Vítimas de homicídios crescem em SP (novamente) – por Luiz Flávio Gomes

O governo do Estado de São Paulo dá mostras de ter perdido o controle da violência, desde aquele momento em que a Rota foi escalada para combater as organizações criminosas do Estado.

 

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, o número de vítimas de homicídios em fevereiro teve, novamente, crescimento em relação ao mesmo período de 2012. Em fevereiro de 2012 o número de vítimas de homicídios dolosos foi de 346 mortes. Já em 2013, esse número cresceu para 391. Um crescimento de 13%.

Dessa forma, o ano de 2013 já acumula um total de 846 mortes por homicídio doloso, apenas nos dois primeiros meses do ano, uma taxa de 2 mortes para cada grupo de 100.000 habitantes, considerando-se a população de 41.262.199 habitantes, segundo dados populacionais do IBGE, em 2010.

Em termos de vítimas de homicídios, o ano de 2013 tem sido, até agora, o mais violênto, se comparado ao mesmo período dos doi últimos anos, quando 2012 acumulou entre janeiro e fevereiro 732 mortes, e 2011 registrou 728 mortes nos mesmos meses.

Após alguns anos de queda, desde o início de 2012 o número de vítimas de homicídios dolosos vem crescendo em todos os trimestres. No que tange aos meses de janeiro e fevereiro dos últimos dois anos, percebe-se uma leve queda entre o segundo mês do ano entre 2011 e 2012. Esse número voltou a crescer, porém, entre 2012 e 2013.

O número de vítimas de latrocínio em fevereiro também obteve um aumento de 10% em relação ao mesmo período do ano passado, passando de 30 para 33.

Houve, também, crescimento de 2,5 % no número de estupros dentro do estado de São Paulo. Em fevereiro de 2012 foram registrados 1031 casos de estupros, já em 2013 esse número subiu para 1057.

O governo do Estado de São Paulo dá mostras de ter perdido o controle da violência, desde aquele momento em que a Rota foi escalada para combater as organizações criminosas do Estado. Talvez essa tenha sido uma das decisões mais prejudiciais para a imagem do governo. Suas nefastas consequências continuam presentes, apesar dos esforços do governo para reverter o quadro (a troca do secretário da segurança, é um exemplo).

 

Luiz Flávio Gomes é jurista e diretor-presidente do Instituto Avante Brasil

Fonte: Carta Maior

+ sobre o tema

Juventude negra, ciência e educação

Mesmo com os avanços já promovidos pela lei 12.711/2012, que nacionalizou...

STF volta a proibir a apreensão de menores sem o devido flagrante nas praias do Rio

Após audiência realizada na manhã desta quarta-feira, em Brasília, o STF determinou...

para lembrar

spot_imgspot_img

Um guia para entender o Holocausto e por que ele é lembrado em 27 de janeiro

O Holocausto foi um período da história na época da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), quando milhões de judeus foram assassinados por serem quem eram. Os assassinatos foram...

Caso Marielle: mandante da morte de vereadora teria foro privilegiado; entenda

O acordo de delação premiada do ex-policial militar Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos disparos contra a vereadora Marielle Franco (PSOL), não ocorreu do dia...

Pacto em torno do Império da Lei

Uma policial militar assiste, absolutamente passiva, a um homem armado (depois identificado como investigador) perseguir e ameaçar um jovem negro na saída de uma...
-+=