Prêmio Marielle Franco de Ensaios Feministas: as vencedoras!

Enviado por / FonteDo Contracorrente

No dia 14 de março deste ano, a Editora Contracorrente, em parceria com o Instituto Marielle Franco e com o apoio do Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresa, do Ernesto Tzirulnik Advocacia e do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, anunciou o Edital do Prêmio Marielle Franco de Ensaios feministas 2020. A finalidade do projeto foi acolher ensaios das várias temáticas que envolvem o feminismo e premiar um dos textos com a publicação do trabalho em formato de livro pela Editora Contracorrente, além de um prêmio em dinheiro no valor de R$ 10.000,00.

No período de cinco meses de recebimento de trabalhos, avaliamos mais de cento e noventa textos, escritos por mulheres de todo Brasil e do exterior. Autoras de diversas tendências do pensamento feminista discorreram sobre o tema, esmiuçaram conceitos, dividiram conosco suas vivências e seus estudos, do mais refinado ao mais pessoal.

Uma comissão técnica composta por autoras da Editora Contracorrente – Taylisi Leite, Eneida Desiree Salgado, Anna Lyvia Custódio Ribeiro e Nathália França – selecionou os textos finalistas para a avaliação final do Júri. Márcia Tiburi, Sueli Carneiro e Anielle Franco foram as responsáveis pela escolha do trabalho vencedor.

Por unanimidade, sagrou-se vencedor o belo ensaio escrito por duas irmãs, Ana Paula Rodrigues dos Santos Segarro e Cintia Rodrigues dos Santos Mariano, que discorreram sobre vivências pessoais como mulheres negras na sociedade, mesclando suas falas à de outras mulheres que vivenciaram o racismo e a vida da mulher negra no Brasil.

Conheça as vencedoras

Ana Paula e Cintia (Foto: Imagem retirada do site Contracorrente)

Ana Paula e Cintia são irmãs inseparáveis. Nascidas em Campinas, viveram em muitas cidades do estado de São Paulo e suas trajetórias de vida são marcadas por luta e superação. São mães de meninas, fato que tornou inadiável a necessidade de escrever sobre suas experiências de vida enquanto mulheres negras. Ana Paula tem 38 anos, é Engenheira Civil e mora em São Paulo. Cintia é Professora de Artes e Designer, tem 36 anos e mora em Campinas.

O livro será editado e publicado pela Editora Contracorrente no primeiro semestre de 2021. Aguardem mais novidades.

Fonte: Do Contracorrente

+ sobre o tema

Como resguardar as meninas da violência sexual dentro de casa?

Familiares que deveriam cuidar da integridade física e moral...

Bruna da Silva Valim é primeira negra a representar SC no Miss Universo Brasil

Bruna da Silva Valim, candidata de Otacílio Costa, foi...

Luiza Bairros lança programas de combate ao racismo na Bahia

O Hino Nacional cantado na voz negra, marcante, de...

Elizandra Souza celebra 20 anos de carreira em livro bilíngue que conta a própria trajetória

Comemorando os 20 anos de carreira, a escritora Elizandra...

para lembrar

Desafios do Feminismo diante da questão de raça

Há pouco tempo atrás um debate acirrado aqueceu as...

A apresentação de Beyoncé no VMA foi o momento feminista que eu estava esperando

Imagem da apresentação da cantora norte-americana Beyoncé no prêmio Video...

Nós, Madalenas: uma palavra pelo Feminismo

Maria Ribeiro é a fotográfa responsável por transformar em...

Ofensiva feminista

Criminalizado no Brasil, o aborto é um assunto interdito...
spot_imgspot_img

Fernanda Melchionna lança seu primeiro livro em Cachoeirinha neste domingo; “Tudo isso é feminismo?”

“Tudo isso é feminismo?” – uma visão sobre histórias, lutas e mulheres” marca a estreia de Fernanda Melchionna, no universo do livro. A bibliotecária...

Geledés participa do Fórum do Feminismo Negro

O Fórum Global de Feminismos Negros 2024 está ocorrendo entre os dias 04 a 07 de fevereiro, em Bridgetown, Barbados. Sob o tema “Para...

Angela Davis completa 80 anos como ícone marxista e antirracista

A obra de Angela Davis, 80, uma das mais importantes intelectuais do campo do pensamento crítico, se populariza a passos largos no Brasil, país...
-+=