeniza família...

Herança e testamentos digitais não são decisões bizarras

Relutei muito a decidir quem herdaria meus arquivos de...

Mulheres negras encontram na produção literária independente a oportunidade de romper com a invisibilidade

Débora Garcia, Jennyffer Nascimento e Raquel Almeida circulam pela...

para lembrar

spot_imgspot_img

Mulher tem aborto legal negado em três hospitais e é obrigada a ouvir batimento do feto, diz Defensoria

A Defensoria Pública de São Paulo atendeu ao menos duas mulheres vítimas de violência sexual que tiveram o acesso ao aborto legal negado após o Conselho...

‘Abuso sexual em abrigos no RS é o que ocorre dentro de casa’, diz ministra

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, considera que a violência sexual registrada contra mulheres nos abrigos que recebem desalojados pelas enchentes no Rio Grande...

ONU cobra Brasil por aborto legal após 12 mil meninas serem mães em 2023

Mais de 12,5 mil meninas entre 8 e 14 anos foram mães em 2023 no Brasil, num espelho da dimensão da violência contra meninas...
-+=