Circuito Musical Palmares evidencia história da cultura afrodescendente no Brasil

Augusto do Nascimento

Uma mistura de linguagens artísticas para narrar e refletir a história da cultura negra no Brasil. Com essa proposta, a organização não-governamental Ponto de Equilíbrio (OPEQ), de Teresina (PI), vem percorrendo cidades do Piauí e do Maranhão com o espetáculo Circuito Musical Palmares, cujo encerramento ocorrerá em São Luís, na próxima quinta-feira (29), com duas apresentações abertas ao público: às 9h, na Unidade Integrada Maria José de Aragão (Cidade Operária); e às 20h, na Praça Nauro Machado (Praia Grande).
De acordo com o gestor do Opeq e diretor geral do espetáculo, Luís Carlos Vale, o Circuito Musical Palmares consiste de uma variedade de expressões artísticas, dentre as quais a música e o teatro, mas tendo a dança como carro-chefe. Ele disse a reportagem que a montagem reúne 20 pessoas no elenco, além de mais de uma dezena envolvida na produção e equipe técnica. O projeto do musical foi premiado em 2010 pela Fundação Cultural Palmares, entidade vinculada ao Ministério da Cultura (MinC) para a promoção e preservação da arte e da cultura afro-brasileira, e no ano passado a iniciativa de circulação do espetáculo foi selecionada pelo Prêmio de Teatro Myriam Muniz, da Fundação Nacional de Artes (Funarte), órgão também vinculado ao MinC. Com São Luís, o musical contabiliza exibições em sete municípios dos dois estados, durante o mês de maio.
Em cena, bailarinos, cantores, atores e instrumentistas relatam a história dos negros no Brasil, desde a vinda dos primeiros navios negreiros com os povos escravizados da África, até os dias atuais, sempre com o foco na valorização da cultura negra e levantando a questão do racismo na formação do país. Com músicas e coreografias criadas especialmente para a apresentação, a montagem teve inspiração em imagens e textos do livro Mitologia dos Orixás, do sociólogo Reginaldo Prandi, considerada a mais completa coleção de mitos da religião dos orixás já reunida em todo o mundo, com mais de 300 relatos mitológicos acerca do panteão de divindades africanas.
Luís Carlos Vale ressaltou a ligação do Circuito Musical Palmares com as comunidades remanescentes de quilombos. Além do título da montagem, baseado no mais conhecido núcleo de resistência dos negros escravizados durante o período colonial, o diretor artístico, coreógrafo e ator do espetáculo, Valdemar Santos, é originário da tradição quilombola no Piauí. O musical também foi apresentado na comunidade de Mimbó, causando uma forte repercussão entre seus integrantes.
“Temos uma dívida com os negros, que sempre tiveram uma força muito grande no Brasil. A gente sabe que o preconceito existe, mas acredito que os negros vêm quebrando barreiras”, disse Luís Carlos Vale, lamentando a recorrência de atos racistas nos dias de hoje. No entanto, ele considerou que o movimento negro tem se fortalecido e as novas gerações estão mais abertas à convivência com a diversidade cultural e com as minorias, como é o caso também da militância gay.
Para o diretor geral do Circuito Musical Palmares, apesar da dificuldade de realizar a montagem, especialmente por ter de conciliar as agendas de ensaios e apresentações da equipe numerosa, o pioneirismo da iniciativa possibilita às plateias dos estados nordestinos ter contato mais próximo com esse tipo de espetáculo, mais comum no eixo em torno das metrópoles São Paulo e Rio de Janeiro.Entidade
Criada em 1999, em Teresina, a organização Ponto de Equilíbrio (Opeq) é uma pessoa jurídica de direito privado, tendo por objetivo promover o desenvolvimento social através de diversas frentes de ação: arte, cultura, educação, dentre outras. Luís Carlos Vale esclareceu que, além das iniciativas de valorização da cultura negra, a entidade executa projetos com outros grupos de minorias, como mulheres e soropositivos. Com o público-alvo de crianças e adolescentes, a Opeq realiza atividades de empreendedorismo cultural, enquanto mantém o projeto Dança Eficiente, destinado a pessoas com deficiência.

SERVIÇO

O quê? Espetáculo Circuito Musical Palmares
Quando? Quinta-feira (29)
Onde? Unidade Integrada Maria José Aragão (9h), no bairro Cidade Operária; e Praça Nauro Machado (19h), no Centro Histórico
Quanto? Aberto ao público
Fonte: O Imparcial 

+ sobre o tema

Barça bate Milan, mas é Ronaldinho Gaúcho quem leva troféu para casa

Na volta ao Camp Nou, craque é ovacionado pela...

Literatura Africana Contemporânea

A literatura africana contemporânea não tem recebido, especialmente...

MODA E ARTE AFRO – Artes Visuais da Bahia

  Washinton José, o Yosh, é apontado como uma das...

A Natureza e seus significados entre adeptos das Religiões Afro-Brasileiras

  As religiões afro-brasileiras são reconhecidas como religiões de matriz...

para lembrar

Luis Vagner, o guitarreiro que foi do twist ao samba-rock para animar o terreiro brasileiro

♪ OBITUÁRIO – “Luis Wagner guitarreiro / Liga essa...

Elza Soares: Versão póstuma de ‘Meu Guri’ chega às plataformas digitais

Nova versão de "Meu Guri," performada por Elza Soares, chegou às...

Rapper Coolio, conhecido pelo hit “Gangsta’s Paradise”, morre aos 59 anos

O rapper Coolio, que iluminou as paradas musicais com sucessos...
spot_imgspot_img

Em junho, Djavan fará sua estreia na Praia de Copacabana em show gratuito

O projeto TIM Music Rio, um dos mais conhecidos festivais de música no país, terá como uma de suas atrações, no dia 2 de...

Lauryn Hill, YG Marley e Mano Brown tocam em festival em SP; saiba como comprar ingressos

O Chic Show, projeto que celebra a cultura negra e realizava bailes que ficaram clássicos na São Paulo da década de 1970 e 1980, vai...

Filhos de Bob Marley anunciam primeira turnê coletiva em duas décadas

Bob Marley teve, ao total, 11 filhos, e cinco deles preparam a turnê coletiva The Marley Brothers: A Legacy Tour, que percorrerá a América do Norte...
-+=