Cavalo de Santo – religiosidade e dignidade Afro-Brasileira

O belíssimo documentário Cavalo de Santo, com direção, roteiro e produção compartilhado pelo casal gaúcho Mirian Fichtner (fotografa) e Carlos Caramez (jornalista) é um verdadeiro sopro de esperança para todos aqueles que acreditam que a liberdade religiosa é um bem indispensável para o exercício da democracia. Ainda mais num momento onde o obscurantismo e a intolerância tem estado presente até mesmo nas instituições que tem por missão a preservação, valorização e difusão da cultura negra em nosso país, como é o caso da Secretaria Especial de Cultura e da Fundação Cultural Palmares.

São mais de 400 mil visualizações, nas redes sociais, desde o seu lançamento em 1° de maio de 2021. Um recorde a ser comemorado para um filme que trata de temática tão delicada como a intolerância religiosa e o preconceito contra as religiões de matriz Africana no Brasil. Mais significativo ainda por abordar a presença dessas religiões num estado como o Rio Grande do Sul, majoritariamente branco e com fortes traços racistas.

Para quem não sabe, o Rio Grande do Sul é o segundo estado com maior número de habitantes brancos no país e curiosamente é também o Estado com o maior número de templos religiosos de matriz africana, superando estados com maioria negra como a Bahia e o Rio de Janeiro. Além disso, a escravidão nas terras gaúcha é tida como uma das mais duras e violentas. A invisibilidade negra lá é tão forte e o racismo tão arraigado que se manifesta explicitamente até os dias atuais, vide o assassinato brutal do negro João Alberto num supermercado gaúcho aos olhos de todos e todas. Para os autores, “a intolerância religiosa é total, mas encontra uma forte resistência dos batuqueiros que organizados aprenderam a se defender, lutar pelos seus direitos e ocupar o espaço público que lhes pertence”.

Mas, as singularidades do Cavalo de Santo são muito maiores do que possamos imaginar. O filme, que tem origem no livro homônimo, lançado pela Fundação Palmares, em 2010, levou dez anos sendo produzido. Respeitou meticulosamente o calendário litúrgico das instituições religiosas afro-brasileiras gaúchas  e por conta disso estabeleceu uma relação de respeito e confiança com as autoridades religiosas dos templos e terreiros de Candomblé e Umbanda de tal ordem que fica visível a cumplicidade e parceria no desenvolvimento do documentário.

Cavalo de Santo, cumpre em grande medida um papel educativo, ao dar vez e voz aos discriminados e excluídos, rompendo com esta relação cruel entre a invisibilidade e intolerância tão em moda no Brasil. Ao mesmo tempo, o documentário possibilita aos gaúchos e brasileiros o conhecimento da religiosidade afro gaúcha com toda sua força, inteireza, beleza e dignidade que as mesmas possuem. É o Brasil que não conhece o Brasil.

Portanto, merece os nossos aplausos o trabalho realizado pela dupla gaúcha, além de merecer ser visto, por todos aqueles que defendem a liberdade de culto em nosso país. Tenho certeza de que este filme terá um longo e vitorioso caminho a percorrer pelos festivais e espaços culturais do Brasil e Exterior, além de poder ser um grande instrumento de combate ao racismo e a intolerância religiosa em nosso país. Toca a zabumba que a terra é nossa!

+ sobre o tema

Alagoas é o estado com maior índice de assassinatos de adolescentes

Índice de Homicídios na Adolescência foi apresentado nesta quarta...

Black is King: álbum visual de Beyoncé já é histórico

Você sabia que os egípcios eram negros? Aprendeu sobre...

Representatividade para quem?

Comecei a questionar-me sobre representatividade negra nos espaços públicos,...

para lembrar

Para ser médico, um branco vira negro

A implementação da política de ações afirmativa de cotas...

Rede de combate ao racismo e à intolerância religiosa é lançada na Bahia

Nesta segunda-feira (18), foi lançada a Rede de Combate...

Uma carta para Aranha

POR WINNIE BUENO* Oi, Aranha. Tudo bem? Primeiramente queria te...

Atriz Samara Felippo presta depoimento em delegacia sobre caso de racismo contra filha em escola de SP

A atriz Samara Felippo chegou por volta das 10h desta terça-feira...
spot_imgspot_img

Se o Estado perder o controle, o que vai restar?

Cinco pessoas foram mortas durante a 16ª operação policial do ano no Conjunto de Favelas da Maré, nesta terça-feira, 11 de junho. Uma das...

Após ‘discriminação racial’, Lewis Hamilton compartilha postagem em defesa a Bukayo Saka

O heptacampeão mundial de Fórmula 1, Lewis Hamilton, utilizou suas redes sociais para compartilhar um texto em em defesa do jogador Bukayo Saka, da...

Ministério da Igualdade Racial apresenta aprimoramentos da Lei de Cotas no Serviço Público em seminário na Câmara dos Deputados

Nesta terça-feira (11), a Diretora de Políticas de Ações Afirmativas, Layla Carvalho, representou o Ministério da Igualdade Racial no primeiro painel do Seminário Cotas no Serviço Público, na Câmara dos...
-+=