Relator da terceirização acredita que ‘ninguém faz limpeza melhor do que a mulher’

Para o deputado Laércio Oliveira (SD-SE), a mulher também exerce papel determinante no home office do marido.

Do Huff post Brasil

“Somente no setor básico, asseio e conservação, é unanimidade, se terceiriza em todo lugar. Somente nessa atividade tem mais de dois milhões de trabalhadores, 60% dessa mão de obra é feminina, porque faz limpeza. E ninguém faz limpeza melhor do que a mulher. À exceção de mim, que sou muito bom.

Esta é a opinião do deputado Laércio Oliveira (SD-SE), relator do projeto aprovado na quarta-feira (22) que regulamenta a terceirização para todas as atividades no País.

Em debate organizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), Oliveira, segundo a Folha de S.Paulo, também destacou o sexo feminino ao falar sobre “home office”.

Em tom de brincadeira, ele afirmou que é preciso entender o ambiente em que o trabalhador estará inserido, se será propício ou estressante.

“Eu vi um comentário nesta semana que a gente tem de estar preocupado com o trabalhador que vai trabalhar dentro dessa modalidade de contratação, porque precisa entender a mulher dele. Como é a mulher dele? Ela vai ser uma pessoa agradável e trazer um cafezinho de vez em quando ou vai ficar reclamando com ele: ‘Acaba esse negócio aí, venha pegar o menino e trocar a roupa dele?”

Em nota enviada pela assessoria de imprensa, o deputado afirma que “as mulheres são competentes em todas as áreas”.

“O deputado federal Laércio Oliveira sempre diz que as mulheres são dedicadas e minuciosas no desempenho de todas as atividades e que inclusive todas as funcionárias do gabinete dele em Brasília são mulheres. Ele sempre fala isso com relação às atividades laborais em geral. Contudo, a fala foi retirada de uma afirmação cujo questionamento foi feito com relação ao trabalho na área de asseio e conservação e portanto pede desculpas a todas as mulheres, caso tenha sido mal interpretado”, afirma a assessoria.

Terceirização

Atualmente, a terceirização é permitida somente nas chamadas atividades-meio, ou seja, que não são o principal objetivo da empresa, como limpeza, segurança e conservação.

Com o projeto aprovado na quarta-feira (22), a contratação terceirizada pode ocorrer sem restrições, inclusive na administração pública.

A proposta é de interesse do Palácio do Planalto. Os defensores argumentam que incentivará a criação de empregos. Os críticos sustentam que irá precarizar os direitos trabalhistas.

+ sobre o tema

Gisele, eu tenho um cérebro!

Algum tempo atrás eu escrevi um artigo intitulado "E...

Relatório aponta desigualdades de gênero no acesso à educação

No marco da Campanha Educação Não Sexista e Anti...

Nós precisamos do feminismo

O machismo é assustador. Causa medo, pânico, oprime, violenta,...

Secretarias se unem para atuar em atenção à saúde da mulher

A Secretaria Estadual da Mulher (SecMulher) e a Secretaria...

para lembrar

spot_imgspot_img

O atraso do atraso

A semana apenas começava, quando a boa-nova vinda do outro lado do Atlântico se espalhou. A França, em votação maiúscula no Parlamento (780 votos em...

Homens ganhavam, em 2021, 16,3% a mais que mulheres, diz pesquisa

Os homens eram maioria entre os empregados por empresas e também tinham uma média salarial 16,3% maior que as mulheres em 2021, indica a...

Escolhas desiguais e o papel dos modelos sociais

Modelos femininos em áreas dominadas por homens afetam as escolhas das mulheres? Um estudo realizado em uma universidade americana procurou fornecer suporte empírico para...
-+=