Primeira mulher trans a liderar bancada no Congresso, Erika Hilton diz que vai negociar ‘de igual para igual’

Deputada assume frente da federação PSOL-Rede, função que antes era ocupada por Guilherme Boulos

A deputada federal Erika Hilton (PSOL-SP) foi aclamada nesta quarta-feira como líder da bancada da federação PSOL-Rede, que hoje conta com 14 deputados, se tornando a primeira mulher transexual a ocupar esta função na história do Congresso Nacional. Ao assumir a posição, Hilton relatou estar orgulhosa por ter sido indicada de forma unânime.

— Pela primeira vez na história uma mulher trans liderará uma bancada no Congresso e negociará de igual para igual com todos os líderes partidários, na defesa do projeto eleito em 2022 e na base do governo Lula — disse a parlamentar.

Anteriormente, a função era ocupada por Guilherme Boulos (PSOL-SP), que decidiu se ausentar este ano para tocar sua pré-campanha à prefeitura de São Paulo.

— Agradeço Boulos por passar esse bastão após a sua liderança exemplar em 2023, que muito nos orgulhou — disse Hilton.

Em 2022, Erika Hilton e Duda Salabert (PDT-MG) se tornaram as primeiras duas transexuais a serem eleitas no Congresso Nacional.

Com 31 anos de idade, Erika Hilton entrou na política em 2018, quando fez parte da Bancada Ativista, primeiro mandato coletivo eleito na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). Na época, atuava ao lado de nove outras filiadas do PSOL e da Rede. Ela conquistou 256.902 votos em 2022.

No pleito de 2020, a parlamentar decidiu disputar de forma individual uma vaga na Câmara Municipal da capital paulista, e recebeu 50.508 votos. O total rendeu a ela o título de vereadora mais votada de São Paulo – a décima com mais eleitores em todo o país. Erika foi também a primeira vereadora trans da cidade.

+ sobre o tema

Garoto vítima de homofobia se suicida em Vitória; pais culpam escola do filho

No último dia 17 de fevereiro um garoto se...

“Nosso objetivo é a extinção da Justiça Militar”, diz ex-sargento homossexual discriminado

Fernando Alcântara e Laci Araújo, sargentos assumidamente gays, denunciaram...

STF julgará se Marco Feliciano será processado por homofobia

Procuradoria da União também acusa deputado de racismo A Procuradoria...

Casais homoafetivos viram ‘pães’ no Dia dos Pais

De acordo com o IBGE, 16% das famílias brasileiras...

para lembrar

A jardinagem como terapia e um modo de fazer política

Não entendo quem não tem uma plantinha para cuidar....

É hora de negar a “política”

Ao que tudo indica, o discurso de negação da...

Vereadora sofre transfobia: “É roubar nossa dignidade não usar nome social”

Após ser vítima de transfobia, Benny Briolly (PSOL-RJ) conseguiu...
spot_imgspot_img

Show de Ludmilla no Coachella tem anúncio de Beyoncé e beijo em Brunna Gonçalves; veja como foi

Os fãs de Ludmilla já estavam em polvorosa nas redes sociais quando a artista subiu no palco principal do Coachella, na Califórnia, na tarde deste domingo, acompanhada...

Brasil quer levar desigualdade e impostos para a mesa de discussão do G20

O governo brasileiro pretende levar para a mesa de discussão do G20 os efeitos da desigualdade e sua relação como a política econômica e...

Fundamentalismo não pode impedir políticas para a população trans e travestis

Neste ano, os desafios das defensoras dos direitos da população LGBTQIA+ serão a superação da instrumentalização do pânico moral em torno das nossas pautas e estabelecer...
-+=