Saúde e segurança do trabalhador

por Maciana de Freitas e Souza para o Portal Geledés

A Convenção 155 da Organização Internacional do Trabalho – OIT, ratificada pelo Brasil em 1992 e publicada através do Decreto Legislativo nº 02/1994 , prevê como obrigação dos países signatários da qual o Brasil faz parte, formular uma política nacional de segurança e saúde dos trabalhadores, com o objetivo de prevenir os acidentes e os danos à saúde que forem consequência do trabalho, ou se apresentarem durante o trabalho. Números oficiais do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho do MPT apontam a ocorrência de mais de 2.022 mortes acidentárias notificadas no Brasil em 2018.

A implantação de segurança e saúde no trabalho e a respectiva conformidade com as exigências estabelecidas pela legislação é responsabilidade e dever do empregador. Entretanto, é importante salientar que as recentes declarações do presidente em seu twitter sugere a extinção de 90% das normas reguladoras com o objetivo de “aumentar a eficiência” das atividades desempenhadas em prol da economia e do empresariado.

A justificativa para o presidente seria porque “há custos absurdos (para as empresas) em função de uma normatização absolutamente bizantina, anacrônica e hostil”. Podemos observar desse modo uma investida do Governo Federal em retirar os direitos conquistados, cuja função das normas é prevenir a ocorrência de acidentes e doenças ocupacionais. Sob o escopo da “simplificação”, podemos notar que tal medida está na contramão da legislação nacional e de tratados internacionais de Direitos Humanos, na qual se constitui uma proposta ofensiva à arquitetura constitucional de proteção ao trabalho.

Além da Constituição Federal de 1988, outras leis trataram de ampliar o direito dos trabalhadores como, a Lei Orgânica da Saúde, Lei nº 8.080/90 , que insere no âmbito do SUS as ações de saúde do trabalhador, sendo este o responsável por executar tais ações, além de colaborar na proteção do meio ambiente, nele compreendido o do trabalho. A lei 8.080 no seu art. 6º, § 3º, entende-se por Saúde do Trabalhador:

[…] um conjunto de atividades que se destina, através das ações de vigilância epidemiológica e vigilância sanitária, à promoção e proteção da saúde dos trabalhadores, assim como visa à recuperação e reabilitação da saúde dos trabalhadores submetidos aos riscos e agravos advindos das condições de trabalho, […]. (BRASIL, 1990)

É interessante situar o contexto e projetar os impactos dessa medida. Primeiro, é preciso observar que essa proposta é lançada em um cenário pós-reforma trabalhista com aumento da precarização do trabalho no Brasil, muitos trabalhadores com contratos sem igualdade de direitos, benefícios e garantias com relação aos efetivos. Segundo, são muitos os desafios para a efetivação das ações em saúde do trabalhador, seja pela dificuldade do trabalho pela rede intersetorial, bem como a ausência de capacitações aos profissionais que atuam neste segmento, logo, entende- se que essas mudanças não terão impacto positivo para a classe trabalhadora e possuem a potencialidade de aumentar os acidentes de trabalho.

Conforme afirmamos acima, acreditamos que, com o estabelecimento de ações preventivas e a fiscalização dos órgãos de proteção, o problema em âmbito nacional tende a ser corrigido com o tempo e não com a flexibilização das normas existentes. A “simplificação” dessas normas não irá resolver os fatores relacionados a crise, tampouco irá melhorar as condições de trabalho, mas, ao contrário, intensificará o caráter precário.


** Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do PORTAL GELEDÉS e não representa ideias ou opiniões do veículo. Portal Geledés oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.

+ sobre o tema

Das 163 recomendações feitas pela ONU, Brasil cumpriu apenas uma

O Brasil cumpriu apenas uma das 163 recomendações formuladas...

Para tod@s

Característico da cultura brasileira, o preconceito vitima não só...

Rapper Prodigy, do Mobb Deep, morre aos 42 anos por complicações decorrentes de anemia falciforme

Albert Johnson estava hospitalizado há dias por problemas causados...

para lembrar

Em parte da elite, saudades de 1964

Depois de José Serra, é a vez do Instituto...

“As pessoas se atiravam ao mar desesperadamente, sem saber nadar”, diz imigrante retido no mar

Imigrantes do ‘Open Arms’ relatam sua odisseia após desembarcar...

Carta de Salvador: Manifesto da Associação Juízes para a Democracia

Os membros da Associação Juízes para a Democracia, reunidos...

Por que a Anistia Internacional entrou na campanha contra a repressão policial aos protestos

por : Mauro Donato   Em defesa do direito à liberdade de...
spot_imgspot_img

Desenrola para MEI e micro e pequenas empresas começa nesta segunda

Os bancos começam a oferecer, a partir desta segunda-feira (13), uma alternativa para renegociação de dívidas bancárias de Microempreendedores Individuais (MEI) e micro e...

“Geledés é uma entidade comprometida com a transformação social”, diz embaixador do Brasil no Quênia

Em parceria com a Embaixada do Brasil no Quênia, Geledés - Instituto da Mulher Negra promoveu nesta sexta-feira 10, o evento “Emancipação Econômica da...

Caso Sônia é desastroso para combater trabalho escravo, alerta auditor

A história de Sônia Maria de Jesus, de 50 anos – que foi resgatada em uma operação contra o trabalho análogo à escravidão da...
-+=