Para Haddad, falhas em questões do Enem estarão na ‘taxa de tolerância’

Gabarito oficial do Exame deve ser divulgado nesta terça-feira (9).
Na segunda-feira (8), juíza federal suspendeu Enem, em caráter liminar.


O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou, nesta terça-feira (9), que a eventual anulação de algumas questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) seria normal. O Enem 2010 foi aplicado neste fim de semana, em todo o país. No sábado (6), estudantes reclamaram de erros na folha de respostas e na prova amarela. O Ministério da Educação e a gráfica responsável pela impressão admitiram as falhas.

“O Enem tem 180 questões e o gabarito oficial sai depois que os formuladores das provas, que são professores universitários, fazem a checagem final. No ano passado, por exemplo, nós tivemos que anular uma questão. E há vários casos de vestibulares em que, a cada 100 questões, há uma taxa de tolerância em que se admite uma falha, uma questão sem resposta ou com duas respostas, e essa questão não é considerada. Vamos aguardar o parecer dos técnicos que elaboraram a prova e o gabarito oficial dá a palavra final sobre o assunto”, afirmou.

De acordo com o Ministério da Educação, a divulgação do gabarito oficial do Enem está mantida para esta terça, apesar da decisão da Justiça Federal do Ceará de suspender, em caráter liminar, o exame em todo o país. A decisão foi tomada na segunda-feira (8) pela juíza federal da 7ª Vara Federal, Karla de Almeida Miranda Maia, que aceitou a argumentação de ação civil pública do Ministério Público Federal. A ação afirma que erros no exame causaram prejuízo para os candidatos.

 

     

Suspensão do Enem
Segundo Haddad, o Ministério da Educação deve apresentar à Justiça uma explicação sobre o uso da Teoria de Resposta ao Item (TRI). “Nós vamos recorrer da decisão da juíza. Não há nenhuma razão objetiva, técnica, para cancelar a prova do sábado. Se nós não acatarmos a Teoria de Resposta ao Item, se não considerarmos que é possível aplicar uma prova aos alunos prejudicados com o mesmo grau de dificuldade da primeira, nós vamos colocar em risco todo o sistema de avaliação do Brasil”, diz.

“Vamos levar ao conhecimento da Justiça que a tecnologia educacional hoje permite, com toda a precisão, fazer isso [a aplicação de provas diferentes, com o mesmo grau de dificuldade para os estudantes”, afirma o ministro.

 

 

Fonte: G1

+ sobre o tema

Fuvest divulga prova e gabarito da primeira fase do vestibular

Exame foi aplicado neste domingo (28). Lista de aprovados será...

STJ suspende todas liminares do Enem e Sisu

As liminares concedidas em todo o país garantindo...

Cai qualidade das escolas estaduais do Grande ABC

Por: Camila Galvez     O Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação...

Sancionada lei que prevê apoio a indígenas na educação superior

O apoio ao acesso de povos indígenas ao ensino...

para lembrar

Candidatos a professores em SP têm de apresentar exames caros

Testes médicos exigidos de 12 mil candidatos custam mais...

Prazo para pedir correção invertida do Enem termina nesta sexta-feira

Sistema ficará no ar até as 23h59. Cabeçalhos do...

ProUni encerra inscrições nesta terça para 123 mil bolsas de estudo

Programa oferece mais de 123 mil bolsas em universidades...
spot_imgspot_img

Faculdade de Educação da UFRJ tem primeira mulher negra como diretora

Neste ano, a Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) tem a primeira mulher negra como diretora. A professora Ana...

O que a proibição de livros nos diz sobre o futuro que nos aguarda

Reportagem da Agência Pública mostrou que existe um movimento coordenado para barrar a entrada de determinados livros no sistema prisional de Minas Gerais. Apenas títulos...

Encontro anual do SETA definiu ações e estratégias para uma educação antirracistae emancipatória.

Geledés - Instituto da Mulher Negra participou do planejamento anual Projeto SETA  (Sistema de Educação Por Uma Transformação Antirracista) em Paraty, Rio de Janeiro....
-+=