Campanha por ministra negra no STF é exibida na Times Square

Ação movida por entidades da luta por direitos da população negra pressiona governo por escolha de mulher negra para a vaga de Rosa Weber

Esta semana, a campanha #PretaMinistra, movida pelo Instituto de Defesa da População Negra (IDPN) junto com a Coalizão Negra por Direitos, ganhou visibilidade internacional ao ter um vídeo exibido na Times Square, em Nova York. A campanha defende a indicação de uma mulher negra para o cargo de ministra do Supremo Tribunal Federal (STF).

O vídeo mostra a frase “Ela tem um sonho” e em seguida surge a atriz mirim Lua Miranda, uma menina negra, falando a frase: “Quando eu crescer, quero ser ministra do STF”. Em seguida, o vídeo encerra com a frase: “Nunca antes na história desse país, uma menina negra conseguiu realizar esse sonho”.

Além do vídeo de poucos segundos exibido na Times Square, a campanha também conta com um curta-metragem “Todo mundo tem um sonho”, no qual Lua interpreta Ana, uma menina negra cheia de sonhos, se inspirando em personalidades negras como a cantora, Iza, a escritora Conceição Evaristo e a ginasta Daiane dos Santos.

Ao final, a mãe de Ana, interpretada por Mariana Nunes, sugere que a filha pode sonhar em ser ministra do STF, mas a menina questiona: “igual a quem, mãe?”. O vídeo dirigido por Mayara Aguiar levanta a reflexão da falta de ministras negras no Supremo para inspirar outras mulheres negras a ocupar espaços de poder.

Ministra Negra no STF

Na última sexta-feira (8/9), a campanha “Ministra Negra no STF” chegou à reunião da cúpula do G20, em Nova Deli, capital da Índia, durante a passagem do presidente Lula (PT) pelo país. O movimento é apoiado pela ministra Cármen Lúcia, segunda mulher a assumir uma cadeira no STF.

Para participar, basta acessar o site www.ministranegranostf.com.br/ e informar nome, sobrenome, endereço de e-mail e estado de origem, que a mensagem é enviada automaticamente para a secretaria da Presidência da República. 

Vaga no STF

A ministra do STF Rosa Weber se aposenta em outubro deste ano, deixando sua vaga disponível para indicação do presidente Lula. A expectativa de parte da população é que a vaga seja ocupada por uma mulher negra pela primeira vez.

Nos 132 anos de existência so STF, as cadeiras foram ocupadas por 171 pessoas, destas,  apenas três eram mulheres, todas brancas, e três negros, todos homens. 

Nomes como o da juíza federal fluminense Adriana Cruz, da promotora de Justiça baiana Lívia Sant’Anna Vaz, e da advogada gaúcha Soraia Mendes, estão entre os sugeridos por diversas entidades de defesa dos direitos da população negra. 

+ sobre o tema

Entrevista do mês – Jurema Werneck

Violência no país está relacionada a racismo e falta...

Rosa Parks

O marco inicial deste movimento se deu no sul...

As mulheres negras em imagens e narrativas afro-atlânticas, com Jordana Braz

“A mulher anônima pode ser qualquer mulher que você...

para lembrar

STF julgará se Marco Feliciano será processado por homofobia

Procuradoria da União também acusa deputado de racismo A Procuradoria...

Decisão do STF sobre o ensino religioso: quem ganhou e quem perdeu?

A avaliação do julgamento da ADI 4439/2010 no Supremo...

Uma Mulher Negra para o Supremo Tribunal Federal (STF) já!

Os debates se tornaram calorosos neste últimos dias em...
spot_imgspot_img

O futuro de Brasília: ministra Vera Lúcia luta por uma capital mais inclusiva

Segunda mulher negra a ser empossada como ministra na história do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a advogada Vera Lúcia Santana Araújo, 64 anos, é...

PF prende Domingos Brazão e Chiquinho Brazão por mandar matar Marielle; delegado Rivaldo Barbosa também é preso

Os irmãos Domingos Brazão e Chiquinho Brazão foram presos neste domingo (24) apontados como mandantes do atentado contra Marielle Franco, em março de 2018, no qual também morreu o motorista Anderson...

STF homologa acordo de delação de Ronnie Lessa no caso Marielle Franco, anuncia Lewandowski

O ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, anunciou nesta terça-feira, (19) que o acordo de delação premiada do ex-policial militar Ronnie Lessa foi homologada pelo Supremo Tribunal...
-+=