Serviço militar obrigatório e outros argumentos fajutos contra o feminismo

Zézinho adooooora mandar feminista lutar pelo trabalho militar forçado ou perguntar porque os homens levantam mais peso se somos, afinal, todos iguais. A ignorância é tanta que vontade mesmo eu tenho é de bocejar. Mas, como tomei como missão de vida espalhar a boa mensagem do feminismo pelo mundo, aqui vai uma resposta bem didática a cada um dos falsos argumentos que homens inseguros usam contra você, mulher que luta por direitos iguais.

Por , do Brasil Post 

1) Se somos todos iguais, como explicam que as pessoas mais fortes do mundo sejam homens?
Meu caro, para começar nenhuma feminista NUNCA NA VIDA disse que homens e mulheres são iguais. Nossos corpos são diferentes, nossos hormônios são diferentes e tudo isso graças e aleluia à mamãezinha natureza! As feministas não pregam a igualdade, mas uma coisa meio parecida chamada EQUIDADE. A equidade é prima da igualdade e significa direitos iguais a seres diferentes, respeitando suas especificidades.

Tá complicado? Pensa nos direitos trabalhistas. Homens e mulheres precisam de férias todos os anos, mas só mulheres, por exemplo, precisam tirar licença maternidade (alguns países incríveis dão também licença paternidade, mas isso é uma discussão para outro momento, basta dizer que seria muito bom o pai ter licença também, mas para a mãe isso é essencial, senão o bebê morre de fome).

Outro exemplo bom são os esportes. Por que homens e mulheres criam categorias diferentes pra competir? Porque eles têm corpos diferentes, oras bolas! Logo, não podem competir de igual pra igual, mas nada mais justo que a categoria feminina e a masculina receberem o mesmo investimento público, tempo de TV e etc.

Os avanços da biologia têm nos mostrado todos os dias que somos diferentes em detalhes adoráveis e incríveis. Mas também têm mostrado que muito senso comum é apenas resultado de construção social e não tem nada a ver com a natureza das mulheres. É por conta de nossa estrutura física que somos menores que os homens, mas as mulheres apenas são mais vaidosas porque a sociedade nos faz assim. Duvida? Então porque dá espelhinhos e batoms às suas filhas e não a seus filhos?

2) Se querem direitos iguais, por que as feministas não lutam por serviço militar obrigatório?
Essa é tão absurda que me faz rir. Pra começar, a maioria das feministas acha que serviço militar não devia ser obrigatório pra ninguém, mas essa briga não é nossa, é de vocês, homens. Ou seja: se virem!

Depois, porque o serviço militar obrigatório é um serviço que o indivíduo presta à sociedade em que vive. E as mulheres, meu caros, já têm seu próprio serviço obrigatório à raça humana: produzir mais seres humanos. Essa é uma divisão de trabalho feita pela própria natureza. Não seria justo que, além de gastar nove meses gerando um ser que depende totalmente de você e alimentá-lo durante, pelo menos, os seis primeiros meses de vida sem dormir, nós ainda tivéssemos que gastar um ano como militares. Quando a gente ia fazer uma carreira? Quando ia viver?

Aí tem quem diga: ué, mas tem mulher que nunca é mãe. E eu respondo de maneira brilhante: e tem homem que nunca é soldado.

3) Feministas querem o fim da família.
Mentira deslavada! Feministas querem famílias com mais equidade e não o fim da família. Na verdade, se todo mundo vivesse conforme prega o feminismo, as famílias seriam muito mais felizes e a taxa de divórcio talvez até caísse. Sabe por quê? Porque ninguém ia bater na esposa, mentir, trair e trazer AIDS pra casa, encher a cara enquanto a mulher lava a louça. Pra começar, as mulheres só se casariam se realmente quisessem e não porque a sociedade faz pressão. Haveria famílias mais diversas, com arranjos mais adequados para cada caso. O casal dividiria as tarefas do lar, as terminaria mais rápido e teria mais tempo para namorar e ficar com os filhos. Além disso, os homens se preocupariam mais em dar prazer às suas esposas e suas vidas sexuais seriam bem mais interessantes. Eles descobririam algo incrível: dar prazer também é legal à beça e tem poucas coisas mais excitantes do que ouvir alguém atingir o ápice em seus braços – vai por mim!

4) Feministas querem que as mulheres fiquem meio machas.
Se ser macha significa ter direito de ir e vir, tomar decisões, ter uma carreira e ser respeitada, aí sim, queremos ser machas. Já se você considera “ser macha” viver um arremedo de homem… Pra quê nós quereríamos isso?! Ser mulher é tão incrível, bonito e adorável que nenhuma feminista em sã consciência diria que temos que nos transformar todas em subhomens. Queremos mesmo é ser supermulheres!

5) Por que as feministas não criticam a aposentaria aos 60 anos para mulheres se os homens trabalham até os 65?
Porque nós trabalhamos jornada dupla, ganhamos menos e ainda temos os filhos, que é um trabalho insubstituível que prestamos à sociedade. E lembra daquilo que falei sobre equidade? Igualdade pros diferentes? Então, o corpo da mulher sofre mais com a menopausa e ela experimenta doenças como osteoporose muito mais cedo.

E se os homens morrem mais cedo do que nós é por sua própria falta de inteligência comportamental e não temos nada que ver com isso: homens morrem mais em acidentes por imprudência no trânsito, por brigas e vinganças, por abuso de álcool, drogas e cigarro e falta de cuidados com a saúde. Tudo isso diminui a média da expectativa de vida masculina. E nós gostaríamos muito que os homens que amamos fugissem de tudo isso. Mas vocês insistem!

6) Por que as feministas não são a favor de um ministério dos homens já que existe um ministério das mulheres?
O que o dono do argumento tem que entender aí é que todos os ministérios são primordialmente para homens e dirigidos por homens, a secretaria da presidência para as mulheres serve apenas para tentar corrigir esse desequilíbrio.

7) As mulheres já têm direitos iguais hoje em dia, o feminismo não é mais necessário.
Claro, avançamos muito. Mas dizer que as mulheres têm direitos iguais é um disparate. Sabia, por exemplo, que nos EUA, as mulheres não têm direito legal a NENHUMA licença maternidade? Sabia que nos últimos 30 anos, no Brasil, o número de assassinatos de mulheres cresceu 217%, e muito por culpa da violência doméstica? Na Índia, o estupro de gangue é comum nos noticiários. Ainda somos as maiores vítimas de estupro, assédio moral e sexual no trabalho e tantos outros crimes no mundo inteiro. E alguém ainda quer dizer que o feminismo passou da validade?

Tem um montão de outros argumentos desse tipo, que não parecem conectar o tico com o teco, mas eu fiquei com preguiça de responder a todos. Dá uma impressão de estar abaixando o nível, sabe? Termino aqui com amor e carinho a todos os homens e mulheres que ultrapassaram essas lim

+ sobre o tema

Brasil assina acordo internacional para apoiar jovens vítimas de violência sexual

Projeto irá ajudar outros países a estimular a inclusão...

Norma do Ministério da Saúde proíbe homens gays de doar sangue

Brasília - Motivado por uma campanha da empresa onde...

Há sentido político na difamação de Marielle Franco

Não é novidade a quem acompanha episódios de violência...

#MeToo é ponto de inflexão na luta por direitos das mulheres, dizem relatores da ONU

Especialistas em direitos humanos das Nações Unidas elogiaram nesta...

para lembrar

spot_imgspot_img

Casa Sueli Carneiro abre as portas ao público e apresenta o III Festival Casa Sueli Carneiro, pela primeira vez em formato presencial

RETIRE SEU INGRESSO A Casa Sueli Carneiro, fundada em dezembro de 2020 e atuando em formato on-line desde abril de 2021, é uma entidade criada...

Aborto legal: falhas na rede de apoio penalizam meninas e mulheres

As desigualdades sociais no Brasil podem explicar a razão para que meninas e mulheres busquem apoio para o aborto legal também após 22 semanas...

Referência do feminismo negro, Patricia Hill Collins vem ao Brasil para conferência, curso e lançamento de livro

Referência do feminismo negro, a socióloga estadunidense Patricia Hill Collins participa, nesta quarta-feira (19), de um evento em Salvador, na Universidade do Estado da Bahia (Uneb)....
-+=