Professor é preso suspeito de injúria racial contra estudantes durante aula sobre racismo em Ibiporã, afirma polícia

Enviado por / FonteG1

Declarações do servidor teriam sido filmadas por outros alunos. Defesa diz que não vai se manifestar sobre denúncia por enquanto.

Um professor do Colégio Estadual Olavo Bilac, em Ibiporã, norte do Paraná, foi preso suspeito de cometer injúria racial contra duas estudantes de 15 e 16 anos. Elas chamaram a coordenação, que acionou a Polícia Militar (PM) para ir até a unidade de ensino.

A defesa do professor disse que não vai se manifestar neste momento.

De acordo com o Boletim de Ocorrência (B.O.), feito na Polícia Civil, o caso teria acontecido em sala de aula, durante um debate sobre o tema racismo.

No B.O., as estudantes relatam que, “em determinado momento, o professor passou a ofendê-las com chamamentos racistas do tipo: Vocês não têm razão de fala. Vocês não conseguem definir o que é racismo pois são muito jovens”.

Ainda segundo o documento, que foi obtido pela RPC, as alunas dizem que foram xingadas pelo servidor, que teria dito que elas “não sabem se vestir”.

As adolescentes afirmam no B.O. que esta não seria a primeira denúncia de injúria racial envolvendo o mesmo professor.

Conforme o Boletim de Ocorrência, o suspeito teria alegado que “questões raciais são tratadas em sala de aula”, e que as estudantes “não admitem serem confrontadas com realidade, se vitimizando quando o assunto é racismo”.

Investigação

O delegado Vitor Dutra, que apura o caso, disse que o professor ficou em silêncio durante depoimento.

De acordo com o Código Penal, o crime de injúria racial tem pena de 2 a 5 anos de prisão, sem direito à fiança.

O servidor público iria passar por audiência de custódia na tarde desta terça-feira (11).

Em nota, a Secretaria de Estado da Educação (Seed) informou que “as declarações racistas teriam sido proferidas em sala e registradas pelos alunos via gravação de celular”.

A secretaria disse que “são inadmissíveis, no ambiente escolar, discursos violentos ou discriminatórios, e que qualquer incitação ao racismo, homofobia e quaisquer outras formas de preconceito é incisivamente combatida em toda a comunidade escolar do Paraná”.

+ sobre o tema

Gestão Alckmin impõe sigilo de 50 anos em registro policial

A medida abre margem para que seja negado acesso...

Desenhos contra o racismo

Premiado com o Eisner e o Jabuti, o quadrinista...

para lembrar

Pais de jovens mortos ou desaparecidos relatam dramas

Mães e pais denunciam à Anistia Internacional uma série...

Racialismo e Racismo

Ariana Mara da Silva É plausível, e talvez não correto,...

PR e MS já adotam cotas para negros em concursos estaduais

Por: Roseane Aguirra Nesses estados, aprovados passam por 'avaliação visual'. RJ...
spot_imgspot_img

Maurício Pestana: escola de negros e o Terceiro Vagão

Em vários artigos já escritos por mim aqui, tenho apontado como o racismo no Brasil utiliza a via da questão econômica e educacional para...

Tragédia no RS apaga pessoas negras e escancara racismo ambiental

No início dos anos 2000, viajei a Mato Grosso do Sul para participar de um evento universitário. Lembro que na época eu causei espanto...

Racismo em escolas de Niterói: após reunião com mãe de dois adolescentes vítimas de insultos, deputada vai oficiar MP, polícia e prefeitura

Após uma reunião com Renata Motta Valadares, mãe de dois adolescentes de Niterói que foram vítimas de racismo em duas diferentes escolas particulares, a deputada estadual...
-+=