terça-feira, janeiro 26, 2021

Resultados da pesquisa por 'mãe preta'

@NappyStock

Relato de uma mãe preta

Você tem cor de merda; Sabia que você tem mão de traficante?; Minha mãe falou mesmo que não era pra eu brincar com pessoas da sua cor…; como você aguenta ser preto? Você fede…; eu não gosto de brincar com amiguinhos marrons… Essas foram algumas das frases que meus três filhos ouviram quase todos os dias, desde que entraram na escola, ou melhor, desde que começaram a se relacionar com outras crianças na escola. E eu como mãe, tive que conviver com esses relatos a vida toda, indo à escola, procurando professores e diretoras brancas que já chegaram a me perguntar se realmente o racismo existe. Antes de mais nada, preciso me apresentar para que vocês entendam um pouco mais sobre essa história. Meu nome é Talita, sou jornalista, tenho 41 anos, sou negra e me casei com um homem negro. Tenho três filhos negros, dois meninos e uma menina, ...

Leia mais
Adobe

Reflexões de uma mãe preta sobre os dias das mães

Há 02 dias, Hakim, meu primeiro filho, completou 07 anos e por causa deste evento muitos sentimentos chegaram com força em meu coração. Hakim é meu primeiro filho, mas não ó único. Depois dele houveram mais 02 filhos amados que permaneceram pouco tempo conosco e não puderam nascer. Eles também fazem parte da nossa família e estão eternizados em nossa história, em nossos corações e no meu corpo em forma de tatuagem. Quanto minha experiência com o Hakim, posso afirmar com toda certeza que sou uma mãe orgulhosa e feliz, mas minha inauguração no mundo materno foi bastante difícil. Circunstâncias difíceis de eminente risco de morte envolveram meu parto, roubaram a alegria e leveza que eu imaginava que deveriam estar presentes naquele momento. Eu já ouvi uma vez que deveria esquecer esta página difícil da minha vida e da história do meu filho, mas não tem como falar do milagre ...

Leia mais

Mãe preta pode ser? Mulheres negras e maternidade

Débora Silva Maria, do Movimento Mães de Maio, há 10 anos organizadas, o movimento é uma das frentes mais fortes na luta contra o genocídio do povo negro no Brasil Fonte: Revista Afirmativa Peso e medida Mãe preta, pode ser? Dose de humanidade essa maternidade Pra mãe preta é sempre uma batalha de vida No sexo desejada, estuprada No caminho uma gravidez abortada Caso filho no mundo joga na roda  Assegura o leite da brancada Em tempos de agora Mãe preta tem a sua humanidade conquistada? Posta em risco e anulada Quando esterilizam seu ventre, filho único Ouro de Mina A polícia assassina Volta à estaca zero Mãe do verbo presente Insistente Ele só tem 16 anos! Artigo\Poesia: Emanuele Góes* A maternidade como uma das dimensões da humanidade alcançada, as mulheres negras ainda não sabem o que é isso. Há muito tempo este texto passeia na minha cabeça, mas para ...

Leia mais

Mãe Preta – Memória da escravidão, maternidade e feminismo em exposição na galeria pretos novos de arte contemporânea

As conhecidas imagens das amas-de-leite negras, registradas desde meados do século XIX ao início do século XX, são o ponto de partida da pesquisa das artistas Isabel Löfgren e Patricia Gouvêa para a exposição MÃE PRETA, com a curadoria de Marco Antonio Teobaldo, na Galeria Pretos Novos de Arte Contemporânea, do Instituto de Pesquisa e Memória dos Pretos Novos (IPN), na Gamboa. Visitação até 25 de setembro. Entrada franca. Do POLIFONIA PERIFÉRICA  A exposição MÃE PRETA integra o Circuito Cultural Rio, idealizado pela Secretaria Municipal de Cultura do Rio, para a programação cultural dos períodos Olímpico e Paraolímpico, que vai de maio a setembro de 2016. A mostra, que também faz parte da programação oficial do FotoRio 2016, busca traçar os elos e ressonâncias entre a condição social da maternidade durante a escravidão e as vozes de mulheres e mães negras na contemporaneidade. A exposição reúne obras em fotografia, gravuras, vídeo e instalações criadas especialmente ...

Leia mais

Exposição “Mãe Preta” integra Circuito Cultural Rio

As conhecidas imagens das amas-de-leite negras, registradas desde meados do século XIX ao início do século XX, são o ponto de partida da pesquisa das artistas Isabel Löfgren e Patricia Gouvêa para a exposição “Mãe Preta”, com a curadoria de Marco Antonio Teobaldo, na Galeria Pretos Novos de Arte Contemporânea, do Instituto de Pesquisa e Memória dos Pretos Novos (IPN), na Gamboa. Do Sopa Cultural  A exposição integra o Circuito Cultural Rio, idealizado pela Secretaria Municipal de Cultura do Rio, para a programação cultural dos períodos Olímpico e Paraolímpico, que vai de maio a setembro de 2016. A mostra, que também faz parte da programação oficial do FotoRio 2016, busca traçar os elos e ressonâncias entre a condição social da maternidade durante a escravidão e as vozes de mulheres e mães negras na contemporaneidade. A mostra reúne obras em fotografia, gravuras, vídeo e instalações criadas especialmente para o IPN, onde está ...

Leia mais

A mãe preta já encheu sua mamadeira, vá mamar em outro lugar!

Esse negócio de mãe preta ser leiteira já encheu sua mamadeira, vá mamar noutro lugar (trecho de Cada Macaco no seu galho, Riachão) Por Emanuelle Goes Do População Negra e Saude Sem nenhuma intenção de escrever sobre este tema, fui obrigada a fazer isso, diante da imagem apresentada ao lado, onde uma mulher negra de seios fartos segura em seus braços uma criança branca, em alusão a Semana Mundial da Amamentação (1° a 07 de agosto).  As Amas-de-leite eram mulheres negras escravizadas que eram obrigadas a amamentar as crianças brancas da casa grande, no entanto para serem amas-de-leite essas mulheres deveriam seguir alguns requisitos. Segundo Lélia Gonzalez (1983), a figura da ama negra, da mãe preta, é o momento em que somos vista com uma imagem positiva de bondade e ternura e até vira gente, mas aí ele começa a discutir sobre a diferença entre escravo (coisa) e negro (gente) e logo, de novo, chegam ...

Leia mais
Ilê Aiyê promove a Semana da Mãe Preta em homenagem à mulher negra

Ilê Aiyê promove a Semana da Mãe Preta em homenagem à mulher negra

A Associação Cultural Ilê Aiyê promove a partir da próxima segunda-feira, dia 23 de setembro, em sua sede no Curuzu, a Semana da Mãe Preta. O evento, que acontece desde 1978, foi criado com o objetivo de  homenagear “Mãe Hilda”, sacerdotisa do candomblé e por muitos anos dirigente espiritual do Ilê Aiyê, assim como todas as mulheres negras baianas, inserindo-se como atividade de resgate e valorização do papel feminino no processo civilizatório brasileiro. A programação será realizada até sexta-feira, dia 27 de setembro. A abertura está prevista para as 9h30 de segunda-feira, na Senzala do Barro Preto, sede do Ilê, com uma apresentação da Band’Erê, que é formada por crianças e jovens da comunidade. Haverá ainda neste dia apresentação de projetos pedagógicos pelos alunos da Escola Mãe Hilda, mantida pelo instituição, e rodas de mulheres capoeiristas. Às 15h, ocorrerá a abertura de uma exposição sobre a mulher no foyer da ...

Leia mais
Arquivo Pessoal

“Minha mãe, Virginia Silva, uma preta gari de profissão,agora tem uma filha vereadora”-diz Bruna Rodrigues, a vereadora, em Porto Alegre

Bruna Silva Rodrigues é uma mulher preta porto-alegrense, tem curso  superior e 33 anos. Bruna começou a trabalhar,desde os sete anos, varrendo a feira da Vila Cruzeiro, área periférica de Porto Alegre e , por conta de uma remoção perdeu o teto que morava. Na pesquisa de índice de desenvolvimento humano (IDH) Porto Alegre é considerada a capital mais racista do país. A mãe da Bruna, a Virginia Silva trabalha, como gari, no Departamento Municipal de Limpeza Urbana, da Prefeitura de Porto Alegre.   Constituída por uma maioria branca,o fenômeno da segregação racial, na cidade  é um componente social muito presente. No último dia 15 de novembro, Bruna Rodrigues concorreu e venceu a campanha para vereadora,  pelo PCdoB, em Porto Alegre-RS. Foi a  décima primeira mais votada, e foi  em sua  comunidade, a Vila Cruzeiro que obteve  votação massiva. Já eleita a vereadora diz:"Não temos escola de ensino médio, nem ...

Leia mais

“Essa preta roubou a minha filha” Mulher tenta sequestrar filha de casal interracial por não ter a cor da mãe

Mãe negra vive momentos de desespero para evitar o sequestro de seu bebê, que é branco, por mulher que usou a cor da pele para tentar convencer presentes que a criança era dela no EM Foto: Arquivo pessoal/ facebook Eu me vi perdendo a minha filha simplesmente por ser negra e ela não”, disse Jamille Edaes, de 22 anos, ao denunciar ter sido vítima de racismo ao mesmo tempo em que uma mulher tentava roubar-lhe o bebê em uma parada de ônibus na BR-381 em Perdões, no Centro-Oeste de Minas, na noite de segunda-feira. Jamille, que é negra, contou ter sido acusada por funcionários do estabelecimento de ser “sequestradora” da própria filha, de 1 ano e 5 meses, que tem a pele branca. Só não a perdeu porque levava todos os seus documentos na bolsa e ainda um vídeo do parto no celular. Ela registrou ontem um boletim de ocorrência ...

Leia mais

‘Deus é uma mulher preta’: Um filme sobre as mães negras periféricas

Estudantes lançam campanha de financiamento coletivo para viabilizar filme “Deus”, que vai retratar o cotidiano de mães negras da periferia de São Paulo por Thiago Gabriel no Vai de Pé “Deus é uma mulher preta”. É a partir dessa formulação que Vinícius Silva, 25 anos, estudante de cinema na Universidade Federal de Pelotas, busca produzir um curta-metragem. A ideia do filme “Deus”, que vai trazer às telas o universo cotidiano de uma mãe negra na periferia de São Paulo, nasceu da própria trajetória pessoal de Vinícius, que será o primeiro de sua família a concluir um curso universitário. “Minha vida deu várias voltas, já fiz muita coisa errada e voltei. Eu pensei: ‘como que eu consegui chegar aqui?’ Quando pesquisei a fundo minha história, a resposta caiu nas mulheres da minha família”, conta Vinícius. O filme irá retratar a rotina de sua tia, Roseli, trazendo, não apenas os aspectos negativos da ...

Leia mais

Feminismo didático parte 2 — As mães pretas

“Pensando a arte de forma política, trabalhamos com as questões de gênero e raça tendo como missão o fortalecimento, a emancipação e o empoderamento de mulheres, sobretudo Mulheres Negras, por compreendermos as demandas diferenciadas desse grupo e a consequente necessidade de iniciativas que deem a atenção necessária a este segmento da população.” O texto acima é parte do manifesto do Balé das Yabás, grupo de Mulheres Negras que propõe a reflexão sobre o protagonismo da mulher na sociedade a partir da mitologia dos Orixás. Sinara Rúbia e Ludmilla Almeida guiam, uma vez por mês, uma tarde inteira de discussão sobre o feminino e sobretudo sobre a estética negra feminina. Aprendi com elas que os mitos, ou itans (como são chamados no candomblé), são narrativas das histórias vividas por nossas ancestrais, que se manifestam nas nossas práticas cotidianas, que se personificam nos nossos fazeres diários, justificando e dando sentido a estes ...

Leia mais
20120719231556170651a

Mãe denuncia racismo contra filha de 4 anos; aluna é xingada de ‘preta horrorosa’

De acordo com ela, menina foi ofendida por avó de garoto que se revoltou com o fato de o neto ter dançado quadrilha com uma criança negra. Polícia vai investigar o caso Por: Pedro Ferreira "Quero saber por que deixaram uma negra e preta horrorosa e feia dançar quadrilha com meu neto." Foi assim, segundo o que já foi apurado pela polícia, que a avó de um aluno de uma escola infantil particular em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, se referiu a uma menina de 4 anos, em um caso de crime de racismo que revoltou funcionários do Centro de Educação Infantil Emília e levou a mãe da criança a denunciar a mulher à polícia. A diretora da escola foi acusada de não ter feito nada para impedir as ofensas racistas e ainda ter tentado abafar o caso. O episódio ocorreu dia 10, mas somente ontem, apoiada pela ...

Leia mais
Thiago Amparo (Foto: Marcus Leoni/CLAUDIA)

O Brasil é uma enfermeira preta vacinada

Na política e na vida, imagens importam. Neste domingo (17), a cara do Brasil não é a do presidente da República espumando sandices pela boca ou a de seu ministro da Saúde, abestalhado, isolado no alto palco de sua irrelevância em uma entrevista coletiva que nada explica. Ofuscados pela genialidade imagética do governador João Doria (PSDB), um ex-aliado feroz, Jair Bolsonaro e Eduardo Pazuello tornam-se hoje o que sempre foram: irrelevantes. Perigosos, mas irrelevantes. Ao investir na semiótica da decência política calcada na vida, Doria sai desta gigante, como merece sair, apesar dos atropelos marqueteiros. Na entrevista em São Paulo, tanto a linguagem empregada quanto a imagem veiculada por Doria contrastaram dramaticamente com um ministro da Saúde acanhado, apequenado e deveras irritado, como uma criança gigante cujo doce fora dela roubado. Em democracias competitivas como é o Brasil, paixão e autointeresse se controlam e se anulam; em outras palavras: foi o marketing doriano que acabou controlando ...

Leia mais
Anielle Franco (Foto: Bléia Campos)

Mulheres pretas acadêmicas

Seguindo os últimos textos, onde destaquei algumas mulheres que seguem inspirando outras mulheres, hoje vou utilizar esse espaço para falar de duas mulheres negras e acadêmicas, que são imbatíveis. O espaço acadêmico definitivamente não foi pensado para mulheres negras. Isso em um contexto de diáspora, porém nós resistimos e existimos nesse lugar. Pensar a existência de mulheres negras ocupando cadeiras em lugares de conhecimento, formulando conhecimento, propagando ideias e sendo visíveis, não é algo comum e entendido como natural. Atualmente tem ocorrido mais, porém não com facilidade. Conquistar esses espaços, como a academia é resultado de uma corrida desigual, árdua, e incansável de mulheres como eu e tantas outras irmãs para conquistar objetivos, obter glórias, ou até simplesmente, sobreviver com dignidade em meio às desigualdades. árbara Carine fundou a Escolinha Maria Felipa, em Salvador (BA)Imagem: Acervo Pessoal Nesse caminho de resistência e ocupação de mulheres negras, ...

Leia mais
Agência Brasil/EBC

Mulheres pretas

Conversar com a atriz Ruth de Souza era como viver a ancestralidade. Sinto o mesmo com Zezé Motta. Sua fala, imortalizada no filme "Xica da Silva', tece ventos que suavizam nossa face. Há coisas que marcam a existência, e sutilezas, como delicado palimpsesto, tatuado em camadas na nossa memória e nossa pele. Vai um caso. Em 2020, minha neta Alika, hoje com três anos, foi "pega" pela mãe batendo panelinha da janela da casa onde mora, no bairro do Méier, no auge dos protestos contra Bolsonaro (me recuso a chamar de presidente). A precocidade está no sangue das mulheres pretas. E não se aplica só a Alika, mas a todas as mulheres. Elas combateram à escravidão, de dentro da senzala e da casa-grande, onde já se perpetravam estupros coletivos, e, na resistência, o feminicídio. Na luta das letras, nada justifica o apagamento de Maria Firmina dos Reis e Carolina Maria ...

Leia mais
Reprodução/Facebook

Festival Encontro Das Pretas abre edital nacional para artistas e criadores de conteúdo

O Festival Encontro Das Pretas, que é um evento sobre potencialização e fortalecimento, abre chamamento público para artistas e criadores de conteúdo. O chamamento é uma seleção de propostas educativas, artístico-culturais e afrocentradas,  realizadas prioritariamente por negros, mulheres, mães solo e LGTBQIA+, populações indígenas e capixabas. A fim de compor a programação de sua sétima edição que ocorrerá entre 20 e 29 de novembro - sendo a primeira online e de alcance nacional - o prêmio total é de 12 mil reais e será distribuído entre nove categorias. As inscrições estão abertas e seguem até sexta-feira (13), exclusivamente pelo site www.encontrodaspretas.com.br Serão dez propostas selecionadas, que distribuída nas nove categorias, serão remuneradas, conforme o edital. Podem se inscrever pessoas físicas maiores de 18 anos e pessoas jurídicas na categoria MEI (Micro Empreendedor Individual). O Encontro Das Pretas é um dos maiores eventos afrocentrados do país e o maior do Espírito ...

Leia mais
(Foto: Marcos Rosa/TV Globo)/ Bernardo Guerreiro/Mídia Ninja

Taís Araujo vai interpretar Marielle Franco no especial “Falas Negras” da Globo

A Globo está desenvolvendo um especial para o Dia da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro. Taís Araujo vai interpretar Marielle Franco no programa “Falas Negras”dirigido por Lazaro Ramos e criado por Manuela Dias, que vai trazer textos históricos de importantes personagens de 1600 aos dias de hoje, pessoas que lutaram contra a escravidão, a segregação racial, o racismo e a intolerância. Fabricio Boliveira será Olaudah Equiano, Guilherme Silva (Martin Luther King), Ivy Souza (Nina Simone), Babu Santana (Muhammad Ali) e Naruna Costa, que darão vida, respectivamente, a Olaudah Equiano, Martin Luther King, Nina Simone, Muhammad Ali e Angela Davis (Angela Davis). “Falas Negras” já está em processo de gravação nos Estúdios Globo e esse é o primeiro de uma série de programas especiais que a emissotas pretende exibir para marcar datas importantes do calendário brasileiro. As informações são do jornal “Extra”. *Marielle Franco – mulher, negra, mãe e ...

Leia mais

Mulheres de luta: as mães de ingênuos por força da Lei do Ventre Livre

Em 1880, um número considerável de mães solteiras escravizadas com filhos menores que viviam no Rio de Janeiro, o Município Neutro, recebeu carta de alforria graças aos recursos do “Fundo de Emancipação de Escravos”. O fundo foi um instrumento criado por meio da Lei n. 2.040, de 28 de setembro de1871 – aquela que ficou conhecida como a Lei do Ventre Livre. Ele tinha por fim reunir recursos para a libertação de quantas pessoas escravizadas fosse possível nas províncias e na capital do Império, também chamada de Município Neutro ou corte. Sendo assim, o registro de 271 mulheres alforriadas na capital imperial nos é valioso sob duas perspectivas.  Primeiramente, o dado chama atenção pelo fato de elas constituírem uma das categorias familiares que deveriam ser priorizadas no acesso aos recursos pecuniários. Ou seja, de acordo com os critérios de classificação utilizados por uma junta constituída para qualificar, selecionar ou excluir ...

Leia mais
Adobe

Maternidade Preta X Paternidade Branca: breves observações sobre racismo nas disputas de guarda nas Varas de Famílias

Há muitos anos observo criticamente a dinâmica das disputas de guarda enquanto advogada, atuando não somente em cenários de litígio, mas também nas mediações. É impossível, para mim, não perceber de que forma homens/pais brancos(ou não pretos) tratam mulheres pretas ou pobres. (Falar em vulnerabilidade financeira no Brasil é falar de negritude, naturalmente).  A desqualificação da maternidade negra ocorre sempre de maneira mais grave. Quando a disputa pela guarda se dá no campo judicial, reforçam-se estereótipos discriminatórios que afetam a parcialidade de julgadores e prejudicam o acesso à Justiça por parte destas mães. Incapaz de cuidar do filho, desequilibrada, sexualmente promíscua, são atributos comuns. Sua afetividade (ou vida sexual) será ainda mais posta em cheque e poderá ser utilizada como forma de desqualificar o exercício da maternidade.  Por que estou falando sobre isso?  Mulheres brancas não experienciam estas violências, afinal? Vejamos. Nas disputas de guarda, os tribunais levam em conta ...

Leia mais
Rita de Cássia dos Anjos, professora da UFPR, recebeu o prêmio "Para Mulheres na Ciência"
Imagem: Arquivo Pessoal/Rita de Cássia dos Anjos

‘Sempre fui a única preta ali’: caçadora de mistério do Universo é premiada

Caçula de oito irmãos, Rita de Cássia dos Anjos é apaixonada por ciências desde criança. Mas, pobre, só virou cientista porque uma irmã mais velha pagou um cursinho preparatório para ajudá-la a ingressar na universidade, já que conteúdos de física e química eram raros na escola pública. Hoje, ela tenta desvendar os mistérios do Universo estudando a luz que chega até o nosso planeta. Na quinta-feira passada (20), o esforço deu certo, e a professora da Universidade Federal do Paraná (UFPR) teve o trabalho reconhecido com o prêmio "Para Mulheres na Ciência 2020" —programa promovido pela empresa de cosméticos L'Oréal, Unesco Brasil e Academia Brasileira de Ciências (ABC)— na categoria Ciências Físicas, após duas tentativas. O Observatório de Pierre Auger, na Argentina, identificou uma correlação entre a direção de partículas altamente energéticas que chegam na Terra e a direção de algumas starbursts —nome dado a galáxias com taxa elevada de ...

Leia mais
Página 1 de 96 1 2 96

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist