Vilma Nascimento, histórica porta-bandeira da Portela, afirma que foi vítima de racismo

Enviado por / FonteG1, por Jornal Nacional

As cenas aconteceram depois que Vilma, que tem 85 anos, recebeu uma homenagem no Congresso Nacional pelo Dia da Consciência Negra.

Uma referência da Portela, uma das escolas de samba mais tradicionais do Rio, afirma que foi vítima de racismo em uma loja no aeroporto de Brasília.

Vilma Nascimento, de 85 anos, teve que tirar os pertences da própria bolsa. A filha Daniela estava junto.

Filha: Esqueceu de pagar algum produto, mãe?
Vilma: Eu não comprei nada. Como é que vou pagar?
Filha: Mãe, não fala nada. Só faz o que ela está pedindo que depois a gente vê.

A ordem veio de uma segurança da loja. Segundo Daniela e Vilma, por suspeita de furto.

“Abri. Um vexame. Porque a loja tinha clientes lá olhando eu tirando tudo da minha bolsa, botando tudo para fora e ela olhando”, conta Vilma.

Vilma Nascimento recebeu uma homenagem no Congresso Nacional pelo Dia da Consciência Negra — Foto: JN

As cenas aconteceram depois que a ex-porta-bandeira recebeu uma homenagem no Congresso Nacional pelo Dia da Consciência Negra. Somente depois de mostrar o que tinha na bolsa, Vilma Nascimento foi liberada.

A família registrou queixa na polícia e pretende processar a loja.

“Eu acho isso um absurdo. Eu não roubei nada. Só pode ser porque sou negra”, lamenta ela.

A Dufry Brasil, loja onde Dona Vilma foi abordada, divulgou nota pedindo desculpas publicamente. A empresa diz que a abordagem foi fora do padrão do grupo e que a fiscal de segurança foi afastada de suas funções. A Dufry diz ainda que está reforçando todos os procedimentos internos e treinamentos dos funcionários pra evitar que esse tipo de situação se repita.

+ sobre o tema

DJ Lah, do grupo Conexão do Morro, morre em chacina na periferia de São Paulo

Nove pessoas foram baleadas e, dessas, seis morreram em...

Vilma Reis: “Nós, mulheres e homens negros, estamos na linha de tiro”

Vilma Reis, socióloga e ouvidora-geral da Defensoria Pública do...

para lembrar

Após Paraisópolis, OEA pede que Brasil se solidarize com população negra

Em audiência feita no Haiti, na sexta-feira passada (6),...

Brasil lidera ranking de medo de tortura policial

por Rafael Barifouse Nos últimos três anos, denúncias de violência...

Advogada denuncia contribuinte por racismo em Campinas

Segundo a vítima, homem disse que 'negro não serve...

Estúdio de Hollywood é processado por ‘racismo’

Um ex-funcionário da Universal Pictures decidiu processar o estúdio...
spot_imgspot_img

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...
-+=