Serra propõe parceria a Madonna em ação que governo esvaziou

Governador de SP oferece adotar programa baseado na cabala no Escola da Família, cuja abrangência caiu pela metade desde 2007

Com apoio de empresários, programa da ONG não deve ter custos para o governo; entidade fornece monitores e o Estado, a estrutura física

O governador de São Paulo, José Serra, ofereceu ontem como parceria à cantora Madonna a estrutura de um programa que foi desidratado em seu governo: o Escola da Família.

Fundadora da ONG Success for Kids, Madonna solicitou audiência com Serra para propor a adoção de seu programa educacional -baseado em princípios cabalísticos- na rede estadual. Na conversa, Madonna explicou que, destinado a crianças de 8 a 12 anos, o programa aplica os conceitos da cabala para o autoconhecimento dos alunos e sua relação com o ambiente.

 

Ao lado de Serra, o secretário de Educação, Paulo Renato Souza, sugeriu sua implantação nas escolas que abrigam, nos fins de semana, o Escola da Família. Pela proposta, a ONG oferece os monitores para o curso e o governo disponibiliza a estrutura física.

Segundo o governador, o programa -que tem apoio de empresários- não representaria custo para o Estado.
“Não é propriamente um programa formal, mas para desenvolver psicologicamente. Para enfrentar melhor a vida”, disse Serra, segundo quem o programa poderá funcionar ainda neste ano.

Criado no governo Geraldo Alckmin, o Escola da Família sofreu, porém, redução drástica na administração Serra.
Em 2007, o governo reduziu pela metade o investimento no Escola da Família. O número de escolas no projeto -que prevê atividades esportivas e culturais durante os finais de semana- caiu de 5.200 para 2.334. Atualmente, o número de é de cerca de 2.300.

À época, o governo alegou que parte das escolas recebia poucos visitantes e, por isso, não fazia sentido mantê-las abertas. O dinheiro foi aplicado em outros projetos, como a colocação de um segundo professor em algumas classes.

No encontro, Madonna e entourage deixaram evidenciar que procuravam um potencial candidato à Presidência. Mas a cantora se surpreendeu com os números de São Paulo.
Antes da audiência, Madonna visitou a ONG Meninos do Morumbi, onde permaneceu por cerca de 45 minutos.
Na entidade, dedicada a crianças e jovens da periferia na zona sul de São Paulo, ela assistiu a apresentações de música, dança e capoeira.

A equipe de segurança de Madonna exigiu que não houvesse câmera fotográfica, filmadora ou telefone celular no local, e pediu que o sistema de câmeras de segurança da ONG fosse desligado durante a visita. Ao lado, cerca de 30 fãs de Madonna gritavam seu nome. O público foi maior no Palácio dos Bandeirantes, onde cerca de 350 funcionários interromperam o trabalho à espera da popstar.

 

Fonte: Folha de S.Paulo

+ sobre o tema

Detenção de Mano Brown exemplifica a mensagem de Cores e Valores

Pedro Paulo Soares Pereira, 44 anos, também conhecido como...

A inteligência de cada um

Estudos mostram que a genética é crucial. Outros fatores...

Um quinto dos americanos acha que Obama é muçulmano, diz pesquisa

Obama frequenta a igreja e já reiterou publicamente sua...

O transporte de tração animal no Central Park e no Sul de Minas

Sou aficionada por revistas e livros sobre animais de...

para lembrar

Justiça cassa 13 vereadores em São Paulo; advogado diz que lei não proíbe doações

Fonte:UOL - A Justiça Eleitoral de São Paulo cassou...

Milhares de pessoas marcham em Paris no maior protesto contra a reforma trabalhista

Pelo menos 60 presos e 40 feridos na marcha...

Machismo e racismo dentro e fora do BBB

por Karen Polaz de Blogueiras Feministas Não sou fã...

Maioria acha que Obama não mereceu Nobel

Fonte: Blog Sérgio Dávila - Pesquisa Gallup divulgada hoje confirma...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...

Equidade só na rampa

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou "quem indica o procurador-geral da República? (...) O povo, através do seu...
-+=