Guest Post »

A correria das mulheres negras ou quem vai dominar o mundo

As mulheres pretas estão sempre na correria

por Caroline Alice para o Portal Geledés

Montagem

Seja em casa, na comunidade, no trabalho, na universidade, na militância. Sempre na correria, produzindo, criando, vendendo, divulgando, estudando, pesquisando e ainda tem todo trabalho de planejamento, do processo para uma ideia tomar forma, que sequer é reconhecido como trabalho – porque pensar sobre o que se precisa fazer também exige energia, é cansativo, das tarefas mais simples às mais complexas.

É uma realidade que diz para nós a todo momento que se não estamos correndo, vamos ficar para trás e só dá para descansar depois da exaustão, depois de ter corrido anos. Corremos e nos tornamos tão preparadas e incríveis no que fazemos, nos superamos sempre, mas descobrimos que não podemos desacelerar para sermos reconhecidas pelo que fazemos de melhor com tanto suor e alma. Aí continuamos correndo, numa exigência surreal que o capitalismo constrói para nos adoecer e destruir. Sabemos que “o silêncio nunca nos protegerá”, mas ainda é aos poucos que estamos descobrindo o quanto e como “auto-cuidado, para nós, é auto-preservação”, como nos disse Audre Lorde.

Infelizmente dói perceber que, por mais correria que sejamos, existe ainda um sentimento que nos persegue: aquele de nunca sermos boas o suficiente ou suficientemente preparadas para dar conta do tamanho dos nossos sonhos e do mundo que queremos conquistar, assim como construir.

A gente sabe que para as mulheres brancas a realidade do reconhecimento, estruturalmente, é outra e por menos, bem menos, há visibilidade, valorização e apoio sobre o que fazem, especialmente se nos referimos a mulheres brancas que tem uma situação econômica que as posiciona em outro lugar de poder. O debate de tomar o poder da palavra, estilhaçar o silêncio e sair derrubando as portas é sempre uma prioridade para nós, mas quando sozinhas ainda é pouco.

E apoiar de verdads, apoie as mulheres negras. Antes de tudo, resgate e aprenda sobre a história das mulheres negras baianas, brasileiras, latino-americanas – e do mundo. Conheça a história as mulheres negras ao seu redor: quem são, de onde vem, suas trajetórias em perceba como o racismo e o patriarcado foram estruturantes, mas fomos e somos gigantes, bem maiores do que quiseram nos fazer acreditar. Conheça seus trabalhos e seja sincera
sobre eles. Sempre que puder, compre os produtos dessas mulheres. Sempre que puder, prestigie, convide para as parcerias, demonstre o quanto sente orgulho. Admire e se referencie em mulheres negras.

As mulheres negras são incrivelmente maravilhosas e talentosas no que fazem e quando aprendemos a confiar em nós mesmas, construindo o melhor que podemos em rede, sendo coletivas em trajetórias regadas de luta, é bem mais difícil nos derrubarem.

Podem até tentar, mas eles não vão nos parar tão cedo.

Nossas raízes são fortes e chacoalhamos o mundo com a força das tempestades.

É aquela coisa: “Who run the world? Girls!”
Ou “quem vai dominar o mundo são as mulheres!”


** Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do PORTAL GELEDÉS e não representa ideias ou opiniões do veículo. Portal Geledés oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.

Related posts