Prethaís e Martinha do Coco abrem comemorações do Novembro Negro no Paranoá

Enviado por / FonteEnviado ao Portal Geledés

Show faz parte do projeto Circulações Preta Pretinha – Agora é rainha e conta com diversas atrações musicais

No mês em que se comemora o Dia da Consciência Negra, as comemorações do Novembro Negro no Paranoá/DF, começam com um encontro de diferentes gerações de artistas negras. Prethaís recebe a Mestra Martinha do Coco, na terceira edição do projeto Circulações Preta Pretinha Agora é rainha. O evento ocorre no dia 5, na Praça Martinha do Coco, a partir de 19h e conta com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC-DF). A apresentação será de Maria Paula Andrade e a interpretação em libras, de Baby.

“Martinha me amadrinhou e é também amadrinhada por outras mulheres. Na minha trajetória, ter essa mulher, que faz o coco, que atua com a cultura popular, que eu entendo como reza, já que a gente tem essa oralidade, com uma pessoa ali na frente que canta e as outras, que respondem. Eu me sinto a resposta, a continuidade desse canto dos meus mais velhos que, como uma jovem preta do candomblé, aprendi a ouvir e a respeitar”, conta Prethaís.

Criado por ela, o projeto tem direção musical de Ally Akin, cantor e produtor do selo Black Monster e ganha parceiras locais a cada novo palco. No Paranoá, a programação inclui múltiplas linguagens e outros artistas convidados. A VJ New Nay, o multiinstrumentista Ally Akin, a cantora e compositora Lady B e o DJ Umiranda também fazem parte do reinado. O videoclipe da música Preta Pretinha, lançado em agosto pela artista, também será exibido.

Circulações – Depois de circular pela Ceilândia e Samambaia, Prethaís chega na Praça Martinha do Coco com a mesma proposta: celebrar a Música Preta Brasileira (MPB) e seus gêneros e influências, como hip hop, jazz, blues, coco, samba, R&B, funk e muito mais.

Ser acompanhada no palco por artistas que admira é a tônica das Circulações. Sendo assim, a jovem que começou a carreira como rapper e descobriu-se cantora e compositora, se junta à mestra griô, que há duas décadas, encanta o DF e o Brasil com suas emboladas e marca a história do Paranoá, fomentando a cultura na cidade onde mora há mais de 40 anos.

“Estou muito feliz, retribuindo e fortalecendo tudo o que aprendi com Martinha e com outras mulheres pretas do DF. O projeto de circular com o nosso show está incrível e além da realização de um sonho pessoal, é uma entrega a cada pessoa que quiser curtir, dançar, se emocionar e festejar com a gente nesse aquilombamento artístico”, diz Prethaís.

Ally Akin (contrabaixo), Tarcísio Reis (percussão) e no backing vocal, Érica Fernanda e Preto Cosmo é a formação que acompanha Prethaís. No repertório, além dos encontros e parcerias, ela apresenta canções do EP Poesia Preta, que será lançado até o final do ano e que já tem duas de suas músicas disponíveis, Preta Pretinha e Nega o que sente. “Cola comigo, e vem comigo ser rainha”, convida a preta.

Circulações Preta Pretinha Agora é Rainha

Praça Martinha do Coco (Quadra 28 do Paranoá)

5 de novembro de 2022

19h

Programação

19h30 – Discotecagem com New Nay

20h – Mestra Martinha do Coco

21h – Ally Akin e Lady B

21h30 – Exibição do clipe Preta Pretinha

21h40h show de Prethaís, com participação do DJ Umiranda

Ficha Técnica

Idealização: Prethaís

Coordenação: Cleudes Pessoa

Produção Executiva: Jéssica Silva

Direção Musical: Ally Akin

Designer Gráfico: Alex Oliveira

Figurinos: Luazi Luango

Dançarinas:

Nyna Cardoso, Thaynara Fernandes, Nina Maia, Mariana Martins e Thereza Raquel

+ sobre o tema

Aline Santos

Os espanhóis dão muita atenção à formação, enquanto aqui...

‘Abolição da escravatura’, diz Emicida após ser liberado da prisão

Os assessores do rapper Emicida deram uma versão oficial...

Imigrantes: Brancos britânicos deixam de ser maioria em Londres pela primeira vez

A população de imigrantes saltou para três milhões em...

Portugal deve pagar indenizações pela escravatura?

Os países que escravizaram devem compensar os escravizados? Há...

para lembrar

Tornar-se negra, intelectual e ativista: percursos de Lélia Gonzalez – Por: Flavia Rios e Alex Ratts

No último dia 1º de Fevereiro comemoramos 78º aniversário...

Metodologia de ensino voltada para história e cultura africana é desenvolvida em espaços comunitários

Iniciativa: Curso de Educação Popular  Pública ou Privada: Pública Descrição: Diante da falta de...

No carnaval da resistência, brilhou a excelência. Laroyê Exu. Exu Mojubá!

"Carnaval ressurge pós pandemia trazendo beleza e nossa matriz...

Atletas africanos mantém hegemonia na São Silvestre

As primeiras colocações, no entanto, confirmaram a hegemonia dos...
spot_imgspot_img

Cientistas revelam mistério por trás dos antiquíssimos baobás, as árvores da vida

Cientistas afirmam ter resolvido o mistério em torno da origem dos antigos baobás. De acordo com análises de DNA, as árvores teriam surgido pela primeira...

Álbum de Lauryn Hill é considerado melhor da história em lista da Apple Music; veja ranking

Uma lista publicada pela Apple Music elegeu os 100 melhores álbuns de todos os tempos. Em primeiro lugar, a escolha foi para 'The Miseducation...

Inéditos de Joel Rufino dos Santos trazem de volta a sua grandeza criativa

Quando faleceu, em 2015, Joel Rufino dos Santos deixou pelo menos dois romances inéditos, prontos para publicação. Historiador arguto e professor de grandes méritos, com...
-+=