Campanha nacional de combate ao racismo é lançada

A Contracs e diversas entidades se uniram à CUT na criação e lançamento da campanha “Basta de Racismo”

Escrito por: Lauany Rosa/ Contracs

No fim da tarde desta terça-feira (29), a CUT nacional lançou durante a 14ª Plenária Nacional a campanha nacional de combate ao racismo. Com o tema “Basta de racismo no trabalho e na vida”, a campanha foi lançada em parceria com a Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio e Serviços (Contracs), a Confederação Nacional de Municípios (CNM), a Confederação Nacional de Trabalhadores na Saúde (CNTS), a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Processamento de Dados Serviços de Seguranças e Similares (Fenadados), a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

A campanha nacional de combate ao racismo tem como objetivo superar todas as formas de preconceitos e discriminação étnico-raciais, eliminar as desigualdades entre negros e brancos e promover uma sociedade mais justa para todos. O material base da campanha entregue a todos os dirigentes e presentes era composto por um jornal explicativo da campanha e ações do ramo e estado, um livro de políticas de igualdade racial e combate À discriminação, cartaz, folder e bolsa com o slogan Basta de Racismo.

Durante o lançamento da campanha, a secretária de combate ao racismo da CUT nacional, Maria Júlia Reis Nogueira afirmou que o racismo é fruto da história do Brasil e por esse motivo, as campanhas de combate à discriminação se fazem necessárias de forma permanente nas centrais e em todas as entidades. “A campanha Basta de Racismo deve ser feita diariamente em todos os estados e ramos. Ninguém pode ser discriminado por sua cor, crença, formação ou opinião. É preciso denunciar para que haja o fortalecimento da luta antirracista e para que os direitos humanos sejam garantidos”.

Segundo Maria Júlia, o maior problema não é participação de negros e negros na CUT e nas entidades a ela ligadas, mas a participação e ampliação de espaços em todos os segmentos da sociedade. “Precisamos fazer com que o combate ao racismo e a inclusão de companheiros negros e negras nos mais diversos cargos e ramos, não seja apenas uma política da direção e dos militantes, mas sim, uma política efetiva da classe trabalhadora”.

Para a secretária de política de promoção para igualdade racial da Contracs, Regina Teodoro, a campanha de combate ao racismo é uma ferramenta importantíssima para que os trabalhadores tenham consciência de que o preconceito ainda existe no ambiente de trabalho. “Convivemos com o racismo camuflado, no qual o trabalhador se omite em denunciar. Temos que incentivar todos os trabalhadores e trabalhadoras dos mais diversos ramos a denunciar essas opressões junto a CUT, a Contracs e as demais entidades”.

Segundo Regina Teodoro, os trabalhadores negros e negras precisam levantar a cabeça diante dos agressores e não se devem deixar oprimir. “Precisamos buscar uma sociedade mais justa e igualitária. Temos o direito de estar em igualdade nas relações de trabalho e não podemos deixar que nos discriminem”.

 

 

Fonte:  Contracs

+ sobre o tema

Advogados negros divulgam manifesto contra racismo na OAB

Um grupo de advogados negros encaminhou ao presidente da...

Passageiro acusa cobrador de ônibus de racismo

Uma discussão entre um cobrador da Athenas Paulista e...

ONU pede ao mundo que fuja dos políticos que alimentam racismo

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu nesta quinta-feira...

para lembrar

Nem tudo era italiano …

Este brilhante trabalho foi apresentado originalmente em 1995 como...

Além de odiar as mulheres, atirador de Santa Bárbara era racista, diz jornal americano

"Como pode garoto negro conquistar uma menina e não...

Estudantes e comunidade debatem racismo e xenofobia nesta segunda (25/08)

Nesta segunda-feira (25/08) a FSG vai sediar o debate CAXIAS...

Denúncias de racismo na internet crescem 81% em 2014, aponta levantamento de ONG

As denúncias de racismo encaminhadas à SaferNet Brasil, entidade...
spot_imgspot_img

Protocolo negro

Quem é negro costuma cumprir um protocolo ao colocar o pé na rua. Inclui jamais sair sem um documento; não ir ao supermercado com...

Por que ser antirracista é tão importante na luta contra a opressão racial?

O Laboratório de Estudos de Gênero e História, da Universidade Federal de Santa Catarina, lança nesta quarta-feira (21) o quinto vídeo de sua campanha de divulgação...

Moção de solidariedade da UNEGRO ao Vai Vai 

A União de Negras e Negros Pela Igualdade (UNEGRO), entidade fundada em 1988, com  longa trajetória na luta contra o racismo e suas múltiplas...
-+=