terça-feira, agosto 16, 2022
InícioÁfrica e sua diásporaAfro-brasileiros e suas lutasARAGUAIA: Afrodescendentes comemoram Dia da Consciência Negra com abraço

ARAGUAIA: Afrodescendentes comemoram Dia da Consciência Negra com abraço

Fonte: Olhar Direto –

 

O movimento nacional O Negro informa, por meio de sua representante no Vale do Araguaia, a professora Divina Célia, que está sendo preparada uma atividade de integração da comunidade afrodescendente na região na sexta-feira 20, feriado da Consciência Negra em lembrança a Zumbi dos Palmares.

Envolvendo as cidades de Barra do Garças, Pontal do Araguaia e Aragarças, está programado um abraço no rio Araguaia e a distribuição de panfletos e flores às mães negras que passarem pela ponte que liga os três municípios, na divisa de Mato Grosso e Goiás.

Na opinião da professora, que atua no colégio José Nogueira, de Aragarças, a maior vitória do Movimento Negro Brasileiro foi a aprovação do Estatuto da Igualdade Racial, que ocorreu em setembro deste ano. “Esse estatuto será um avanço para o negro do país que terá sua cultura e história valorizadas”, disse Divina Célia.

Ela informou ainda que existe a Lei Federal 10.639/03 que torna obrigatório o estudo de história e cultura afro-brasileira e africana no país, cujo tema tem que ser utilizado nas disciplinas de Língua Portuguesa, História, Artes e Geografia, desde a educação infantil até a de nível superior. “A lei foi aprovada, agora falta a implementação dela para que isso aconteça de fato”, completou.

A professora Divina Célia pretende difundir mais as ações do movimento O Negro em Mato Grosso com a fundação de uma sede em Cuiabá para breve. Hoje essa entidade tem sede em São Paulo e congrega a área educacional e artistas em prol da igualdade racial.

Na próxima sexta-feira, depois da atividade na ponte do rio Araguaia, a comunidade vai acompanhar uma exposição de artes com o tema “Aragarças abraça a Africa”, em  Aragarças, finalizando a programação.

Em Barra do Garças, a escola Jardim Araguaia está promovendo uma amostra desde segunda-feira com a participação dos alunos no projeto denominado “Rompendo os muros da escola” levando poesias, músicas e histórias sobre a comunidade negra para os moradores do bairro Jardim Araguaia (Cohab).

Outra novidade foi a aprovação, na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara Federal, do “Hino à Negritude”, composto pelo poeta e professor Eduardo de Oliveira. A medida – proposta pelo deputado Vicentinho (PT-SP) no projeto de lei 2445/07 – foi aprovada em caráter conclusivo.

Já aprovado pela Comissão de Educação e Cultura, o projeto segue para análise do Senado.

Foi aprovado o parecer do relator, deputado Gonzaga Patriota (PSB-PE), favorável ao projeto e à emenda da Comissão de Educação pela exigência de execução do hino em todas as solenidades dirigidas à raça negra.

O deputado Vicentinho explica que o objetivo do projeto é favorecer o reconhecimento da trajetória do negro na formação da sociedade brasileira. “Não temos ainda símbolos que enalteçam e registrem este sentimento de fraternidade entre as diversas etnias que compõem a base da população brasileira”, afirma o autor da proposição.

Matéria original

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench